ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

ARG: para a indústria produção aumentará 5% em 2010

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 24/03/2010

2 MIN DE LEITURA

0
0
As indústrias de lácteos da Argentina estão prognosticando para esse ano um aumento de 5% na produção de leite e, inclusive, estão dispostas a melhorar o preço pago aos produtores. Desde o último acordo alcançado em julho passado, o preço por litro de leite cru passou de 0,78 pesos (US$ 0,20) por litro para 1,10 pesos (US$ 0,28) por litro atualmente. Para o leite com mais valor agregado, o preço é de 1,30 pesos (US$ 0,33) por litro.

Nesse contexto, os que sofrem com a bonança do setor são os consumidores, uma vez que até agora nesse ano, os preços do leite, queijos e iogurtes não param de subir. O Centro da Indústria Leiteira (CIL) disse que somente foram aplicados aumentos de 2% (em produtos básicos) a 6% (para os premium), todos autorizados pela Secretaria de Comércio Interior. Porém, a realidade nas gôndolas argentinas é outra. A forte demanda de produtos lácteos, tanto do mercado interno como do exterior - a Argentina exporta para 110 países - abre perspectivas positivas para 2010. Desde 2008, a produção total de produtos lácteos se estabilizou em 10 bilhões de litros anuais em um mercado que move 20 bilhões de pesos (US$ 5,16 bilhões) por ano.

No final de fevereiro, o Governo nacional lançou um Plano Estratégico para o Setor Leiteiro, que foi bem recebido pelos produtores, industriais e trabalhadores do setor, ainda que o plano ainda não foi colocado em marcha.

"Hoje há boa capacidade de demanda, tanto a nível local como internacional, de forma que se pode transferir aos produtores um valor razoável por litro", disse o presidente do CIL, Miguel Paulón. Ele disse que o preço médio atual, de 1,10 pesos (US$ 0,28) por litro, "supõe uma melhora de 40% sobre os valores de julho de 2009" e destaca que as perspectivas para esse ano são boas, porque há reservas de matéria-prima acumulada, animais preparados para a produção e boa relação insumo-produto para a indústria.

"Tudo isso leva a prever um aumento da produção que terá esse ano um piso de 5% com relação a 2009, mas que poderia ser ainda um pouco mais". Podem ocorrer problemas, não somente pelo fator climático - no ano passado, a seca afetou as pastagens e impactou na produção -, mas também, pelas possíveis intervenções no mercado por parte do Governo.

No entanto, o presidente da União Geral de Produtores de Leite, Emiliano Amondarain, disse que "embora tenha havido uma pequena recuperação dos preços, sabemos que a indústria poderia estar pagando mais aos produtores". Nesse sentido, ele reconhece que, quando se obtêm produtos melhores, a indústria paga mais; no entanto, adverte que "está vendo um tipo de cartelização na indústria, já que as grandes empresas têm fixado os preços a pagar aos produtores". Por isso, disse que "é necessário trabalhar para melhorar a transparência do setor".

Das cerca de 700 empresas processadoras de lácteos da Argentina, somente nove concentram 55% da produção. Por sua vez, o Serviço Nacional de Sanidade e Qualidade Agroalimentar (Senasa) estima que 82% das exportações de 2009 (em valor) correspondem a somente 10 firmas.

Em 23/03/10 - 1 Peso Argentino = US$ 0,25849
3,86192 Peso Argentino = US$ 1 (Fonte: Oanda.com)

A reportagem é do site www.ieco.clarin.com, publicada no Infortambo, adaptada e traduzida pela Equipe MilkPoint.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint