FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Presença de ácido no topo do silo reduz perdas

No último encontro que nós tivemos por aqui foi discutido sobre a importância de nós produzirmos uma silagem com características únicas entre o topo e o centro do silo. Isso foi ressaltado porque a região periférica dos silos, representada pelo topo e pelas laterais superiores, de modo geral, apresenta algumas diferenças quando comparada à região central do silo, tais como: I) A densidade (kg forragem/m3) é inferior e II) A quantidade de oxigênio proveniente do ambiente que penetra na massa é maior. Essas particularidades fazem com que o topo apresente perfil de fermentação diferente, pois muitos microrganismos necessitam dessas condições para sobreviver e também é a região que mais sofre perdas, principalmente aquelas relacionadas à deterioração aeróbia, a qual é caracterizada pelo intenso desenvolvimento de fungos.

Várias ações de manejo, as quais são essenciais, podem evitar/reduzir essas perdas, conforme foi ressaltado no artigo anterior (clique aqui para ler). Uma delas, porém a de custo mais alto em relação às demais, é aplicar um aditivo diretamente no topo do silo com o objetivo de atacar o problema onde ele realmente existe. Ou seja, se o alvo é a região periférica não faz sentido tratar toda a massa de silagem.

Desse modo, um estudo foi realizado no Departamento de Zootecnia de UFLA para testar o efeito da presença de alguns aditivos na periferia da massa de silagem sobre as perdas durante a estocagem e desabastecimento de silagem de milho estocada em trincheira. O centro do silo foi considerado o nosso ‘controle positivo’, pois é uma região que apresenta o melhor perfil de fermentação e ainda é menos afetada pelo processo de deterioração. O topo do silo sem nenhum aditivo foi considerado o nosso ‘controle negativo’. E o benzoato de sódio diluído em água e aplicado numa taxa de 2 kg por tonelada numa camada periférica de 30 cm foi o ácido testado.

A Figura 1 representada pelo gráfico denominado ‘A’ mostra as perdas e aquele denominado ‘B’ evidencia a digestibilidade das silagens nas diversas partes do silo. Percebam que as perdas no centro do silo são consideradas normais e de baixa escala. Seguindo a mesma tendência foram as perdas apresentadas pelo topo que tinha benzoato de sódio; contudo, onde não havia nenhum aditivo as perdas foram elevadas, ou seja, na prática é silagem que deixa de fazer parte da dieta dos animais.

A digestibilidade das silagens seguiu o mesmo comportamento das perdas. Silagens com maior aproveitamento por parte dos animais foram encontradas no centro do silo (como era esperado) e onde havia o ácido. As silagens que se encontravam no topo e sem aditivo pelo fato de apresentarem maiores perdas foram menos digestíveis.

Figura 1. Perdas e digestibilidade da silagem de milho em diversas partes do silo trincheira.

É importante enfatizar que em tempos de pressão econômica devido à alta dos preços do milho e de seus insumos é crucial que o máximo de nutrientes seja preservado. Este é o primeiro estudo que mostra a importância da aplicação estratégica de aditivos, além de ressaltar o poder que o benzoato de sódio tem de evitar perdas e preservar nutrientes em condições de campo.

Todos os resultados desta pesquisa podem ser encontrados no seguinte artigo: Da Silva, N.C., Dos Santos, J.P., Àvila, C.L.S., Evangelista, A.R., Casagrande, D.R., Bernardes, T.F. Evaluation of the effects of two Lactobacillus buchneri strains and sodium benzoate on the characteristics of corn silage in a hot-climate environment. Grassland Science. 2014.
 

ARTIGO EXCLUSIVO | Este artigo é de uso exclusivo do MilkPoint, não sendo permitida sua cópia e/ou réplica sem prévia autorização do portal e do(s) autor(es) do artigo.

THIAGO FERNANDES BERNARDES

Professor do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Lavras (UFLA) - MG.
www.tfbernardes.com

21

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

THIAGO FERNANDES BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 07/08/2014

Prezado Eduardo, interessante os teus questionamentos. Em relação ao primeiro, o ácido não percola até a base do silo. A profundidade de percolação vai depender da quantidade de água utilizada para diluir o mesmo. Nós usamos 10 L de solução para que a percolação fosse de 30 cm. Mas você pode fazer a aplicação diretamente na colheita por meio da colhedora, conforme comentei aqui anteriormente.

A decisão de aplicar inoculante e ácido esbarra no fator custo. A bacteria L. buchneri tem custo alto e o ácido também, então a decisão deve ser por um ou outro. Isso dependerá da disponibilidade no mercado e do tipo de problema que a fazenda enfrenta. Se o problema for realmente o topo o ácido é o mais indicado.



Att,



Thiago Bernardes
EDUARDO AUGUSTO PEREIRA DE MENEZES

PINHEIRO MACHADO - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 07/08/2014

Caro Prof.,

Meus cumprimentos por publicar material tão importante.

Neste último ano utilizei "Lactobacillus buchneri" e obtive os melhores resultados até então, não obstante, a parte superior do silo sempre apresenta problemas.

Minhas perguntas são: 1) Os ácidos citados percolam até o "pé" do silo? 2) É recomendado continuar com o inoculante e nos últimos 30 a 50 cm do topo utilizar o ácido?

Desde já agradeço suas respostas.

Cordialmente,

Eduardo Augusto de Menezes
THIAGO FERNANDES BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 06/08/2014

Caro Sigfrid, aqueles que comercializam silagem em sacos de 35 kg, primeiro a produz em um silo de grande escala e posteriormente a ensaca.

Benzoato pode ser adicionado neste processo, pois aumentaria a vida útil do alimento, mas há a necessidade de se calcular os custos deste processo.



Att,



Thiago Bernardes
SIGFRID BEILFUSS

BOSSOROCA - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE OVINOS DE CORTE

EM 05/08/2014

Boa noite.

Gostaria de saber sobre silagem de milho ensacada em sacos de + ou - 35 Kg. Ela deve ser ensacada logo que colhida ou deverá fermentar  antes em trincheira? Precisa ser adicionado benzoato nesse processo? Quanto tempo demora para que possa ser fornecida aos animais?

desde já agradeço suas manifestações

Sig
THIAGO FERNANDES BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 04/08/2014

Caro Claudio, o sal tem um bom efeito sobre as perdas, mas somente é demonstrado onde há contato com a silagem, ou seja, nas camadas mais profundas onde a penetração não ocorreu, a deterioração acaba acontecendo. Eu sempre presencio este fato em fazendas que utilizam o sal no manejo.



Att,



Thiago Bernardes
THIAGO FERNANDES BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 04/08/2014

Caro Carlos, o uso de ácido também é recomendado para a silagem de sorgo, cereais de uma maneira geral, pois são susceptíveis à deterioração.



Att,



Thiago Bernardes
CLAUDIO WINKLER

CARAMBEÍ - PARANÁ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 02/08/2014

Parabéns pelo artigo, Thiago, de fato muito interessante. Costumo espalhar sal de cozinha (NaCl, cerca de 0,5kg/m2) sobre a superfície do silo já compactado, antes de cobri-lo com lona. Nunca vi estudos a respeito (e aproveito para questionar se tem conhecimento de algum), mas posso afirmar que, na prática, vejo uma diferença visual bastante grande na camada superficial do silo no que se refere a apodrecimento. Nos silos em que não joguei sal, piorou bastante, tendo que descartar cerca de 10cm.
CARLOS ALBERTO SOUTO GODOY FILHO

GARANHUNS - PERNAMBUCO

EM 01/08/2014

Boa noite,



Primeiramente gostaria de parabenizar pelo artigo. Gostaria de saber se este ácido teria a mesma função na silagem de capim (pré-secado) e sorgo. Teria algum nome comercial?



Muito obrigado!



Abraço!
JAIME DE OLIVEIRA FILHO

ITAPETININGA - SÃO PAULO - OVINOS/CAPRINOS

EM 30/07/2014

Muito bom,pesquisas acrescentam coisas básicas ,mas que precisaram ser pensadas.

Parabéns.
THIAGO FERNANDES BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 30/07/2014

Cara Maria, a quantidade de água não influencia na efetividade do produto. Por exemplo: Diluir 2 kg de benzoato em 50 ou 100 litros de água é igual. Desse modo, será necessário saber qual é a quantidade de forragem a ser tratada e o método de aplicação.

Se a aplicação for no campo, via colhedora, gasta-se menos água (solução), por volta de 1-3 litros/t. Se a aplicação for realizada sobre o topo deve-se usar 10 litros de solução por metro quadrado para que os 30 cm periféricos sejam tratados.



Att,



Thiago Bernardes
THIAGO FERNANDES BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 30/07/2014

Caro Xisto, me refiro a quantidade de silagem que você for tratar para que a mesma represente o topo do teu silo. No caso do nosso estudo, tratamos os 30 cm superficiais. Se algum produtor achar que 30 cm não são suficientes pode tratar 40 ou 50 cm dependendo da altura do silo.

A aplicação é estratégica. Durante o enchimento abasteça o silo normalmente sem tratar a  forragem. Quando a massa atingir o que o produtor considera como 'topo' (30, 40, 50 cm...) iniciei a aplicação do ácido, caso seja feita na colheita por meio do kit da colhedora de forragem. Caso a aplicação seja diretamente no silo aguarde a finalização do abastecimento e faça a aplicação de modo que a solução possa percolar pelo topo. Neste caso deve-se usar 10 litros de solução por metro quadrado para que os 30 cm periféricos sejam tratados. Se a aplicação for feita na colheita gaste-se menos água.



Att,



Thiago Bernardes
DIMAS ANTONIO DEL BOSCO CARDOSO

BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA A PRODUÇÃO

EM 30/07/2014

Muito interessante esse trabalho e com certeza irá evitar grandes perdas de silagem e de qualidade nas extremidades que vemos no campo. É exatamente no topo, talvez pela pressa em fechar o silo, é que vemos as maiores perdas de qualidade.

Parabéns pelo brilhante trabalho.
MARIA DA GRAÇA ARRUDA

PONTA DELGADA - AÇORES

EM 30/07/2014

Peço desculpa, mas não entendi a sua resposta relativamente à diluição. Diferentes concentrações de benzoato terão certamente consequências diferentes na conservação - boas ou mesmo más. Será que o modo de aplicação é o único e principal fator determinante na quantidade de água a utilizar na diluição?

Obrigada.
XISTO FRANÇA

TEIXEIRA DE FREITAS - BAHIA - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 30/07/2014

Bom dia Thiago,

Primeiramente parabéns pelo trabalho, e qualidade do artigo (o anterior também).



Fiquei com uma dúvida quanto a proporção do benzoato.

Quando você diz 2 kg por tonelada, se refere a massa total ensilada ou somente aquela compreendida nos 30 cm superficiais?



Desde já agradeço!




THIAGO FERNANDES BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 30/07/2014

Cara Maria, a quantidade de agua vai depender de como a aplicacao sera realizada. O produtor podera aplicar o aditivo durante a colheita utilizando o kit da colhedora e entao somente os ultimos vagoes forrageiros receberiam aplicacao, pois esta silagem ira compor o topo. Ou o produtor pode fazer a aplicacao diretamente na superficie do silo utilizando regadores ou bomba costal pressurizada.

Independente do metodo de aplicacao, o objetivo 'e homogeneizar muito bem o aditivo com a forragem.

Desculpem a falta de acentuacao, mas estou respondendo esta pergunta em um computador desprovido de correcao.



Att,



Thiago Bernardes
HIBERNON CAVALCANTE ALBUQUERQUE

MACEIO - ALAGOAS - INSTITUIÇÕES GOVERNAMENTAIS

EM 30/07/2014

Parabéns  Dr. Thiago. Suas informações ajudarão em muito sobre a qualidade de silagem para nossos produtores.
HAMILTON LARA

SÃO TIAGO - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 30/07/2014

Olá professor,

Excelente trabalho, parabéns.
MARIA DA GRAÇA ARRUDA

PONTA DELGADA - AÇORES

EM 30/07/2014

Refere que "deve ser usado1,5 kg do produto, diluído em água, para cada uma tonelada de silagem de milho", pelo que solicito informação da diluição que deve ser efetuada ou seja a quantidade de produto/100 litros de água. Gostaria de informação sobre o equipamento usado na sua distribuição na silagem e se existe resultados da sua aplicação em silagem erva?

Desde já o meu obrigada.
ALBINO GONÇALVES NUNES NETO

PATROCÍNIO - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 30/07/2014

Thiago, qual o fornecedor desse produto ?
THIAGO FERNANDES BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 29/07/2014

Caro Elvis, obrigado pelas palavras de incentivo.



Att,



Thiago Bernardes