FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Enquete sobre a lei que obriga os laticínios a informar o preço do leite antecipado. Participe!

17

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CARLOS DE SOUZA MELO

GOIÂNIA - GOIÁS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 13/07/2012

O Brasil tem é que valorizar mais nossos produtos em vez de ficar importando produtos de outros países. Estamos entrando em um período de seca, com preços pagos por litro caindo de R$ 0,05 a R$ 0,10 e produtos (rações, medicamentos, etc) aumentando mês a mês, incentivando o produtor a abandonar a atividade ou diminuir sua produção drasticamente. Já não estão tendo preços favoráveis, falta de mão de obra (migração para a cidade, devido a ajudas do governo), e uma política que não ajuda a atividade produtora de leite.

Vamos ficar até quando comprando produtos de outros países (mais baratos e incentivados pelos governos de fora) em vez de valorizarmos nossos produtores . . .
EVAIR ROBERTO PORSCH

NOVA ESPERANÇA NOVA LARANJEIRAS - PARANÁ - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 09/07/2012

É uma lei q da um pouco mais de garantia ao produtor, mas no entanto, força a industria a fazer uma previsão de algo q nao depende dela, ao contrario do que diz a companheira Darlani de souza, a industria, em sua grande maioria está trabalhando no vermelho a meses, os vilões da história são os supermercados q hj se aproveitam da situação pra ganhar mais do que ja ganhavam, as industrias estão sendo obrigadas a vender seus produtos no preço ditado pelo mercado. O leite é diario, não se acorda preços para meses, e sim para um periodo muito pequeno (dias, semanas), então não tem como prever o mercado pra daqui a 30 ou 60 dias, isso é impossivel. O próprio MilkPoint (quem acompanha deve ter visto), fez um estudo de como está distribuido o preço entre os elos da cadeia, o que vemos é o mercado abocanhando parte do que era destinado ao produtor e a industria, e se for analisar, quem mais perdeu espaço (margem) foi a industria.
FERNANDO CERÊSA NETO

BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 09/07/2012

Seria ótimo se a lei apenas viesse a tornar obrigatório o pagamento do leite quinzenalmente.

1 a 15    pagamento em 20

16 a 30 pagamento em 5

Assim os laticínios teriam que brigar pelo preço dos seus produtos.

Hoje não o fazem, pois qualquer baixa é jogada nas costas dos produtores.

A lei do bolso é a melhor lei.
GUILHERME ALVES DE MELLO FRANCO

JUIZ DE FORA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 09/07/2012

Prezado Júnior Catanduva: Eu não tenho, desde 2007, quaisquer problemas com preço do leite, porque sou signatário de um contrato com o laticínio que compra meu leite, que estabelece um preço mínimo para o produto que entrego. Por isso, não estou vinculado ao vai e vem do mercado. Mas, quantos podem dizer a mesma coisa? Muito poucos. Entendo que entidades como a APLISI são a saída para os que, seja por produção, seja por resistência dos laticínios, não podem, como eu, firmar este tipo de contrato, que é a verdadeira saída, a mais eficiente. Condensando-se as produções individuais, a associação pode oferecer grande volume de leite e, assim, tornar-se de valor inestimável, conquistando preço superior ao do mercado.

Um abraço,

GUILHERME ALVES DE MELLO FRANCO

FAZENDA SESMARIA - OLARIA - MG

=HÁ SETE ANOS CONFINANDO QUALIDADE=
LUCAS DANTAS MATHEUS

GUANHÃES - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 07/07/2012

Eu acho a lei muito valida. Pois pelo menos foi um inicio do governo começar olhar para a gente. Mas para ela ficar completa, deveria ter seguido a sugestão do produtor Paulo Fernandes da associação APLISI, que usa a previsão do CEPEA para os próximos 12 meses. Ai sim ia ficar bom. Precisamos de Sindicatos e Associações como a APLISI em nossa região.
ALBERTO LUIZ

POMPÉU - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 07/07/2012

Acho que essa lei não vai vingar. como fala enquete acima, o laticinio não vai correr o risco e vai repassar o menor preço. se der para pagar mais um pouqinho, bem, se não der fica esse preço mesmo.
CONSTANTINO BERNARDES

PAPAGAIOS - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 07/07/2012

O colega Oderban Scariot do RS falou com propriedade. Essa lei não vai dar em nada. Tem laticinio na minha região que mandou comunicado ou colocou na internet um preço minimo a receber.

O preço é tão minimo que tem que acontecer o fim do mundo para o preço do leite chegar nesse patamar...

Dessa forma como vou tomar a decisão de mudar de laticinio e planejar melhor meu empreendimento, como diz o colega Guilherme Alves?
JOSÉ LEMES BALTAZAR

FORMIGA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 06/07/2012

Ja e uma lei que nasceu morta.....

