ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Argentina teve queda de 13,9% mensais no número de propriedades leiteiras

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 11/12/2003

1 MIN DE LEITURA

0
0
O fechamento de propriedades leiteiras tem-se mantido na Argentina e alcança valores alarmantes, segundo os últimos indicadores divulgados pela Secretaria da Agricultura, Pecuária, Pesca e Alimentação (SAGPyA).

De acordo com o informativo oficial atualizado em outubro passado, nos primeiros dez meses do ano, houve diminuição constante do número de propriedades leiteiras, alcançando uma média de -13,9% por mês. As baixas mais importantes ocorreram durante abril, maio e junho, quando a redução no número de propriedades leiteiras ficou entre 15,4% e 15,5%.

A tendência mostrou leve melhora no segundo semestre, ainda que a queda de estabelecimentos se tenha mantido constante.

A Secretaria revelou que, em julho, o número de propriedades leiteiras que entregaram leite às indústrias foi 14,2% inferior ao de junho; em agosto, a redução ficou em 13,2%; em setembro, houve queda de 12,5%, enquanto, em outubro, o número de propriedades leiteiras diminuiu 10,5% em relação ao do mês anterior.

No entanto, o nível de recepção total de leite nas grandes indústrias, que chegou a cair 17,6% em maio, conseguiu atenuar o nível de queda, apesar de a produção estar em contínuo decréscimo.

Em outubro, as principais indústrias receberam 1% menos de matéria-prima que em setembro. No entanto, houve aumento do volume de leite produzido por propriedade leiteira. Em outubro, cada propriedade produziu uma média de 10,6% a mais que em setembro.

Isto indica que a tendência de fechamento de estabelecimentos está acompanhada por outro movimento, menos significativo, de concentração da produção em menor quantidade de propriedades leiteiras, mas com maior volume produzido.

Vale destacar que a produção leiteira argentina tem apresentado constante queda, a qual, nos últimos anos, foi agravada pela instabilidade do setor e sua falta de rentabilidade, que a impede de competir com outras atividades, como a agricultura.

Neste sentido, vale mencionar que cada vez mais produtores leiteiros inclinam-se a deixar a atividade leiteira para dedicar-se à agricultura, atraídos pelo boom na cultura da soja. Esta tendência se expressa no fechamento de propriedades leiteiras e tem como conseqüência uma queda do volume anual da produção de leite na Argentina, redução esta constante há quatro anos.

Fonte: Diario Castellanos/Infortambo, adaptado por Equipe MilkPoint

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint