ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Mais 19 lotes de longa vida são interditados

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 09/11/2007

1 MIN DE LEITURA

2
0
Com presença de substâncias fora dos parâmetros aceitos pelos órgãos de fiscalização - como sódio, sacarose (açúcar) e neutralizantes de acidez -, 19 lotes de leite integral longa vida das marcas Parmalat, Calu e Centenário produzidos em Minas Gerais, São Paulo e Goiás, foram interditados ontem pela Vigilância Sanitária de Minas Gerais.

Com isso, a venda dos produtos está proibida por 90 dias ou até que eventuais contraprovas atestem sua qualidade. As amostras foram coletadas em Uberaba (MG), por determinação do Ministério Público Federal, no dia 24 de outubro. Elas foram analisadas pela Fundação Ezequiel Dias. Havia problemas em todas.

Os três lotes da Parmalat representam 300 litros (caixas). O resultado foi insatisfatório para sódio e alcalinidade das cinzas. Nos dois lotes da Calu, houve irregularidade para sódio e alcalinidade das cinzas, e também foram encontrados traços de sacarose em uma das amostras. Os 14 lotes da Centenário tiveram resultado insatisfatório para sódio e alcalinidade das cinzas (teste que mede neutralizantes de acidez). Em nove lotes, havia traços de sacarose, informou Renata Baptista, da Folha de S.Paulo.

O presidente do conselho de administração da Parmalat, Marcus Elias, disse ontem que os testes da Vigilância Sanitária de Minas não são determinantes para avaliar a qualidade do leite nem são exigidos pelo Ministério da Agricultura. Segundo ele, o teste de cinzas não é eficaz porque o estabilizante permitido por lei no leite longa vida altera o resultado. Ele disse ainda que não há padrões para presença de sódio no leite brasileiro.

Em nota, a Parmalat pediu "isonomia de tratamento" à Vigilância mineira e imediata suspensão da interdição dos lotes até que a empresa tenha acesso aos resultados das análises e apresente contraprova.

A Cooperativa Agropecuária Ltda. de Uberlândia (Calu) afirmou que tem análises de dois laboratórios da rede credenciada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), que atestam a qualidade do leite dos lotes interditados.

Notícia de Janaína Oliveira, do jornal Hoje em Dia/MG, informou que as empresas têm dez dias para recorrer da decisão.

O sódio e a sacarose influenciam na durabilidade do leite. Substâncias que podem alterar a alcalinidade, como neutralizantes de acidez, são adicionadas para reduzir a proliferação de bactérias.

2

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

LEONARDO LEITE MEDEIROS

BRAÇO DO NORTE - SANTA CATARINA

EM 12/11/2007

Quero parabenizar os órgãos que estão fiscalizando esta vergonha que são os produtos adulterados e os produtos que estão fora dos parâmetros.

Agradeço.
MANOEL FRANCISCO DE OLIVEIRA

OUTRO - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 10/11/2007

Eu acho muito estranho só encotrar problema com tão poucas marcas. Estão esquecendo das outras, que por sua vez têm sérios problemas financeiros e mesmo assim conseguem vender leite abaixo do custo de produção.
MilkPoint AgriPoint