ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Especial Consultorias, Cia do Leite: "adaptamos nosso trabalho frente ao Programa Mais Leite Saudável"

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 04/05/2016

7 MIN DE LEITURA

5
0
O MilkPoint lançou em novembro de 2015 o Especial Empresas de Consultorias para conhecer quais são as empresas brasileiras que hoje prestam consultoria no campo, onde atuam, quais são os desafios atuais, como fazem o acompanhamento dos clientes, entre outros.

A oitava participante do Especial Consultorias é a Cia do Leite. Criada em junho de 2014, atende 32 indústrias de laticínios distribuídas em todas as regiões do estado de Minas Gerais. Acesse e confira a entrevista completa realizada com Ronaldo Carvalho Macedo, médico veterinário e diretor da Cia do Leite.

MilkPoint - Quando foi criada a empresa, quais são as áreas de atuação e em qual(s) localidade (s) atuam?

Ronaldo – “A empresa foi criada em junho de 2014. O foco de trabalho, desde o início, é voltado à assistência técnica para os produtores rurais. Em outubro de 2015, em decorrência do lançamento do Programa Mais Leite Saudável do MAPA, adaptamos rapidamente a frente de trabalho da Cia do Leite. Utilizamos então a nossa expertise em prol da elaboração e execução dos projetos que atendiam as indústrias de laticínios e cooperativas habilitando-as ao programa para receberem os créditos presumidos de PIS e COFINS.

O trabalho da Cia do Leite no campo está voltado, majoritariamente à qualidade do leite. A explicação é lógica: o problema existe no campo e afeta diretamente a indústria, porém temos ciência que o futuro desse trabalho deve ser voltado para a gestão completa das propriedades e já estamos preparados para atender essa evolução natural do processo.

Atualmente prestamos serviços a 32 indústrias de laticínios distribuídas em todas as regiões do estado de Minas Gerais. Os produtores estão localizados em mais de 250 cidades e, a nossa expectativa, é atingir até o fim do ano cerca de 1300 produtores por meio de visitas técnicas.

Além disso, a empresa produz mensalmente uma revista informativa personalizada para o Programa Mais Leite Saudável, caracterizada pelo seu estilo lúdico e textos técnicos rápidos e diretos, visando a facilitação da leitura pelos produtores rurais. Atualmente, a Revista Força Leiteira atinge cerca de 8.000 produtores em todo o estado mineiro”.



MilkPoint - Quantos profissionais fazem parte do quadro da empresa e qual é o perfil desses profissionais?

Ronaldo – “Atualmente a empresa conta com 8 técnicos com graduação na área das agrárias. As exigências básicas para entrar para a equipe são: habilidade de comunicação e poder de persuasão e vivência com a bovinocultura leiteira. Todos os técnicos, ao entrarem para a equipe, passam por um nivelamento metodológico e também de atualização técnica. Em adição, há um período de treinamento obrigatório, em que o técnico novato acompanha, durante um período variável, um técnico de maior experiência, até que ele esteja apto a exercer as funções do cargo que irá ocupar”.

MilkPoint - Quais as vantagens e desvantagens de atuar em uma empresa de consultoria x trabalhar de forma autônoma?

Ronaldo – “Uma empresa de consultoria, assim como as cooperativas de técnicos, tem a vantagem de trabalho em equipe, além de aumentar o raio de ação, criando uma identidade técnica para a marca e respaldo da empresa, caso ocorra alguma eventualidade que impossibilite o técnico de trabalhar durante um período. Entretanto, se faz necessária a padronização de metodologia de trabalho para a garantia de qualidade do serviço de todos os envolvidos, podendo, em alguns casos ir contra as convicções do indivíduo.

Quando se trabalha de forma autônoma é evidente a liberdade de trabalho de acordo com as suas ideias e opiniões, por outro lado, o técnico se limita a si só, e precisa dividir o seu tempo em atribuições que não são o seu foco principal, tornando a sua atuação muito limitada. Receita básica do velho ditado: “a união faz a força”.