Uma grande cooperativa da regiao central de MG colocou no site dela uma preco minimo de R$ 0,62 e um monte de adicional (qualidade, mercado, volume, logistica....., que o produttor vai ter que contratar um estatistico da NASA para prever o preco!
JUNIOR CATANDUVA

GOVERNADOR VALADARES - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 06/07/2012

A lei e muito boa, desde que contemple os vendedores de leite Spot! Este tipo de comercio (leite vendido entre laticinios e cooperativas para grandes industrias) representa uns 30% do leite produzido no Brasil! Esse leite é negociado de 15 em 15 dias e é sempre uma guerra de preco! Como o laticinio e a cooperativa que opera no mercado Spot vai anunciar com 1 mes o preco, se nem ele mesmo sabe por quanto ira vender seu produto? A solucao e seguir a sugestao do Paulo Fernandes da APLISI de utilizar o CEPEA que da uma previsao de 12 meses para frente! E a solucao da pecuaria do Brasil! Porque o amigo Guilherme Alves Mello Franco não se associa a APLISI e assim resolve o problema dele?
GUILHERME CARDOSO GOMIDES

GOIÂNIA - GOIÁS - REVENDA DE PRODUTOS AGROPECUÁRIOS

EM 06/07/2012

A lei pode ser uma ferramenta importante de administração, como pode também acabar prejudicando tanto o laticínio como o produtor devido o risco daqueles menos eficientes migrarem de laticínio com maior frequência.
GUILHERME ALVES DE MELLO FRANCO

JUIZ DE FORA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 06/07/2012

Prezados Senhores: Dos cinco comentários que me sucedem, quatro são a favor da lei e, apenas um, contra. Sintomaticamente, este único dissidente é da indústria. Por que será?

Muito embora entenda que o que vai acontecer (aliás, já está acontecendo) é a reunião de todos os laticínios de uma região, para estabelecerem um preço padrão (bem baixo) e tentar fugir do mercado da livre concorrência, pelo menos saberemos o que vamos receber pelo leite entregue, com antecipação e poderemos planejar melhor nosso empreendimento.

A formação de cartel, todavia, deverá ser fiscalizada pelos organismos competentes.

GUILHERME ALVES DE MELLO FRANCO

FAZENDA SESMARIA - OLARIA - MG

=HÁ SETE ANOS CONFINANDO QUALIDADE=
DARLANI PORCARO

MURIAÉ - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 05/07/2012

O mais importante elo da cadeia leiteira, são os mercados, onde os produtos são consumidos, e o que está acontecendo , é que os laticínios não abaixaram o prêço dos produtos para eles  e até aumentaram, conforme eu conversei com um gerente de supermercado. Então o valor de queijo, requeijão , iogurtes etc, estão nas prateleiras com o mesmo ou até maior valor de mês atrás, então não tem jeito , o produto não vende, a corda arrebenta para o lado mais fraco que somos nós. O meu latcinio não quis dar o valor do leite  a pagar em julho, falou que ia entrar em reunião, e o pior, não tem aonde ir, assim fica dificil encarar de uma maneira séria o setor leiteiro neste país.
EBER SILVA DE PAIVA

RUBIATABA - GOIÁS - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA A PRODUÇÃO

EM 05/07/2012

o Produtor de leite teve q se modernizar, em todos seguimento da sua produção, tendo cada dia mais exigencia, e ja do outro lado da porteira, o que podemos falar q ate hoje o produtor fica sabendo do preço do leite apos 60 dias, isso é locura vc gasta e tem que ter "uma bola de cristal" para controlar custo por não saber o que vai receber.
MARISANDRA DA SILVA CASALI

CRUZ ALTA - RIO GRANDE DO SUL - PESQUISA/ENSINO

EM 04/07/2012

Ao meu ver, saber o preço do produto que você comercializa ou irá comercializar só pode ser positivo para o vendedor. O laticínio que praticar preços abaixo do mercado pode ser substituído por outro, e por falar em risco, quem será que anda arcando com o risco na atual conjuntura? o produtor que é o elo mais frágil da cadeia. Já é hora de virar esse jogo e ao menos, equilibrar esse mercado tão importante pra nossa economia.
OBERDAN SCARIOT

TAPEJARA - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 04/07/2012

Eu acho que a lei não vai dar em nada. Pois, os laticinios ja encontraram uma forma de enrolar o produtor pois eles garantem um preço e o preço que garantem é sempre  muito abaixo da realidade!
JOÃO PAULO AMUI QUEIROZ

CACHOEIRA ALTA - GOIÁS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 04/07/2012

Sem dúvida alguma estimulará a concorrência, o que é bom para melhorar o preço, precisamos muito de ajuda para evitar o famoso cartel, insumos sobem a galope e o leite fica na gangorra!!
AILTON LAURINDO

CAMPO BELO - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA LATICÍNIOS

EM 04/07/2012

Isto não vai ajudar em nada os Produtores, pois as Empresa depende do mercado para bálisar estes preços, e como este é sanzonal fica difícil determinar os mesmos um mês antes de acontecerem as vendas, com isto será divulgado um preço básico  e o restante será, qualidade, fidelidade e volume e etc..