ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

CQuali aponta indícios de fraude em leite

O Programa Nacional de Combate à Fraude no Leite, conduzido pelo Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (DIPOA/MAPA), segue determinando à adoção de Regime Especial de Fiscalização nos casos de constatação de indícios de fraude. Na última semana foi determinada a suspensão da expedição de produtos ao comércio referentes a sete estabelecimentos.

A Indústria de Alimentos Nilza, localizada em Ribeirão Preto/SP, e a Usina de Laticínios Jussara, localizada em Patrocínio Paulista/SP, foram submetidas a Regime Especial de Fiscalização em decorrência de resultados de análises oficiais que demonstraram indicativos de adição de soro, proveniente do processamento do queijo, no leite UHT.

O mesmo motivo desencadeou a adoção da referida medida cautelar nos estabelecimentos: J.C. Indústria e Comércio de Lactose e Laticínios, localizada em Manaus/AM; Cordilat Alimentos, localizada em Canindé de São Francisco/PE; e Agropecuária Irmãos Avelino, localizada em Paraíba do Sul/RJ, sendo que os dois primeiros foram implicados em resultados irregulares do produto leite em pó e o último incorreu infração no leite pasteurizado.

A empresa Laticínios Bom Gosto, localizada em Tapejara/RS, também foi submetida a Regime Especial de Fiscalização devido à constatação em análises oficiais de presença de amido em amostra de leite UHT. A presença de amido no leite indica suposta correção da densidade do leite alterada por adição de água ao produto.

O estabelecimento Indústria de Laticínios Pavlat, localizada em Pavarena/RS, foi proibido temporariamente de expedir leite UHT para o comércio devido a resultados de análises sucessivos que não atendem aos padrões legais vigentes.

A suspensão das medidas cautelares impostas está condicionada à constatação de resultados de análises laboratoriais em conformidade com a legislação vigente e a apresentação pelos estabelecimentos de um Plano de Medidas de Controle e Monitoramento da Qualidade e Conformidade, devidamente implantado e aprovado pelo Serviço de Inspeção Federal.

Ontem (14), após novas análises de leite, Bom Gosto e Nilza foram liberadas do regime, segundo o Dipoa, que é responsável pelo Programa Nacional de Combate à Fraude no Leite. A Jussara afirmou que não foi submetida ao regime.

A Bom Gosto informou que na segunda (12) já foi excluída do regime especial. Conforme a empresa, depois da notificação do ministério, amostras de três lotes de leite UHT foram encaminhadas a laboratórios credenciados, sem que tenha sido detectada qualquer anormalidade nos produtos. No fim da tarde de ontem (14), foi a vez da empresa Nilza informar que havia saído do regime após novas análises do ministério.

A suposta adição de soro também foi o problema encontrado em amostras de leite longa vida da Jussara, segundo o CQuali. A empresa contesta. O diretor Laércio Barbosa afirmou que a metodologia de análise usada na fiscalização é "falha" porque aponta falso positivo e que o próprio ministério reconheceu isso, tanto que instrução normativa da pasta instituiu uma nova metodologia para impedir que isso ocorra.

Barbosa disse que uma segunda análise em laboratório credenciado não indicou a presença de soro em leite da Jussara. "Não temos produto com irregularidade", afirmou ele, acrescentando que a empresa não deixou de comercializar.

As informações são do CQuali Leite e do jornal Valor Econômico, resumidas e adaptadas pela Equipe MilkPoint.

4

COMENTÁRIOS SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Seu comentário será exibido, assim que aprovado, para todos os usuários que acessarem este material.

Seu comentário não será publicado e apenas os moderadores do portal poderão visualizá-lo.

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

EDUARDO FONSECA PORTUGAL

MARECHAL CÂNDIDO RONDON - PARANÁ - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 19/04/2010

Srs,Muito importante não perder o foco!O Brasil só será reconhecido com um dos grandes países do setor lácteo,quando acabarem as mágicas! Os ganhos de forma fraudulenta,só atrasam o nosso processo de melhoria contínua em qualidade de leite e seus subprodutos! Enquanto dermos combustível para os "espertos" continuarem a burlar as normas de qualidade de leite em nosso "País",padeceremos perante a opinião pública internacional,que no Brasil ainda se produz leite de várias composições o que impede o avanço do setor como um dos sustentáculos da atividade agropecuária nacional.Faço parte de um seleto grupo de abenegados do setor lácteo que acredita que "Leite de Qualidade " produz bons resultados dentro da cadeia do leite! abçs,Portugal.
LEANDRO ROSSONI

CHAPECÓ - SANTA CATARINA - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 18/04/2010

Medidas como estas que deverão ser realizadas constantemente para evitar supostas ´adulterações´ dos produtos.
Somente assim conseguiremos mudar o senário do LEITE Brasileiro e conseguirmos resgatar a confiabilidade dos produtos.

Excelente trabalho do Ministério, todos NÓS podemos fazer parte deste trabalho para o sucesso do Brasil.

Att. Leandro Rossoni
SAVIO

BARBACENA - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 15/04/2010

É de relevante importancia para o mercado ações efetivas de fiscalização da qualidade do produto.
Parabéns ao Ministério pelo trabalho realizado.

Um abraço;

Sávio Santiago
DARLANI PORCARO

MURIAÉ - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 15/04/2010

Parabenizo os fiscais do DIPOA e MAPA pelo belo trabalho, e que continue realizando essas fiscalizações para o bem do leite brasileiro.

O que pode ocorrer é que o consumidor dê preferencia ao leite de outros lugares, pois todos nós sabemos que o leite no Brasil não tem uma fiscalização rígida, não dando confiança ao consumidor. Esperamos, nós produtores, do governo , que as coisas melhorem nesta área.