ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Código Florestal: entidades buscam consenso

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 17/03/2011

1 MIN DE LEITURA

2
0
O presidente da Câmara, Marco Maia, recebeu nesta quarta-feira uma proposta de consenso acerca de 16 pontos abordados pelo novo Código Florestal (PL 1876/99). A proposta é fruto do trabalho realizado ao longo de sete meses pelo grupo de debate Diálogo Florestal, formado por 32 empresas produtoras de papel e celulose e 28 organizações não-governamentais ambientalistas.

"A ideia era diminuir a distância entre os dois lados, aproveitando os insumos produzidos por cada um e criando um caminho intermediário favorável a ambas as partes", resumiu Elizabeth Carvalhaes, presidente da Associação Brasileira de Celulose e Papel.

O documento propõe textos de consenso para pontos polêmicos do Código Florestal, como os que tratam sobre área rural, áreas de proteção permanente (APPs) ciliar e de rios menores, uso de topos de morro e os conceitos de pequena propriedade e posse rural familiar.

Aldo: punições vão colocar 100% das propriedades rurais ilegais

Relator do projeto que altera o Código Florestal, o deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP), reiterou há pouco que a entrada em vigor das punições para produtores rurais que desrespeitaram as leis ambientais será "uma tragédia injustificável". "Não podemos aceitar que, aplicada a legislação em vigor, 100% das propriedades rurais do Brasil entrem na ilegalidade", sentenciou.

As informações são da Agência Câmara, resumidas e adaptadas pela Equipe AgriPoint.

2

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

WILSON TARCISO GIEMBINSKY

PARACATU - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE

EM 19/03/2011

Seria ótimo que uma vez cumpridas as exigências legais de APPs e RL, pudessemos trabalhar livremente as outras áreas, mas infeleizmente não é sito que ocorre, precisamos passar por pedidos de licença e vistorias que atravancam nosso dia a dia.
Em alguns estados eucalipto é tratado como cultura normal, basta que emitamos a nota fiscal de produtor que deve acompanhar a carga.
Em outros estados temos que pedir licença de corte, pagar vistoria, esperar liberação e alem de prestarmos conta ao fisco temos que também prestar contas aos orgãos florestais.
Afinal eucalipto foi plantado para colher, é uma cultura como outra qualquer, apenas de ciclo mais longo!
FRANCISCO EDUARDO DE QUEIROZ PEREIRA CALÇAS

LINS - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE

EM 19/03/2011

parabéns deputado Aldo Rebelo, pelo relatorio, e pelo trabalho de defender os produtores rurais, que móve esse país

MilkPoint AgriPoint