ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Inflação em queda leva Selic à mínima histórica de 7%

Com a inflação sob controle e a atividade ainda em marcha lenta, a taxa de juros de referência do Brasil caiu para o menor patamar da história. O Banco Central reduziu na noite desta quarta-feira, 6, a taxa Selic em 0,50 ponto porcentual, de 7,5% para 7% ao ano. Foi o décimo corte consecutivo. Antes do anúncio desta quarta-feira, a Selic mais baixa, de 7,25%, havia sido registrada ainda no primeiro governo de Dilma Rousseff.

Além do corte desta quarta, o BC já sinalizou a intenção de promover nova redução de juros no próximo encontro do Comitê de Política Monetária (Copom), em fevereiro do ano que vem. Desta vez, no entanto, a tendência é de baixa de 0,25 ponto porcentual, para 6,75% ao ano - um novo piso histórico.

inflação - Selic

"Para a próxima reunião, caso o cenário básico evolua conforme esperado, e em razão do estágio do ciclo de flexibilização (cortes de juros), o comitê vê, neste momento, como adequada uma nova redução moderada na magnitude de flexibilização monetária", disse o BC, em sua linguagem técnica.

Entre os riscos do cenário do BC, o item de principal interesse é a reforma da Previdência. A instituição deixou claro, no comunicado, que pode mudar de ideia quanto a um novo corte da Selic em fevereiro, caso a expectativa em relação às reformas seja frustrada. Em outras palavras, se o governo de Michel Temer não emplacar a reforma da Previdência no Congresso, o BC pode manter a Selic em 7% ao ano nos próximos meses.

Para o economista Maílson da Nóbrega, ex-ministro da Fazenda, é justamente o andamento da reforma da Previdência na Câmara, nas próximas semanas, a questão central para o Copom. Se a matéria não for a votação até o fim do ano, o BC pode desistir de cortar a Selic em mais 0,25 ponto.  "Isso porque o clima de expectativas piora", disse Maílson. "Mas tudo indica que a primeira votação ocorrerá dentro das próximas semanas, com fechamento de questão pelo PMDB e outros partidos", acrescentou.

Efeito simbólico

Maílson afirma que o patamar atual da Selic é algo a ser comemorado. "Essa Selic tem efeito simbólico importante para indicar uma nova realidade. Estamos caminhando para ter uma taxa estrutural de juros parecida com a dos nossos vizinhos da América Latina, da ordem de 3%, com Selic entre 5% e 6%."

O BC também indicou nesta quarta-feira que, mesmo se reduzir a Selic para 6,75% ao ano em fevereiro, a tendência é de que a taxa fique neste patamar nos meses seguintes. Isso porque, como a Selic já cedeu de 14,25%, em outubro do ano passado, para 7%, já não há tanto espaço para cortes sem que o controle da inflação seja prejudicado no futuro.

Para o economista da Órama Investimentos, Alexandre Espirito Santo, o Copom está correto ao indicar cautela, já que as incertezas com as eleições de 2018 e as reformas poderão elevar o preço do dólar e, consequentemente, afetar a inflação. "Hoje vejo 80% de chance de a taxa de juro ser cortada em 0,25 ponto porcentual em fevereiro, com taxa terminal de 6,75% ao longo de 2018", disse o economista.


inflação - Selic

Por enquanto, o cenário para a inflação visto pelo BC é positivo. A instituição projeta que o IPCA - o índice oficial de preços - encerrará 2017 em torno de 2,9%. Se de fato a inflação ficar abaixo de 3,0% este ano, o BC terá, inclusive, descumprido sua meta para o ano, que é de taxa de 4,5% com tolerância de 1,5 ponto porcentual (inflação entre 3,0% e 6,0%). Para 2018 e 2019, o BC também estima inflação controlada, de 4,2% nos dois casos.

Juro real

Apesar do recuo da Selic, o Brasil tem hoje a quarta maior taxa real de juros (descontada a inflação) do mundo. Levantamento do site MoneYou e da Infinity Asset Management mostram que a taxa real brasileira é de 2,88%. É menor que o verificado na Turquia (5,87%), na Rússia (4,18%) e na Argentina (3%), mas maior que o verificado em outros 36 países que possuem alguma relevância no cenário global.

As informações são do jornal O Estado de São Paulo. 

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.