ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Cade determina que Nestlé venda Garoto

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 05/02/2004

2 MIN DE LEITURA

0
0
O Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) determinou ontem que a operação de compra da brasileira Chocolates Garoto pela multinacional Nestlé seja desfeita em até 150 dias. Após quatro horas de julgamento, que ocorria sob segredo havia duas semanas, o conselho reprovou, por cinco a um, a fusão das empresas devido à alta concentração de mercado resultante da operação.

Não há possibilidade de recurso no âmbito do Cade. A decisão foi tomada dois anos depois de o negócio ter sido fechado, por US$ 250 milhões, em fevereiro de 2002. O único voto contrário foi do presidente do Cade, João Grandino Rodas, que defendeu a aprovação com restrições.

Foi a primeira vez em que o conselho determinou a desconstituição, integral, de uma operação com empresas de peso. Em 2001, ano anterior à fusão, a Nestlé faturou R$ 4,8 bilhões no Brasil e a Garoto, R$ 547 milhões.

Em seu voto, o relator do caso, Thompson Andrade, argumentou que a operação deveria ser desfeita porque gerou grande concentração. Um dos pareceres utilizados por ele mostra que as duas empresas teriam 100% do mercado de cobertura de chocolate líquido e 88,5% do de cobertura sólida. Em outras áreas, a concentração também passava de 50%.

Além da elevada concentração, a fusão criaria grandes barreiras para a entrada de outras empresas no setor, na avaliação do relator.

A última questão analisada por ele foi o grau de eficiência gerado pela fusão, que, segundo as próprias empresas, deveria atingir um patamar mínimo de 12%. "A última trincheira que seria capaz de constituir um elemento favorável à operação, que seria a redução de custos decorrente da fusão, acabou não se comprovando. A redução de custos [eficiência] ficou no máximo em 2,7%".

Agora a Nestlé deverá, em 20 dias a contar da publicação da decisão, apresentar duas empresas de auditoria aos conselheiros. A primeira fará uma auditoria na Garoto e preparará um laudo pericial de avaliação de preço em 40 dias. A segunda acompanhará todo o processo de venda e também estará habilitada a identificar compradores para a Garoto.

Depois de o laudo ser encaminhado ao Cade e aprovado em sessão do conselho, a Nestlé deverá vender a Garoto em 90 dias, sob pena de ser multada em R$ 30 mil diários. Os prazos podem ser prorrogados.

Em nota divulgada após o julgamento, a Nestlé se disse "surpresa e perplexa com a posição radical" da maioria do Cade. A empresa vai estudar a possibilidade de recorrer à Justiça comum para reverter a decisão. "O processo não terminou. Vamos analisar a fundo para ver se existem medidas a serem tomadas", afirmou o presidente da empresa no Brasil, Ivan Zurita, que acompanhou a votação no plenário. "Era uma fábrica que estava por fechar (antes da compra pela Nestlé). E hoje outra vez vamos tocar na tranqüilidade dos três mil colaboradores", disse.

Os conselheiros do Cade acreditam que a Garoto terá outros compradores. Segundo duas fontes que acompanharam de perto a análise do caso, a fabricante britânica de chocolates Cadbury mantém o interesse em adquirir os ativos da Garoto. A empresa britânica tentou comprar a Garoto em 2002, mas perdeu a corrida para a concorrente suíça, que a adquiriu por cerca de US$ 250 milhões.

Fonte: Folha de S.Paulo (por Julianna Sofia) e O Estado de S.Paulo (por Theo Saad), adaptado por Equipe MilkPoint

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint