ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Fabiano Amaro, presidente da DeLaval na América Latina, fala sobre investimentos do grupo e lançamento da ordenhadeira robotizada

NOVIDADES DOS PARCEIROS

EM 16/08/2010

3 MIN DE LEITURA

0
0
Durante o Agroleite 2010, realizado pela cooperativa Castrolanda de 10 a 14 de Agosto, em Castro/PR, a Equipe MilkPoint entrevistou Fabiano Amaro, presidente da DeLaval na América Latina. Fabiano falou dos investimentos e negócios do grupo sueco na América Latina e do lançamento da ordenhadeira robotizada para a região.



MKP: Como os ciclos do mercado lácteo estão relacionados à atividade econômica?

FA: A venda de nossos produtos está relacionada com o nível de atividade econômica dos países, e por consequência, à atividade leiteira. Esses fatores estão ligados, em termos de produção de leite, a investimentos por parte dos produtores e indústria no setor, além do consumo de lácteos pela população. O leite depende do ciclo econômico de um país. Por essa razão a DeLaval tem investido nos mercados emergentes, em que um dos destaques é definitivamente o Brasil.

MKP: Qual é a importância da América Latina nos negócios do grupo?

FA: A companhia tem olhado com bons olhos para as economias emergentes, em especial as da América Latina, que têm apresentado crescimento substancial e de dígito duplo de vendas nos últimos anos. A DeLaval AL (América Latina) é a que mais cresce no mundo.

MKP: Existe uma imagem de que a ordenha robotizada é algo restrito a poucos, muito cara e inviável para a maioria dos casos. Em que grau essa visão está equivocada?

FA: A diferença para o produtor adquirir um robô e um equipamento de ordenha convencional diminuiu nos últimos anos e irá diminuir ainda mais. Além disso, essa tecnologia está amadurecida, estabelecida - já existe na Europa há 10 anos. Hoje, entre 50 e 60% dos novos projetos de ordenha envolvem ordenhadas robotizadas. Outro mito é que apenas pequenos produtores familiares podem ter um robô - já há projetos com milhares de vacas e vários robôs, que deixou de ser um equipamento de um grupo restrito para atingir um maior número de produtores. Estamos falando da massificação desse produto.

MKP: Qual é o custo aproximado e quais as vantagens do robô?

FA: Enquanto um produtor de 150-200 vacas investe entre R$ 200.000 a 250.000 em um novo equipamento automatizado de ordenha, um robô deverá sair na faixa dos R$ 300.000 a 320.000. As vantagens são a melhoria da qualidade do leite, o ganho de eficiência no tempo da ordenha, a eliminação de problemas com mão-de-obra e, principalmente, ganho de qualidade de vida para o produtor. Além da melhoria na qualidade de vida, o tempo extra que esse produtor ganha para investir em si próprio ou em outras atividades adicionais é algo significativo.

A seguir, um vídeo da ordenhadeira robotizada em funcionamento:



MKP: A DeLaval vai comercializar esse produto no Brasil? Compensa, com o custo de nossa mão-de-obra, menor do que a Europeia?

FA: Sim, iremos comercializar no Brasil e na América Latina. Há um conceito equivocado de que nossa mão-de-obra é barata, que resulta em um uso ineficiente desse recurso. Historicamente, isso era verdade - tínhamos uma mão-de-obra barata. Hoje, com a melhoria da renda, pouco a pouco nossa mão-de-obra vai deixando de ser tão barata e passa a ser fundamental utilizá-la de maneira eficiente. Por isso, o robô tende a ser cada vez mais viável no Brasil e em outros países da região, que apresentam a mesma tendência.

MKP: Qual será o perfil do cliente?

FA: Nossa estratégia é vender para produtores profissionais, bom administradores e que tenham na atividade leiteira uma ideia de continuísmo nos negócios. São esses que irão nos ajudar a desenvolver e promover o robô. Teremos também técnicos que farão o acompanhamento das fazendas, além de apostar na auto-aprendizagem (self-learning) de utilização do produto, pelo emprego de uma interface clara e interação com outras tecnologias - o Robô, por exemplo, avisa por celular se houve algum erro durante a ordenha.É essa uma das linhas de desenvolvimento da DeLaval, a convergência e interação de tecnologias entre os produtos. O grupo está desenvolvendo uma série de produtos a serem lançados que terão esse tipo de interação.

Equipe MilkPoint

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint