ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Governo libera R$ 32,5 bilhões para o plano agrícola e pecuário

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 13/06/2003

3 MIN DE LEITURA

0
0
O presidente Luiz Inácio da Silva anunciou ontem (12) a liberação de R$ 32,5 bilhões para o plantio, investimentos e comercialização da próxima safra. É o Plano Agrícola e Pecuário 2003/04, que recebe este ano 25,8% a mais de recursos do que o previsto para 2002/2003.

Desse total, R$ 27,15 bilhões serão aplicados nos programas conduzidos pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). O restante, R$ 5,4 bilhões, destina-se à agricultura familiar, sob o comando do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA).

"Importante também foi a decisão do governo sobre os juros para o crédito rural", disse o ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues. Dos R$ 27,15 bilhões, 82% (R$ 22,15 bilhões) serão aplicados a juros fixos e pré-definidos. As taxas controladas, com juros eqüalizados pelo Tesouro Nacional, foram mantidas nos níveis atuais para o custeio e investimento, inclusive para os programas executados com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES). Além disso, os juros do Programa de Geração de Emprego e Renda (Proger) caíram de 8,75% ao ano para 7,25%.

De acordo com o ministro, o governo deu prioridade à produção de alimentos básicos ao definir o crédito de custeio e os Empréstimos do Governo Federal (EGF). "A meta é atender a demanda gerada pelos novos programas sociais, como o Fome Zero, e recompor os estoques públicos administrados pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab)", destacou Rodrigues. "Com o plano, queremos também alcançar novos recordes de produção para aumentar o consumo interno e as exportações".

Para o milho, o acréscimo do financiamento chegou a 60%, passando de R$ 250 para R$ 400 mil por produtor. O limite dos empréstimos para a pecuária leiteira, atividade típica de milhões de pequenos produtores, foi elevado em 50%, saltando de R$ 60 para R$ 90 mil por beneficiário.

Programas

Rodrigues informou ainda que foram ampliadas as verbas para investimento e mantidos os juros e os prazos das linhas de crédito nos níveis atuais. "O objetivo é fortalecer a qualidade e a competitividade do agronegócio em bases ambientalmente sustentáveis". Por isso, os programas foram redesenhados e simplificados para facilitar a contratação de recursos por produtores e cooperativas, além de facilitar a operação dos agentes financeiros.

Os oito programas foram agrupados em quatro áreas: modernização e infra-estrutura (Moderfrota e Moderinfra), cooperativas (Prodeccop), recuperação de solo e pastagens (Moderagro) e geração e agregação de valor nas cadeias produtivas (Prodefruta, Prodeagro, Proleite e Propflora). O governo destinou R$ 4 bilhões do BNDES para esses programas, com acréscimo de 41,3% sobre os R$ 2,83 bilhões previstos no ano-safra 2002/03.

O Moderfrota contará com R$ 2 bilhões, com juros de 9,75% ao ano para produtores com renda bruta anual de até R$ 150 mil e de 12,75% para os beneficiários com renda anual superior a esse limite. Já o Procecoop terá R$ 450 milhões, o que representa um aumento de 80% sobre o ano anterior. Os juros são de 10,75% ao ano. Essa linha de crédito se destina à formação, ampliação e renovação de capital fixo das cooperativas. Para os demais programas serão liberados R$ 1,55 bilhão, com juros de 8,75% ao ano.

Revigorado pelo governo, o novo Proger Rural passa a contar com recursos de R$ 1,9 bilhão, volume de crédito duplicado em relação ao ano passado. O público do programa terá um fator extra de estímulo: a partir de 1o de julho deste ano, a taxa de juros será reduzida de 8,75% para 7,25% ao ano. "A intenção do governo é promover a ascensão econômica de um grande número de pequenos e médios produtores, cuja renda bruta anual esteja acima do limite fixado para o público beneficiário do Pronaf", disse o ministro.

O Governo Federal vai implementar ainda este ano o seguro rural. A proposta está no Congresso Nacional, onde deverá tramitar em regime de "urgência urgentíssima". Inclusive, o orçamento de 2003 conta com R$ 20 milhões para o pagamento de parte do prêmio do seguro. Também está em estudo projeto de renda mínima para atender aos pequenos produtores rurais, além de outras alternativas para modernizar a comercialização de produtos agropecuários.

Fonte: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), adaptado por Equipe MilkPoint

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint