ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

MA: produtores derramam leite em sinal de protesto

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 15/03/2010

2 MIN DE LEITURA

4
0
Sem receber o pagamento oriundo do Programa Leite é Vida, do governo federal, desde a segunda quinzena do mês de dezembro, produtores de Imperatriz, que abastecem o programa, derramaram na última sexta-feira (12) aproximadamente sete mil litros de leite em frente ao Palácio Henrique de La Rocque, em São Luís, em sinal de protesto. Os fornecedores trouxeram para a capital um caminhão tanque carregado com 13 mil litros do produto, mas, devido a sugestões da imprensa e diante da carência da população, decidiram doar parte do leite.

O débito ocasionado pela falta de repasse da Secretaria de Saúde do Estado aos contratados está orçado em mais de R$ 1,8 milhão. Estão cadastrados no Programa Leite é Vida 842 fornecedores de vários municípios. Já irão completar seis quinzenas sem repasse de dinheiro.

Diariamente, produtores de todas as regiões do Maranhão entregam 46 mil litros de leite ao governo do Estado. O programa prevê a compra de 29 litros/dia de cada produtor, que corresponde a quase 900 litros por mês. Os três meses que estão sem receber representam a entrega de quase 2,7 mil litros do produto sem receber nada.

O Programa Leite é Vida é tocado pela Secretaria de Saúde do Estado porque o produto é distribuído a comunidades carentes, mães sem poder aquisitivo e a hospitais. Há dias os produtores pressionavam o secretário Ricardo Murad para que liberasse o pagamento, sem sucesso. Os fornecedores afirmaram que se até o término desta quinzena nenhuma atitude for tomada pelo secretário de Saúde, o abastecimento do leite será suspenso até que os pagamentos sejam efetuados.

Em nota, a coordenadora estadual do Programa Leite é Vida, Flávia Abdalla, afirmou que o pagamento da primeira parcela seria realizado a partir das 10h de sexta-feira (12). E que a causa do atraso nos pagamentos dos laticínios ocorreu devido à falta do repasse do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), que é o responsável pelo aporte maior do convênio, que seria efetuado no mês de dezembro de 2009, fato este ocorrido apenas no final de janeiro/10, mês em que o orçamento do Estado encontrava-se fechado.

Esclareceu ainda a coordenadora que o orçamento do Estado foi aberto no início do mês de março/10. Tão logo foram autorizados os pagamentos do Estado, a Secretaria de Estado da Saúde agilizou a tramitação legal dos processos de pagamentos, e estes seriam pagos no limite mínimo de tempo, que é de 12 dias.

A matéria é de Jully Camilo, publicada no Jornal Pequeno, adaptada e resumida pela Equipe MilkPoint.

4

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

DARLANI PORCARO

MURIAÉ - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 16/03/2010

Talvez o governo do Maranhão não saiba o custo de produção de tiragem do leite , não tenha conhecimento das dificuldades e despezas do produtor. A presidente do C.N.A senadora Kátia Abreu, vai nos ajudar muito quando fizer a demonstração da média dos custos de produção dos alimentos produzidos em nosso país.
RAMON BENICIO LIMA DA SILVA

NITERÓI - RIO DE JANEIRO

EM 16/03/2010

Mais uma vez vemos que o descaso, a burocracia, a falta de seriedade e de compromisso de nossos governantes coloca em risco um programa alimentar.

Também, eu, não tinha ouvido falar deste programa, alias estes programas parecem ser feitos as escondidas para beneficiar somente alguns, enquanto não houver a integração de todos estes sistemas em um único sistema, gerenciado com seriedade por quem entenda do riscado, ainda veremos outras demonstrações iguais a esta. Mas jogar leite fora NÃO. Isto só serve para afrontar os que precisam do programa. O que os produtores de leite do MA deveriam fazer era se unir a população e cobrar de forma intransigente o cumprimento das obrigações assumidas.

Um abraço
Ramon Benicio
GUILHERME ALVES DE MELLO FRANCO

JUIZ DE FORA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 15/03/2010

Prezados Senhores: Triste é saber que protestos como este continuam tendo lugar no mundo. Jogar alimento fora não acrescenta nada. Ao invés de sensibilizar a população, a revolta. Estou revoltado, como estive em outras ocasiões em que esta medida foi utilizada. Os pobres não têm culpa pelos objetivos eleitoreiros do Governo Federal. Assumo a mesma postura do Guilherme Resende de Oliveira e rogo que toda a produção seja doada aos necessitados.
Um abraço,


GUILHERME ALVES DE MELLO FRANCO
FAZENDA SESMARIA - OLARIA - MG
GUILHERME RESENDE DE OLIVEIRA

LUZ - MINAS GERAIS

EM 15/03/2010

Espero que realizem os pagamentos o quanto antes. O programa Leite é Vida, eu nunca tinha ouvido falar... com certeza no início foi motivo de muitos elogios, agora vejam o que está acontecendo.
Só não gosto de ver protesto em que produtores jogam o leite fora... acho que isto já está fora de moda. Poderiam fazer mais bonito e doar todo o leite, tenho certeza que muita gente ia gostar.
Att,
Guilherme R. de Oliveira.
MilkPoint AgriPoint