ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Estudo aponta números da cadeia leiteira

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 28/10/2005

1 MIN DE LEITURA

1
0
Em 2004, a cadeia produtiva láctea brasileira movimentou R$ 64,78 bilhões, de acordo com o estudo "Tomografia da Cadeia do Leite São Paulo 2004", apresentado ontem, em Ribeirão Preto (SP) pelo Programa dos Estudos dos Negócios do Sistema Agroindustrial da Universidade de São Paulo (Pensa/USP). O estudo foi realizado pela instituição para a Câmara Setorial de Leite e Derivados de São Paulo, de modo a mapear e quantificar a cadeia leiteira, destacando seus principais agentes, a quantidade e valor dos principais produtos comercializados, desde a indústria de insumos até o consumidor final.

O objetivo do trabalho foi avaliar a competitividade da produção de leite no estado de São Paulo. Nos últimos de 1993 a 2003, a produção em São Paulo caiu 12%, contra um aumento de 47% no país. A preocupação com essa situação levou a Câmara Setorial de Leite e Derivados a efetuar o levantamento.

Por meio de pesquisas, entrevistas e levantamentos de informações do setor, o Pensa/USP apontou, por exemplo, que o setor de laticínios movimentou R$ 12,45 bilhões, dos quais R$ 5 bilhões foram movimentados pelas cooperativas e que supermercados faturaram, no ano passado, R$ 15,5 bilhões com a comercialização do leite.

A produção brasileira de leite foi de cerca de 23,5 bilhões de litros em 2004, mas, para conseguir esse volume, foram gastos mais de R$ 10 bilhões em insumos agropecuários como produtos veterinários, rações, inseminação artificial, máquinas e equipamentos.

Do total de leite produzido, 33,7% foi destinado para produção de queijos, que movimentam cerca de R$ 5,54 bilhões, 18,7% para leite UHT (longa vida), com valor de R$ 5,87 bilhões, e leite em pó, que consumiu 18,6% da produção e movimentou mais de R$ 3,54 bilhões em 2004. Outros derivados, como leite A e B, manteiga e iogurtes consumiram cerca de 2,3 bilhões de litros de leite e movimentaram mais de R$ 4,4 bilhões em 2004.

Outros dados do estudo apontam que rações e concentrados movimentaram R$ 2,14 bilhões dentro da cadeia, o mercado de vacas e novilhas para leite ou reprodução foi de R$ 4,3 bilhões e as transportadoras de leite faturaram quase R$ 1 bilhão com o setor.

Fonte: Equipe MilKPoint

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

ANTONIO BOVOLENTO JR.

SOROCABA - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 28/10/2005

Importantíssimo, imprescindível e de um valor inestimável este trabalho coordenado pelo PENSA, que por sinal é reconhecidamente um dos mais importantes centros de estudos dos agronegócios do mundo.



Para que a cadeia de agronegócios do leite realmente mereça esse nome, a matéria-prima a ser analisada deixa de ser o leite e passa a ser as transações. Quais são? Onde estão? Como se dão? Que valor movimentam? Enfim, determinar que atributos possuem as transações ao logo da cadeia pode marcar uma nova etapa no processo de conversão da produção de leite no Brasil em agronegócio.



Antonio Bovolento Junior

MilkPoint AgriPoint