ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Entressafra pressiona os preços do leite em São Paulo

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 24/07/2013

2 MIN DE LEITURA

0
0
Com a entressafra, os preços do leite no Estado de São Paulo continuam a subir, porém em ritmo menos acelerado. No varejo, os aumentos em relação ao mês de maio alcançaram 1,1% para o leite UHT (longa vida) e 1,0% para os leites B e C, de acordo com levantamento realizado pelo Instituto de Economia Agrícola (IEA-Apta) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo.

Para o produtor, os preços recebidos levantados pelo IEA mostraram alta superior que o varejo. Em maio, tanto o leite C como o B, tiveram alta, afirma Rosana de Oliveira Pithan e Silva.

“Observa-se que apesar da expectativa de que as altas no varejo, de maio em relação a abril, alcançassem em peso esse mercado, em função do maior aumento nos preços pagos aos produtores em maio, essas foram menores que o esperado, provavelmente devido à pressão do setor supermercadista. No entanto, a expectativa é de alta, não só para o leite como para os seus derivados, até o final da entressafra, em novembro. No entanto, a forte onda de frio dessa semana deve piorar ainda mais a situação das pastagens dos estados do Sul e Sudeste contribuindo para altas mais expressivas nos preços do leite, tendo em conta que nessas regiões estão os principais estados produtores de leite do país. Ou seja, o mercado, como um todo deve sentir o impacto do tempo, pois com pastagens comprometidas, o produtor tem que suplementar mais a alimentação do gado”, esclarece a pesquisadora

Segundo Pithan e Silva, apesar da alta ser justificada devido ao início da entressafra, alguns fatores vem influenciando esses aumentos, sendo uma das razões a falta de produto no mercado internacional. Os principais exportadores de lácteos tiveram uma redução da produção, com destaque especial para a Nova Zelândia, maior exportadora mundial de leite, devido à seca. Apenas os Estados Unidos mantiveram sua produção dentro do esperado, e a combinação das situações afetou todo mercado elevando as cotações do produto.

Outro fator é o aumento da demanda internacional pelo produto, com destaque para a China, da qual se espera um crescimento da ordem de 50% nas importações, o que reflete em uma valorização ainda maior para o produto. A valorização do dólar aliada à firme demanda pelo produto, afeta os preços pagos aos produtores devido à grande procura pelas indústrias, afirma a pesquisadora.

Esse cenário, concomitantemente com a elevação dos custos de produção, devido à necessidade de suplementação na dieta do rebanho. O aumento dos preços pagos aos produtores que já refletindo nos preços do varejo, deverá ser inferior para o leite longa vida, em relação aos leites pasteurizados por conta da pressão dos supermercados para a colocação do produto em suas gôndolas.

As informações são do Instituto de Economia Agrícola, adaptadas pela equipe MilkPoint.
 

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint