Você está em: Comunidade > Colunistas > Blog

Suco de soja: um substituto para o leite?

Por Vanerli Beloti - postado em 01/03/2016

16 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir

 

A leitora Simone Wolf nos enviou um pedido de esclarecimento sobre um artigo, dizendo que a soja pode trazer malefícios à saúde. Darei aqui a minha opinião, baseada em muitos estudos. A soja não é essa maravilha que apregoam, mas também não é uma vilã. O problema é quando você passa a dar a um alimento uma importância que não tem e a utilizá-lo na alimentação com uma frequência e em quantidades que não são adequadas.

A soja tem pelo menos cinco substâncias que podem trazer problemas à saúde, isso se você consumir em grandes quantidades o produto. Fitatos que impedem a absorção do zinco e do cálcio podem levar ao raquitismo e à deficiência das reações enzimáticas do cérebro. Também tem inibidores de proteases que prejudicam o metabolismo de proteínas. A ouvinte ficou surpresa ao ver que há estrogênio no suco de soja e que isso pode trazer problemas e isso é verdade também.

Os mais velhos vão se lembrar de que havia “vacas mecânicas”. Há tempos foram introduzidas nas escolas para fazer leite de soja e os meninos começaram a desenvolver mamas. Esses hormônios vegetais fitoesteróis, simulam os estrógenos humanos, por isso esses sintomas. Isso porque as crianças tomavam todo dia o suco de soja em grandes quantidades. Isso dificilmente aconteceria se não se promovesse uma substituição de vários tipos de alimentos por derivados e compostos à base de soja. O leite é um desses alimentos.

Mesmo não sendo nem parecido com leite de vaca, o suco de soja é chamado de leite e empurrado para a população como um substituto do leite de vaca principalmente nesses tempos de intolerância à lactose e fraudes no leite. Soja não tem nada a ver com leite de vaca, nem na sua composição, nem nos seus nutrientes, nem na atividade biológica nem em nada que se possa comparar. São alimentos completamente diferentes.

Se você não pode tomar leite de vaca, não tenha a ilusão que o suco de soja vai preencher esta lacuna. Não vai. E consumir leite de soja na mesma frequência que se toma leite, pode sim trazer problemas. Se sua preocupação é substituir a proteína do leite, há vários alimentos que oferecem essa possibilidade: carne, ovo, e opções de vegetais como feijão, lentilha, ervilha, cogumelos, brócolis, espinafre e vários cereais, todos são importantes fontes de proteína, incluindo a soja. Mas quem lê a Hora do Leite, sabe que não é só pelos nutrientes que consumimos o leite de vaca, é também por sua atividade biológica, estimulando a absorção de outros componentes como o cálcio e ativando a resposta imune.

Esse apelo de bom alimento faz com que o suco de soja seja vendido por um preço exorbitante. A soja é um alimento bem barato, o rendimento é muito bom, sem motivos para que custe quase o dobro do litro de leite. Assim, a indústria tem um lucro grande com o suco de soja e dissemina a ideia que o suco de soja é um produto nobre, e não é. Observem que os japoneses ingerem muito a soja fermentada, como por exemplo no missô, porém, as bactérias que fazem a fermentação acabam com as “substâncias ruins” e o alimento fica realmente nobre.

Quem tem a felicidade de poder tomar leite, não deve abrir mão desse produto. E se for apenas pasteurizado, melhor ainda. E tome sem ferver!

Escute o áudio sobre o artigo: 


Mande sua pergunta no box baixo:

Até a próxima!

 

Opinião

O texto deste colunista não reflete necessariamente a opinião do site MilkPoint.

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Comentários:

Eduardo Fonseca Portugal

Marechal Cândido Rondon - Paraná - Consultoria/extensão rural
publicado em 04/03/2016

Dra Vanerli...parabéns pelas observações! Chega ser hilário a substituição do leite de vaca ou cabra ou mesmo humano...por leite de soja!!! Isso mostra o desconhecimento em relação as necessidades nutricionais de um mamífero! Não queremos ser polêmicos com os nutrólogos que afirmam que a intolerância à lactose atinge 2/3 da população mundial. Como veterinário de um empresa de alimentos(leite e derivados)temos foco em atender todo tipo de consumidor inclusive os intolerantes à lactose e os parcialmente sensíves! Com o avanço da idade...já que a expectativa de vida no Brasil (IBGE) já passa de 75 anos,trouxe a necessidade de controlar o consumo de lácteos,devido a menor produção de lactase na idade "master"! Sendo assim,em se tratando de leite,os menos entendidos(que se acham entendidos) esquecem  que o verdadeiro valor nutricional do leite não é a lactose(açucar) e nem a gordura e sim a proteína e o cálcio como fontes primordiais! Então intolerantes ou gordinhos,consuma leite e subprodutos deslactosados e de preferência semi-desnatado para uma vida saudável sem perder o foco no cálcio e na proteína muito mais importantes para a nossa homeostase! ...10  seu artigo! Portugal.

Sergio Augusto de Andrade

Jundiaí do Sul - Paraná - Produção de leite (de vaca)
publicado em 04/03/2016

Adorei o artigo. Sou produtor de leite e amante da atividade. Vou enviar o a matéria e o áudio para todos os meus grupos.

Parabéns.

Vanerli Beloti

Londrina - Paraná - Pesquisa/ensino
publicado em 04/03/2016

Obrigada, Sérgio! Sucesso na sua produção!!! abraço

João Leonardo Pires Carvalho Faria

Belo Horizonte - Minas Gerais - Consultoria/extensão rural
publicado em 04/03/2016

Gostamos de ter vilões e heróis em nossa vida e levamos isso para nossa alimentação!

Fernando Ferreira Pinheiro

Belo Horizonte - Minas Gerais - Organização nâo Governamental
publicado em 04/03/2016

O fato é que não existe alimento perfeito, ao contrário, o desenvolvimento da espécie humana passa pelo seu hábito de alimentação onívoro, ou seja, diversificado. É o nosso hábito de consumir alimentos de diversas origens que possibilita uma nutrição equilibrada e capaz de suprir as diversas demandas de nosso organismo. Se houvesse um alimento perfeito, não haveria necessidade de recorrermos a proteínas de origem animal, frutas, cerais, legumes e verduras para compor nossa alimentação. A busca pelo alimento perfeito está na nossa cultura de minimizar o tempo para tudo, inclusive com a alimentação.

Outro ponto, há uma máxima que diz " A diferença entre um remédio e um veneno está só na dosagem", com os alimentos não é diferente, qualquer alimento consumido em excesso levará a algum tipo de distúrbio. Na diversidade genética humana, há pessoas que não podem consumir determinados alimentos, pois são intolerantes ou alérgicos e, graças a tecnologia atual, esses indivíduos hoje possuem recursos para fazer uma alimentação melhor balanceada.

Feitas estas considerações, o setor leiteiro precisa entender que há outras cadeias de alimentos concorrendo pelo consumidor. E essas cadeias vão enfatizar os benefícios de seus produtos em relação ao leite, por diversos tipos de ações de marketing direto e institucional. Como a cadeia do leite é ainda desorganizada e desfragmentada, fica fácil para o concorrente voltar suas ações para o leite. O leite não é perfeito, como o suco de soja não é, como o leite de cabra não é, como as fórmulas infantis não o são, mas o leite é considerado um dos alimentos mais importantes para o ser humano. E isso é uma constatação mundial, pois basta haver recurso financeiro para o ser humano buscar consumir mais lácteos.

Portanto, a cadeia do leite precisa se unir mais, passa a ocupar o seu espaço de destaque, reforçar as qualidades de seus produtos e a força do setor.

