ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Cepea: derivados forçam queda de preço na entressafra

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 01/08/2008

2 MIN DE LEITURA

4
0
Pela primeira vez neste ano, os preços pagos aos produtores caíram na maioria dos estados da pesquisa do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP. Pode até parecer um contra-senso, em plena entressafra, os valores recebidos pelos produtores recuarem, mas os acontecimentos dos últimos meses justificam essas variações. Na pesquisa de preços de junho, quando era perguntada a expectativa sobre as cotações em julho, 56,3% dos informantes (78,5% do volume de leite) já apostavam em quedas para o atual pagamento.

O preço médio para o pagamento de julho nos sete estados tradicionalmente considerados pelo Cepea para a composição da "média nacional" foi de R$ 0,7465/litro bruto, sem o desconto de impostos e frete, recuo de 2,21% no mês, que corresponde a 1,7 centavo frente ao pagamento anterior.

Os derivados, tendo como base o estado de São Paulo, mesmo valorizando na comparação de junho com maio, 1,62% em média, acumulam aumento inferior ao concedido para o leite ao produtor nos últimos 12 meses, deixando a indústria com menos força para continuar com os patamares de preços existentes pagos pela matéria-prima até então.

As pesquisas do Cepea mostram que, em junho de 2007, o quilo do leite em pó equivalia a 16,47 litros de leite ao produtor paulista, ao passo que no mesmo mês deste ano equivale a 13,53, uma redução de 17,85%. Para a mussarela, a perda comparativa da indústria chega a 20,5%. Em junho de 2007, com um quilo do queijo era possível pagar 15,22 litros de leite ao produtor, ao passo que a relação em junho/08 esteve em 12,1 litros/kg mussarela. Com perda relativa ainda maior está o UHT, cuja relação passou de 2,82 para 1,92, um recuo de quase 32%.

Com relação ao volume de leite captado, o que ocorreu neste ano também foi atípico na comparação de junho com maio, quando o volume aumentou somente 0,24%, segundo o Índice de Captação de Leite (ICAP-L/Cepea). No mesmo período de 2006, houve um aumento de 2,14%, e no ano passado, de 4,58%. Este fato pode estar ligado às quedas de preços anunciadas antecipadamente e aos aumentos dos preços dos insumos.

Pesquisadores do Cepea destacam que, mesmo assim, o volume captado pelas indústrias em junho deste ano está 20,38% maior que o do mesmo mês do ano passado. Este pode ser considerado um segundo fator para fundamentar a primeira queda de preços do ano.

Julho

Entre as praças consultadas pelo Cepea, a maior queda em julho, de pouco mais de 3 centavos por litro, ocorreu em Goiás. Com isso, a média neste estado caiu para R$ 0,7495/litro, ficando, pela primeira vez no ano, abaixo das médias de Minas Gerais e São Paulo. Em MG, o recuo foi de 2 centavos, com o preço a R$ 0,7589/litro. Em São Paulo, onde a baixa foi de pouco mais de 1 centavo, a média passou para R$ 0,7925/litro.

Em Santa Catarina e no Paraná, os preços caíram 1,4 centavo, para R$ 0,6948 e R$ 0,7126/litro, respectivamente. No Rio Grande do Sul e na Bahia, as cotações permaneceram praticamente estáveis, em R$ 0,7033/litro e R$ 0,6504/litro, nesta ordem.

Para o próximo pagamento, 81,3% dos compradores (representantes de laticínios e cooperativas) consultados pelo Cepea, que representam 93,1% do do leite captado pelos entrevistados, apostam em novas quedas de preços.

Gráfico 1. ICAP-L/Cepea - Índice de Captação de Leite - junho/08. (Base 100=junho/2004)


Clique na imagem para ampliá-la.

Gráfico 2. Série de preços médios pagos ao produtor - deflacionada pelo IPCA


Clique na imagem para ampliá-la.

As informações são do Cepea.

4

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

SELMO ROSA DE ARAUJO

GUARACI - PARANÁ - REVENDA DE PRODUTOS AGROPECUÁRIOS

EM 07/08/2008

Nós ja tivemos uma queda dos preços do leite em junho e está previsto mais outra queda para julho, e com relação aos meses seguintes quais são as perpectivas, até quando esta queda de preços vai persistir?

Eu já houvi conversa de que o preço do leite pode até voltar para os R$0,40 litro, caso isso for verdade não sobrara uma vaca de leite viva, e com muita razão; e outra, se nós produtores de leite fôssemos unidos jogariamos a nossa produção de leite fora durante um mês o que causaria um caos nas redes de laticinios, e assim nós poderiamos ter direito de opinar quanto aos preços.
JOSÉ GERALDO ALVES

CURITIBA - PARANÁ - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 06/08/2008

A retração do preço do leite não pode e não deve abater os produtores de leite. É preciso continuarmos os trabalhos de organização dos produtores e da produção. Somente com organização dos produtores, domínio sobre a produção, bons contratos de fornecimento de leite às industruias estabelecendo compromissos e responsabilidades das partes, gestão das propriedades, será possivel projetar o crescimento e desevolvimento da produção de leite com ganhos para todos os elos da cadeia. Parabens pelos artigos.
EDMILSON DANIEL STELLA

GUARANTÃ DO NORTE - MATO GROSSO - REVENDA DE PRODUTOS AGROPECUÁRIOS

EM 01/08/2008

No municipio de Guarantã do Norte-MT e cidades vizinhas o leite teve uma queda na casa de R$ 0,10 sendo hoje pago pelos laticínios em média R$ 0,48.
VALDIR GOERGEN

AUGUSTO PESTANA - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 01/08/2008

Parabens ao Artigo. Só temos a lamentar, porque o produtor fez a sua parte pois os compradores pediram que o produtor investisse na produção de leite e é o que nos fizemos agora temos que amargar a alta dos insumos e a baixa dos preços em função da grande produção. Também deixo bem claro que leite não é como grão voce desiste a qualquer momento ou voce aumenta a produção em seis meses. Para fazer uma vaca necessitamos de no mínimo 2 anos e 9 meses. Mas não vamos desistir pois estamos colocando na mesa do consumidor um dos produtos mais completos que a mãe natureza criou, este é o nosso orgulho.
Um abraço.
MilkPoint AgriPoint