MilkPoint - Quantos produtores de leite atendem (em volume de leite)?

Ronaldo – “Conforme descrito anteriormente, nossa maior demanda de trabalho está voltada para assistência técnica e capacitação de produtores para melhoria da qualidade do leite. Em 2016 já trabalhamos nossa metodologia em cerca de 260 produtores. A projeção é, até o final do ano, trabalharmos mais de 1000 propriedades em metodologias para reduzir CBT e/ou CCS no tanque. Os laticínios nos quais atuamos captam diariamente cerca de 1.180.000 litros de leite variando o porte de 3.000 a 200.000 litros/dia”.

MilkPoint - Qual é o porte médio das propriedades atendidas hoje pela empresa?

Ronaldo – “O problema da qualidade do leite ainda existe em propriedades de todo porte. Prefiro não responder o porte médio das propriedades, mas sim, a faixa de produção, que é de 50 a 2000 litros/dia”.

MilkPoint - Qual é o método de trabalho (fases do programa de trabalho) utilizado pela empresa?

Ronaldo – “Temos duas linhas de trabalho, controle da CBT e controle da CCS. O controle da CBT é dividido em 3 etapas:

Etapa 1 – Treinamento do produtor e colaboradores, diagnóstico da propriedade com foco em higiene no caminho do leite e refrigeração e, por fim, elaboração de um plano de ação para correção de não conformidades.

Observação: Essa metodologia focada na adequação do indicador de CBT, não é um programa de boas práticas. Treinamos o produtor nos itens que são contundentes para o indicador.

Etapa 2 – Conferência de implementação do plano de ação, ajustes na proposta e análise dos resultados alcançados;

Etapa 3 – Análise dos resultados alcançados;

O controle da CCS é trabalhado em 4 fases:

Etapa 1 – Treinamento do produtor e colaboradores, diagnóstico da propriedade, elaboração de plano corretivo e exame de cultura.

Etapa 2 – Erradicação de S. agalactiae no rebanho, via tratamento dos animais positivos.

Etapa 3 – Exame de cultura para conferir a erradicação de S. agalactiae.

Etapa 4 – Monitoramento do rebanho via CMT e CCS. Esse trabalho deve ser feito periodicamente pelo produtor para garantir a saúde do rebanho". 


MilkPoint - Como é feito o acompanhamento dos clientes e quais são os principais indicadores utilizados para avaliar os resultados?

Ronaldo – “Diante da demanda pela qualidade do leite, os indicadores que norteiam nosso trabalho são a CBT (ou CPP) e a CCS”.



MilkPoint - Como é feita a gestão e o planejamento da empresa e quais são os principais desafios encontrados pelo estabelecimento atualmente?

Ronaldo – “O dimensionamento do trabalho a ser realizado em cada indústria é feito no projeto para habilitação no Programa Mais Leite Saudável. Sabemos quais os produtores vamos trabalhar, quantos e quais teremos que trabalhar mensalmente até o fim de cada projeto (normalmente de duração anual ou bienal). Isso torna a gestão de equipe e planejamento muito mais fácil. Assim podemos a preparar equipe e organizar os mecanismos de controle com antecedência. O nosso maior desafio é convencer o produtor a melhorar os parâmetros microbiológicos e químicos do leite produzido.

Outro desafio que destaco é vencer barreiras culturais. As vacas estão se tornando mais produtivas e mais sensíveis, a mão de obra está sendo substituída por tecnologia, novas técnicas de manejo surgem a todo momento e não implementamos nem as antigas ainda. Enfim, o empresário da atividade leiteira não está evoluindo junto com a atividade”.


MilkPoint - O que vem mudando na consultoria e no perfil dos produtores ao longo dos anos?

Ronaldo – “Estão se desenvolvendo na atividade leiteira aqueles consultores que, independente da área de atuação dentro da bovinocultura, estão trabalhando o cruzamento dos indicadores técnicos e econômicos. Atravessamos um período que muitos técnicos envolvidos com a bovinocultura entendiam muito de suas áreas (nutrição, reprodução, qualidade do leite, clínica e outras), mas não entendiam de negócio.

O perfil dos produtores de leite é muito variado. A única coisa padronizada é que todos reclamam do preço que receberam pelo litro de leite. Os desafios técnicos e gerenciais da atividade estão por si, selecionando os produtores que continuaram na atividade. Em outras palavras, os produtores estão melhorando”.


MilkPoint - Deixe um recado para os produtores de leite.

“Prezados produtores, não caminhem sozinhos, seus caminhos poderão se tornar longos, difíceis e tortuosos. Contratem uma consultoria que trate a atividade leiteira como um negócio. Pesquisem sobre o trabalho e a proposta dessa empresa de consultoria, visitem onde ela já atua. Uma vez aprovado por vocês, definam junto com o técnico consultor onde vocês querem chegar. Quem não sabe pra onde quer ir, não tem parâmetros para dizer se o resultado que obteve está bom ou ruim. E, por fim, defina suas estratégias e indicadores que determinarão se você está no caminho certo”.

Confira as outras edições do Especial Consultorias:

Especial Consultorias, Cooperideal: "O conhecimento é obrigatório nas fazendas que desejam inovar e crescer"

Especial Consultorias, Transpondo: "O produtor de leite brasileiro está no rumo de conquistar seu lugar de respeito"

Especial Consultorias, Labor Rural: "As vacas não dão leite, mas sim, produzem-o em resposta ao manejo que adotamos"

Especial Consultorias, Ceres Qualidade: "A técnica é fundamental, mas a forma de tratar as pessoas tem o mesmo peso"

Especial Consultorias, C.Vale: "Acreditamos que o principal desafio é a resistência as mudanças"

Especial Consultorias, SIA: "Na ponta das folhas verdes reside o segredo da produção de leite"

Especial Consultorias, Via Verde: "Atendemos atualmente 92.800 litros de leite diários"

Gostaria de indicar alguma empresa de consultoria para participar da próxima edição? Envie um email para contato@agripoint.com.br
 

5

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MONIKYJHULYABARBOSA

EM 21/05/2018

vcs podem mim ajudar. estou querendo fazer uma ração para vacas de leite mais em conta .mas que de resultados.ra
JOÃO LEONARDO PIRES CARVALHO FARIA

MONTES CLAROS - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 02/05/2018

Satisfação em fazer parte desta Equipe!
LUCIANA MARQUES DE PAULA

SÃO PAULO - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 08/03/2017

Gostei muito da entrevista . O caminho é esse mesmo, como filha de produtor antigo e esposa de quem esta no meio, inclusive  eu...kkk ,é dificil praticar. Ocorre q a mudanca pro novo demora, e como esclarecido na entrevista, haverá uma seleção natural. Acredito na tecnologia e temos uma consultoria otima, conveniada com o sebrae e a itambe, que chama Educampo. Hoje o grande problema nosso é sanitario, melhoramos muito no controle da CBT, mas na CCS essa eh triste... com volume  quase 30% contaminado, numa produção diaria de media 1100 kilos. È preciso compartilhar conhecimento e boas praticas para reduçao dessa doenca.  Estamos realizando analise periodica , mas precisamos de solução que não seja o descarte de animais que chegam produzir 40 kilos/dia. obrigada., e parabens pela entrevista.
NELSON JESUS SABOIA RIBAS

GUARACI - PARANÁ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 09/05/2016

Muito boa a entrevista, aborda objetivamente o tema. Falta dar uma noção de custo e retorno do investimento do produtor. Digo isso porque muitos tem noção da necessidade de melhorar o sistema e controles da qualidade e querem fazer, mas não conseguem manter um serviço desse tipo por questão de custo X retorno com as melhorias.
GUILHERME RIBEIRO SANTOS

DIVINÓPOLIS - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 07/05/2016

Boa Tarde,

a empresa Cia do Leite, possui algum site ou e-mail, para se enviar currículo?
MilkPoint AgriPoint