Vanerli Beloti

Londrina - Paraná - Pesquisa/ensino
publicado em 04/03/2016

Isso mesmo, Fernando Ferreira! há que se ter bom senso em tudo, inclusive no consumo de alimentos. E também concordo que a cadeia precisa se unir e se fortalecer. Vemos quase nada de marketing do leite no Brasil. Grande abraço

Adilson da Matta Andrade

Muriaé - Minas Gerais - Veterinário e consultor
publicado em 05/03/2016

Boa tarde Dra. Vanerli, nós também (Diretoria do Sindicato Rural de Muriaé), sempre fomos preocupados com a falta de campanha a favor da ingestão do leite, conhecemos em Muriaé uma menina que foi em 2015 campeã mundial de XFC (uma categoria de peso leve de luta livre), e ela comentou conosco que sempre se nutriu com leite e produtos lácteos, como a grande maioria dos atletas necessita de apoio financeiro para continuar suas atividades de treino, acertamos com ela um apoio mensal para o uso da sua imagem e lançamos uma campanha de marketing do leite, na verdade uma campanha para que outras entidades ligadas ao leite se interesse e também se mobilize. O leite é tão necessário no nosso dia a dia que fazer propaganda dele soa como fazer propaganda de oxigênio, mas não perdemos a esperança e lançamos a campanha em outdoor, jornais locais e na rede, pode ser encontrada no site dela POLIANA BOTELHO, nos nossos faces, e face do SINDICATO RURAL DE MURIAÉ, acreditamos nisso, só um aumento de demanda pode dar ao leite seu devido valor.

Vanerli Beloti

Londrina - Paraná - Pesquisa/ensino
publicado em 05/03/2016

Parabéns, Adilson! À você e ao Sindicato Rural de Muriaé! Que a experiência dê boms frutos e  se multiplique! Grande abraço a todos

Eduardo Dornelis

Orlândia - São Paulo - Indústria de laticínios
publicado em 06/03/2016

Parabéns pela explanação clara

Eduardo Dornelis

Orlândia - São Paulo - Indústria de laticínios
publicado em 06/03/2016

daqui a pouco vão vender queijo de leite soja .

Vanerli Beloti

Londrina - Paraná - Pesquisa/ensino
publicado em 06/03/2016

Sim, Eduardo, já vendem!!! É o tofu, este mais interessante nutricionalmente do que o suco! Mas de qualquer forma... não é queijo!

Solange Cristina Canesin de Oliveira

Astorga - Paraná - Consultoria/extensão rural
publicado em 07/03/2016

Parabéns Dra. Vanerli. Concordo com todas as suas palavras principalmente quando fala do marketing negativo que muitas pessoas postam na internet dizendo que o leite faz mal. Faço em meu município há mais de 10 anos campanhas para aumentar o consumo de leite e principalmente o leite em pacotinho. Gostaria que em algum momento postassem no site uma matéria fazendo um comparativo do leite barriga mole em relação ao de caixinha, principalmente a sua composição nutricional, o que fica de bom com o processo de UHT e o comum. As pessoas precisam conhecer o que é bom realmente e acredito que você seja a pessoa certa para esclarecer de forma clara e simples. Pense no assunto e novamente parabéns pelo artigo.

Vanerli Beloti

Londrina - Paraná - Pesquisa/ensino
publicado em 07/03/2016

Obrigada, Solange!! Olha, essa história do leite UHT é bastante polêmica, e suas diferenças em comparação ao leite pasteurizado, são motivo de calorosos embates. Vamos abordar isso numa próxima coluna aqui. Mas já fiz vários programas sobre o tema na Radio UEL. Você pode buscar todos os programas no site da Radio UEL. Vou te mandar um link aqui sobre leite UHT: http://www.uel.br/uelfm/audios/21596-COLUNA_HORA_DO_LEITE.mp3
Veja algo sobre isso também na nossa coluna aqui no MilkPoint, no link: http://www.milkpoint.com.br/mypoint/221468/p_hora_do_leite_leite_de_galao_e_leite_de_saquinho_leite_galao_saquinho_pasteurizado_longa_vida_5578.aspx
abração

Eduardo Fonseca Portugal

Marechal Cândido Rondon - Paraná - Consultoria/extensão rural
publicado em 07/03/2016

