ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Alagoas inaugura beneficiadora de leite de cabra

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 19/12/2005

2 MIN DE LEITURA

0
0
Além de manter a "saúde das crianças", o leite produzido diariamente pelos animais de Danilo Silva dos Santos e de outros 42 agricultores significa perspectiva de progresso econômico. Eles uniram forças e acabam de fundar a primeira indústria de beneficiamento de leite caprino do Sertão alagoano.

A indústria dos agricultores "acostumados" à agonia do verão, por falta de alternativa ou orientação técnica, está encravada no Assentamento Selma Bandeira, entre São José da Tapera e Pão de Açúcar. "Só aparecia aqui nesse fim de mundo quem tinha negócio", brinca Danilo Silva.

E foi justamente a perspectiva do bom e próspero negócio, que é produzir derivados de leite de cabra para satisfazer o paladar de exigentes consumidores abastados, que pôs no destino dos 43 agricultores representantes do Sebrae, Iteral e Banco do Nordeste.

"Eles não agregavam valor ao leite pelas suas cabras. Então, discutimos com a associação sobre a viabilidade de criar uma indústria beneficiadora de leite de cabra na região", disse a consultora do Sebrae para o programa de Arranjo Produtivo Local (APL) de Ovinocaprinocultura, Vania Brandão.

A partir da criação de um condomínio de empreendedores sob comando da Cooperativa dos Agricultores Familiares de Alagoas (Cafisa), os 43 agricultores compreenderam a necessidade de eliminar a figura do atravessador, que só lhes pagava R$ 0,30 pelo litro de leite de cabra.

"A procura pelo leite era indício de que havia comprador", explicou o presidente da Cafisa, Marco Antônio Nunes Salgueiro, e um dos responsáveis pela "mudança de comportamento" dos agricultores que até então "só vendiam mão-de-obra" e agora "são empreendedores rurais".

Antes de se livrar do atravessador, os empreendedores rurais concordaram em se submeter, durante um ano e meio, a um longo processo de capacitação gerencial sob coordenação de Reginaldo Guedes, agrônomo gestor do APL de Ovinocaprinocultura em Alagoas.

"A gente trabalha agora com produto de qualidade e cujo destino um dia será a mesa do barão", explicou o criador e empreendedor Juraci Pedro de Souza (48), presidente da Associação do Assentamento Selma Bandeira, viabilizado com recursos do Programa Banco da Terra.

O sonho de empreendedorismo e renda certa no fim do mês viraram realidade quarta-feira passada, quando lideranças políticas enfrentaram o calor escaldante para testemunhar, em plena caatinga, a inauguração da primeira indústria de beneficiamento de leite caprino de Alagoas.

"Encravada numa região com o pior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do país, a iniciativa é prova concreta de que o sertanejo não precisa depender sempre de esmola oficial para sobreviver com dignidade", arrematou José Antônio, prefeito de São José da Tapera.

Fonte: Tribuna de Alagoas (por Maikel Marques), adaptado por Equipe MilkPoint

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint