ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
VOLTAR
esterco de galinha para adubação de pastagem (54) SEGUIR TÓPICO
EDERSON ANTUNES

OUTRO - PARANÁ - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 19/11/2002

Caro Manzano:

No caso de haver disponibilidade dessa fonte, não faz mal aplicar no pasto. Eu recomendaria que aplicasse uma quantidade pequena (em torno de 300 kg/ha)já que o esterco de galinha é um material bem concentrado. Além disso, lembre-se que o solo é um organismo vivo e que a aplicação de qualquer material muito solúvel não é interessante pois afeta os micro e macroorganismos presentes no solo.

Mais informações posso informar pelo e-mail: ederson.voisin@bol.com.br

Dica de amigo: Não recomendo que fique divulgando seu telefone na Internet.

Atenciosamente.


Eng.-Agr. Ederson Antunes
MANZANO

OUTRO - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE

EM 19/11/2002

sou produtor de leite e gostaria de saber a viabilidade do uso
de esterco de galinha na adubação de pastagem (rotacionado) tenho uma média
de três amostras: N:27,4%, P:18%, K:13,5%, Ca:21,5%, Mg:6%, S:5,8%,
Bo:17,8%, Cu:5%, Fe:5.344, Manganês:428, Zn:122
> Atenciosamente,
> Manzano
> cel:18 9795 1538
MARCUS VICENTE PETROSINO

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - SÃO PAULO - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA A PRODUÇÃO

EM 21/11/2002

Discordo do colega Ederson, pois o esterco de galinha possui alto teor de umidade, não caracterizando ser um produto concentrado.
Não diria que este produto "não faz mal aplicar no pasto" como citou Ederson, muito pelo contrário, faz muito bem ! Só que deve ser aplicado em quantidades mais generosas, no mínimo 3 toneladas por hectare, desde que se verifique o custo por tonelada distribuída, comparando com o custo de outras fontes de fertilizantes.
Distribuir homogeneamente apenas 300 Kg por hectare de esterco de galinha é um verdadeiro desafio, as máquinas disponíveis no mercado com certeza não realizam, além de ser perda de tempo e recursos, uma vez que não trará benefício significativo, é muito pouco esterco. Engana o pecuarista pois o leva a pensar que pode substituir uma adubação já realizada por outra aparentemente muito mais barata devido à pouca quantidade sugerida pelo colega Ederson.
Sugiro ao Sr. Manzano que informe o preço do Esterco colocado em sua propriedade, a área de pastagem que deseja adubar, a região que se localiza sua propriedade, a quantidade de animais que deseja manter na pastagem, e se possível uma análise de solo confiável e recente, para que possamos fornecer informações técnicas mais consistentes e livres de ideologismos.
EDERSON ANTUNES

OUTRO - PARANÁ - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 22/11/2002

Caro Manzano:

Encontrei informações técnicas que são de seu interesse. A Fundação ABC na sua publicação mensal, traz um artigo intitulado: "Esterco de aves e seu valor como fertilizante". Nesse artigo escrito pelo pesquisador Volnei Pauletti, são relatados resultados de pesquisa da composição média de esterco de frango de corte, poedeiras e perus. As análises demonstram que o esterco de poedeiras apesar de conter um alto valor de umidade, é o que apresenta maior volume/m3, se comparado aos demais. O esterco é comercializado em m3 e não em toneladas. Nesse estudo demonstrou--se que o esterco de poedeiras é mais rico em Cálcio, Nitrogênio, Fósforo e Potássio do que o esterco de frango. Perde contudo em nutrientes para o esterco de peru.
O estudo acima referido demonstra também que em torno de 50% do esterco aplicado estará disponível para a próxima cultura (liberação gradativa). Dessa forma jamais pode ser encarado como substitutivo para adubação convencional, que é bem mais solúvel a curto prazo.
Cabe salientar também que o material normalmente disponível não é o esterco de frango ou peru, e sim a cama utilizada para forração do aviário. Esse material certamente tem uma decomposição bem mais lenta do que ao esterco de poedeiras, pela alta presença de celulose contida na forragem de madeira utilizada como cama. Por isso, o esterco de poedeiras é mais concentrado (é esterco puro).
É evidente que disponibilidade do material e composição do esterco na região, são fatores a serem considerados quando da determinação da quantidade a ser aplicada. No entanto não creio que aplicação de grandes volmes seja interessante, prefiro aplicação de menores quantidades várias vezes ao ano (dependendo da disponibilidade de maquinário).

Atenciosamente.

Eng.-Agr. Ederson Antunes
MARCUS VICENTE PETROSINO

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - SÃO PAULO - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA A PRODUÇÃO

EM 22/11/2002

Manzano:
Não sei onde vc. mandou analisar suas amostras do suposto esterco de galinha, mas tenho certeza de que está ocorrendo algum equívoco. Não é possível este nível de nitrogênio, seria mais concentrado do que o fertilizante químico Sulfato de Amônio, por exemplo. Os níveis de fósforo e potássio apontados por vc também estão muito altos, bem como todos os outros nutrientes.
Seria interessante vc relatar o teor de umidade do esterco para eu saber de quê exatamente estamos falando, pois basicamente existem dois tipos de esterco de galinha :
Granjas modernas, automatizadas, liberam diariamente o chamado "esterco verde", este sim puro, porém com 70% de umidade, ou seja, mesmo "puro", não é um fertilizante concentrado.
A maioria das granjas, com sistema convencional, liberam o esterco+pouca palha em intervalos de 12 a 18 meses, este possui cerca de 15% de umidade.
Já trabalhei com adubação de pastagens com ambos produtos, sempre analisando seus componentes, e posso afirmar que nos dois casos, a concentração dos nutrientes em BASE SECA variou pouco, só que com valores bem diferentes dos que vc apontou acima. Resumo algumas médias:
Nitrogênio Total: 4,5% até 6%
P2O5 Total: 2,2% até 3,8%
K2O Total: 2,3% até 3,4%
Cálcio: 9,5%
Mg: 0,6%
Estes valores se enquadram em valores encontrados na Literatura, reforçando que há algum equívoco nos números apresentados por você.
Sugiro que envie novas amostras a outro laboratório especializado em análise de fertilizantes, verificando inclusive o teor de umidade do produto. Se desejar me escreva para eu indicar laboratórios confiáveis que conheço.
Abraço a todos !
MARCUS VICENTE PETROSINO

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - SÃO PAULO - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA A PRODUÇÃO

EM 02/12/2002

Este custo "posto Fazenda"de R$ 40,00 por ton. está bem competitivo, visto que o esterco de poedeiras carrega diversos nutrientes, além do componente matéria orgânica, fundamental para solos da região de Itatinga. Desde que vc. tenha como distribuir homogeneamente este esterco, trabalhe com 5 ton por hectare, aplicando no Início das águas (outubro/novembro).
Resido em Botucatu e conheço bem a Região de Itatinga, penso que 500 Kg/ha de Super-Simples, em braquiária decumbens e para a quantidade de animais mensionada em sua área, está um tanto exagerado. O nível de Fósforo do solo de sua propriedade deve ser extremamente baixo, porém orientaria uma evolução mais paulatina dos níveis de adubação fosfatada, uma vez que a extração nem é tão alta assim.
Pergunto:
Que outras adubações foram recomendadas ?
Abraço a todos.
Eng. Agrônomo Marcus Vicente Petrosino
e-mail: m.v.p@uol.com.br
MARIA CHRISTINA HOMEM DE MELLO FIGUEIREDO

SÃO PAULO - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 02/12/2002

Apenas uma correção: meu nome é Maria Christina Homem de Mello Figueiredo
MARIA CHRISTINA HOMEM DE MELLO FIGUEIREDO

SÃO PAULO - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 02/12/2002

Apenas uma correção: meu nome é Maria Chrsitina Homem de Mello Figueiredo
MARIA CHRISTINA HOMEM DE MELLO FIGUEIREDO

SÃO PAULO - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 02/12/2002

Também estou interessada nessa discussão. Temos que buscar saídas possíveis para adubação de pastos rotacionados para produção de leite. O preço do esterco de galinha(granja de poedeiras) é de R$ 40,00 a tonelada posto na fazenda. O pasto já está calcareado e estamos adubando com super simples numa quantidade de 500kg por hectare, segundo a orientação do agrônomo. Estou em Itatinga S.P.(região de Botucatu). A área de pasto rotacionado é de 38 ha com 22 piquetes de brachiaria decumbens, dois conjuntos de 11, onde são mantidas em média 150 vacas jerseys em lactação. A produção leiteira é basicamente a pasto com pequena suplementção de concentrados.Preciso de uma orientação uma vez que são inúmeras e variadas as informações a respeito. Em livro do Professor Malavolta sobre adubação de 1956 ele menciona que o esterco de galinha é um excelente adubo, mas face ao seu custo exorbitante é difícil sua aplicação então a alternativa é utilizar adubo químico!!!.
Nas pesquisas que fiz em livros antigos não há muita informação sobre quantidades a serem aplicadas,a Embrapa fala em quantidades bem maiores das que estão sendo discutidas agora neste forum. Podemos fazer algumas experiências e analisar os resultados em conjunto?
Atenciosamente,
Maria Christina H.M.Figueiredo
MARIA CHRISTINA HOMEM DE MELLO FIGUEIREDO

SÃO PAULO - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 04/12/2002

Obrigada pela orientação.Este é o 4º ano da implantação do pasto rotacionado. As adubações que tem sido recomendadas não variam muito. Foram aplicados 3,7 Ton de calcário dolomítico com PRNT= 80% por ha.
500 kg de super simples por ha.
800 kg de 20/00/20 em 4 aplicações de 200 kg após a saída dos animais. As análises de solo estão na fazenda e no momento não posso informar os dados, mas farei no começo da semana.
Temos uma adubadeira/calcareadeira com capacidade para 2.000 kg, para espalhar 5 Ton por ha teria que fazer em 2 ou 3 etapas como fazemos com o adubo químico. Concordo com você que as orientações para adubação na maior parte das vezes é exagerada,acho que ainda não existe uma cultura de adubação de pastagens entre nós, a coisa vai meio no ensaio e erro, porisso a importância desse Forum Técnico que possibilita essa troca de informação.
Quando for a Itatinga passe para tomar um café, nos dará muito prazer. Maria Christina
ALEXANDRE ROCHA VALERIANO

EM 10/12/2003

Sou acadêmico do curso de agonomia, e filho de produtor de leite na região de Divinopolis-MG, utilizamos esterco de galinha poedeira na adubação de piquetes de braquiarão e mombaça , a os resultados são exelentes ,o pasto fica mais tempo verde que os adubos quimicos, mas o esterco que usamos não possui casca de arroz ou algo parecido é puro mesmo e bem seco pois a granja retira os dejetos da época seca do ano , com relação ao custo chega ma fazenda a R$80,00 a ton e contem 12 % de umidade , acho que vai descidir a compra ou éo custo da ton de matéria seca posto na fazenda..



<hr>
SAMER RAMOS RODRIGUES

CAMPINA GRANDE - PARAIBA - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 21/12/2003

Caros colegas,
O que o amigo Manzano encontrou em sua análise do esterco é que: 27,4% de N, na verdade significa o NNP da composição da PB (que vaia de 17 a 23 % neste tipo de material), portanto, 27% x 20% de PB, temos 5,4% de Nitrogenio realmente e não estes 27% como citado. Outra conta seria R$ 40,00/ton se dividirmos pelo teor de N (5%) temos um custo de R$740,00/ton, daí podemos comparar com outras fontes nitrogenadas, não esquecendo de calcular o custo de distribuição.
Abraços




<hr>
Samer Ramos Rodrigues 
EDIVALDO M STOS

PRESIDENTE EPITÁCIO - SÃO PAULO

EM 13/06/2013

ola esse preco de 40 reais ton e real .
EDIVALDO M STOS

PRESIDENTE EPITÁCIO - SÃO PAULO

EM 13/06/2013

ola esse preco de 40 reais ton e real .
EDIVALDO M STOS

PRESIDENTE EPITÁCIO - SÃO PAULO

EM 13/06/2013

ola esse preco de 40 reais ton e real .
EDIVALDO M STOS

PRESIDENTE EPITÁCIO - SÃO PAULO

EM 13/06/2013

ola esse preco de 40 reais ton e real .
ALEXANDRE ROCHA VALERIANO

EM 13/06/2013

Senhor Edvaldo,

Este preco de 40 reais era em 2003 conforme data do post. Hoje deve estar mais que o dobro.

Abs
MARCELO ERTHAL PIRES

BELÉM - PARÁ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 21/06/2013

Edivaldo

o esterco de suínos tbm, é bastante rico, e muitas vezes é ofertado para desocupar a área, pois sua imensa produção nas granjas, o torna uma grande dor de cabeça para os suinocultores e uma boa solução para quem faz um esforço de distribui-lo no terreno.
Um abraço e votos de sucesso ....

Marcelo Erthal
TELMOLOYOLA

ITABERAÍ - GOIÁS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 31/07/2013

se tiver os estercos de galinha poedeira e cama de frango de corte, com preços compatíveis qual você escolheria
TELMOLOYOLA

ITABERAÍ - GOIÁS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 31/07/2013

Se você tiver esterco de galinha e cama de frango de corte com preços aproximadamente , qual você escolheria
5000 caracteres restantes
REGRAS DO FÓRUM