Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Radar técnico > Probióticos

Probióticos no comando? Novas descobertas científicas

Por Adriane Elisabete Antunes de Moraes
postado em 22/11/2016

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Vamos começar esse texto com uma palavra nova: microbioma. Agora vamos ao conceito: coleção de micro-organismos que em nós habitam nas diferentes partes do corpo estabelecendo conosco importantes relações de simbiose.

Quem já não se encantou diante de uma barreira de corais durante um mergulho ou teve a experiência de admirá-los mesmo que seja em um aquário? Pois o microbioma pode ser comparado à essa barreira de corais que de tão efêmero é popularmente chamado de “flora”.

Enquanto que nós humanos apresentamos 22.000 genes próprios, nosso microbioma totaliza aproximadamente 10 milhões de genes. Desta forma, os genes desta comunidade que em nós habita, composta por bactérias, vírus, fungos e eventualmente até parasitas pode ser considerado nosso segundo genoma. Sendo que “a união faz a força”, estamos numericamente em desvantagem em relação aos nossos “hóspedes”. Será que somos comandados por eles? A resposta é que nossa relação com o microbioma não é de competição ou supremacia, mas sim uma relação de cooperação. Nós não podemos ter boa saúde e bem-estar sem nossa microbiota, assim como eles também precisam de nós que somos seu habitat.

Como já apresentado em matérias anteriores uma parte desta comunidade é composta por micro-organismos promotores de saúde os quais podemos chamar de probióticos. Um estudo recente apontou que probióticos consumidos regularmente podem melhorar a função cognitiva entre pacientes com demência severa. Foram avaliados pacientes na faixa dos 60 aos 95 anos de idade com Alzheimer. Durante 12 semanas foi oferecido aos pacientes leites probióticos contendo combinações de linhagens de Lactobacillus e Bifidobacterium. Os resultados obtidos são muito animadores!

Esse estudo ilustra que o campo de atuação dos probióticos pode extrapolar o trato intestinal com benefícios sendo aportados até mesmo ao sistema nervoso. Consuma probióticos regularmente e assim boa relação de cooperação com sua flora intestinal estará garantida.

Referências bibliográficas

DIETERT, R. The Human Super-Organism. How the microbiome is revolutionizing the persuit of a healthy life. Dutton. New York. 2016. 341p.

SALAM, M. et al. Effect of probiotic supplementation on congitive function and metabolic status in Alzheimer disease: a radomized, double-bind and controlled trial. Frontiers in Aging Neuroscience, v. 10, 2016.
 

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint Indústria, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2017 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade