ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
VOLTAR
Níveis elevados de uréia na alimentação (1) SEGUIR TÓPICO
FERNANDO J. F. DA SILVA

SÃO CARLOS - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 28/11/2003

Gostaria de saber se alguém tem relatos da utilização de níveis de 450 gramas de uréia na suplementação de animais em pastejo rotacionado irrigado com 3 kg de caroço de algodão
RENATO S. MACHADO POMPÉU-MG

POMPÉU - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 30/11/2003

Não me parece muito lógico, os capins no verão costumam ter niveis adequados de proteína, o Caroço de algodão por si também tem.
Tem um agravante, os níveis de Nitrogênio não proteíco (NNP) e Proteínas solúveis destes capins e do caroço são altos levando a execesso de NNP que depois tem que ser transformada em proteína pelo rúmem e a ureia é pura NNP.
Além do mais o excesso de óleo do Caroço vai prejudicar a fermentação ruminal (logo aquela que vc vai precisar para produzir a proteína apartir do NNP). Procure ficar com no máximo 2Kg de Caroço.
Já vi algo de usar 3 Kg de caroço e pasto (e mais nada) escrito por ai. Particularmente acho que tem que se analizar se a fazenda vai continuar produzindo um volume razoável de leite com este esquema, sob o risco de produzir leite barato mais inviabiliar a unidade com uma escala de produção e receita baixas.
Se fosse você e quisese ficar com no máximo 3 Kg de concentrado, que eu não concordo, usaria 1,5Kg de Ração e 1,5 Kg de Caroço, me parece mais lógico. Se o capim for extra você deve conseguir em torno de 18Kg de leite no pico com média de 12.
Cuidado também com a reprodução pois níveis de alimentação inadequados constuma inibir a reprodução.
Espero ter ajudado
5000 caracteres restantes
REGRAS DO FÓRUM