...Solange...a sua preocupação é a de muitos!...O melhor seria no meu ponto de vista ...o pasteurizado!...Diferente de outros países...o UHT teve um grande crescimento no Brasil a partir dos anos 90!...Porque?...O nosso pasteurizado apesar de uma pequena evolução na melhoria da materia prima leite...ainda está longe do ideal! Sou veterinário da Frimesa a 25 anos e sempre me preocupei com a qualidade do leite produzido nas propriedades rurais do Oeste e sudoeste do PR !...Naquela época o prazo de validade do Pasteurizado(não gosto do termo barriga mole)era 3 dias...hj em média 5 dias...algumas empresas raramente 7  dias!...pouco não acha?...na América do Norte e Europa...o pasteurizado pode chegar até 30/35 dias de validade...além de embalagens de venda de 3 a 5 lts  comercializados! Confesso q já fazem mais de anos que detectei essa diferença "in loco"! De repente houve novas estratégias no mercado internacional!...O grande lance do pasteurizado é manter parte da flora láctica e alterar o mínimo possível seu extrato seco(EST)devido o processo assim o permitir!...Eo UHT? Veio ao Brasil como salvador da Pátria pois devido a qualidade inferior da nossa matéria prima ...ao esterelizarmos ...aumentariíamos a vida de preteleira do produto(4 a 6 meses)!...nesse caso lá se foi os lactobacilos e tb algumas degradações no EST ! Mas não deixa de ter importância pois a maioria do leite caixinha é enriquecido e para vida moderna acaba atingindo sua finalidade!
Hj no Brasil a I.N.62 avançou nos padrões mínimos de qualidade...e já temos leite Pasteurizado de qualidade superior o que já atinge ótimas perspectivas! "Tome leite ...Leite é Vida!"  Sds,Portugal.

Vanerli Beloti

Londrina - Paraná - Pesquisa/ensino
publicado em 07/03/2016

É isso aí, Portugal!!!!! abração

Vanerli Beloti

Londrina - Paraná - Pesquisa/ensino
publicado em 08/03/2016

Caro Nilson Muniz, trabalho com produtores e indústrias há quase 30 anos, e me considero uma aliada. Sempre defendo o consumo de leite, mas é inegável que há problemas na cadeia. Vou corrigir meu comentário, porque acho que cabem honrosas exceções quanto ao tempo decorrido entre ordenha e beneficiamento, mas vamos fazer umas considerações e cálculos:
Considerando que as indústrias de leite UHT giram de 400 mil a mais de 1 milhão de litros/dia, na grande maioria das vezes é necessário captar o produto em longas distâncias e frequentemente de outras indústrias, o chamado leite spot.
Considerando que o leite fica 48h refrigerado na propriedade leiteira (há poucos grandes produtores que entregam diariamente, como há também montes de pequenos produtores de regiões em que, por exemplo, devido à dificuldade de acesso quando chove,  entregam com periodicidade maior desde que atendam o requisito de estabilidade mínima-alizarol, embora a legislação não permita);
Considerando que os caminhões passam o dia recolhendo o leite até a primeira indústria;
Considerando que, se a indústria de leite UHT, comprar o leite dessa primeira indústria, sendo muito otimista, o leite demorará pelo menos outro turno para chegar (e olha que há indústrias que buscam o leite há mais de 1000 Km de distância)... já teremos 4 dias.

Sobre o leite pasteurizado, as indústrias normalmente destinam o leite mais fresco à produção de leite pasteurizado, para que a validade possa ser maior...

Sobre problemas de intolerância apenas ao leite UHT, como tenho a coluna no rádio, as pessoas relatam diretamente, como aconteceu com a leitora. Mas a questão sobre a transformação da lactose em lactulose é bastante conhecida, ela é produzida pelo aquecimento da lactose em temperaturas superiores a 110 graus, por isso acontece no UHT, mas não no pasteurizado.  A lactulose não é digerível, chegando íntegra ao intestino grosso. Isso pode ser considerado um efeito benéfico, por promover o crescimento de algumas bactérias láticas no intestino, mas também pode causar flatulência e diarreia, dependendo do consumidor. Vários produtos farmacêuticos utilizam a lactulose, devido a seu efeito laxativo, bastante desejável em casos de constipação. Agora, imagine que a pessoa não necessite desse efeito...
São problemas que podem acontecer sim, e inclusive podem ser confundidos com intolerância à lactose.  
Temos evoluído bastante na busca da qualidade do leite, mas temos muitos problemas ainda, e o melhor que temos a fazer... é enfrenta-los!!! E viva o leite!
Grande abraço

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes

Enviar comentário

Copyright © 2000 - 2017 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade