ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Decreto que centraliza inspeção animal pode sair na semana que vem

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 25/10/2017

1 MIN DE LEITURA

0
0
O diretor do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal do Ministério da Agricultura (Dipoa), José Luís Vargas, disse que o decreto que o governo prepara para centralizar o sistema de inspeção animal em Brasília poderá ser publicado na próxima semana.

A publicação vem sendo prometida há quase três meses pelo ministro Blairo Maggi, como parte de um pacote de medidas para melhorar a fiscalização agropecuária no país depois da Operação Carne Fraca, deflagrada pela Polícia Federal em março com foco em casos de corrupção entre fiscais agropecuários e funcionários de frigoríficos. “O ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, já informou ao ministro Blairo que o decreto sobre a verticalização da inspeção animal está para sair até a próxima semana”, disse Vargas em audiência pública na Comissão de Agricultura da Câmara para discutir o sistema de defesa agropecuária nacional.

Conforme já informou ao Valor o secretário de Defesa Agropecuária do Ministério, Luís Eduardo Rangel, o decreto deverá instituir o chamado sistema de “comando e controle” para a área de inspeção animal e acabar com a excessiva hierarquia que existe hoje na tomada de decisões nessa seara.

Na prática, a medida centraliza na sede do ministério, em Brasília, todas as ordens de serviço de fiscalização federal para frigoríficos e outras fábricas de alimentos de origem animal — como laticínios, por exemplo. Com isso, o Dipoa passará a ter controle sobre os fiscais que atuam nos frigoríficos. Hoje, esse papel é das superintendências estaduais do ministério, principais alvos da Carne Fraca.

Entre as demais mudanças no sistema de fiscalização previstas pelo ministério e que também ainda não saíram do papel estão uma Medida Provisória ou projeto de lei para criação de uma nova SDA com autonomia financeira, orçamentária e administrativa. A medida vem sendo considerada uma tentativa de ”terceirização” pelo Sindicato Nacional dos Auditores Federais Agropecuários (Anffa Sindical).

A criação de um fundo abastecido com a cobrança de taxas por serviços de defesa, como emissão de certificados sanitários e fitossanitários, exames de laboratório e registro de plantas industriais, e que teria potencial para arrecadar cerca de R$ 1 bilhão por ano, também continua nos planos.

As informações são do jornal Valor Econômico. 

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint