FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Ensilagem: Qual deve ser o peso do equipamento durante a compactação da massa?

POR THIAGO BERNARDES

E RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

THIAGO FERNANDES BERNARDES

EM 17/10/2008

3 MIN DE LEITURA

16
0
A presença de oxigênio na massa constitui-se como fator indesejável durante a ensilagem, processo fermentativo e o desabastecimento do silo. As etapas de enchimento e compactação estão intimamente ligadas às condições de aerobiose no alimento, pois têm como objetivo eliminar o ar remanescente no interior da massa, criando um ambiente anaeróbio (ausência de oxigênio), fundamental para o início da fermentação desejável.

A velocidade no enchimento e a densidade da forragem no momento do fechamento do silo determinam a quantidade de oxigênio residual na massa ensilada, influenciando na qualidade final do produto, nas perdas durante a fermentação e após a quebra da vedação. Na Tabela 1 estão descritos os fatores que afetam a densidade da massa em silos horizontais (trincheira e superfície) e em silos tubulares horizontais (tipo bag). Observa-se que todos os itens que compõem a tabela e que contribuem para uma densidade de qualidade satisfatória são inerentes ao manejo, ou seja, controlados pelo homem, e entre eles destacam-se o peso e a pressão do equipamento.

Tabela 1. Fatores que afetam a densidade da massa de silagem de acordo com os tipos de silo.


Clique na imagem para ampliá-la.

A densidade da massa vegetal no silo é determinante da qualidade final da silagem, pois aliada ao teor de MS da forragem indicam a porosidade do alimento, que condiciona a taxa de movimentação do ar e, conseqüentemente, o potencial de deterioração durante o armazenamento do silo, sendo que esta deve apresentar valor mínimo 225 kg MS/m3 para que se tenha silagem de qualidade satisfatória.

Ruppel et al. (1995) estudando o manejo de silos bunker em fazendas de produção de leite, relataram que as perdas de MS podem ser reduzidas em 2,2 % para cada acréscimo de 50 kg MS/m3 na densidade da silagem. Avaliando a influência de diferentes densidades (97,4; 118,6; 139,2 e 164,1 kg MS/m3), obtidas através da variação na pressão de compactação, em silagens de capim-Marandu, Amaral et al. (2007) encontraram que ao longo de 60 dias de armazenamento as perdas de MS foram de 16,9, 16,7, 6,8 e 5,6%, respectivamente, demonstrando os benefícios da maior densidade na redução de perdas.

Ruppel et al. (1995) avaliaram o manejo da produção de silagens de milho e de alfafa em 12 fazendas no Estado de Nova York - EUA e encontraram que o peso do veículo e a taxa de compactação, dentre os parâmetros avaliados foram os que melhores correlacionaram com as variações nas densidades das silagens.

Dentro desta linha, é possível que altas densidades sejam alcançadas (225 kg MS/m3) conhecendo-se a quantidade de forragem que é compactada por hora ou o peso do equipamento que exerce a pressão, de acordo com as equações abaixo:
Equação 1: TC = (PV x 2,205) / 900
Equação 2: PV = TC x 900 x 0,454
TC = taxa de compactação (t/h); PV = peso do veículo (kg).

Admitindo-se que a estrutura para realizar a colheita e transporte (representa a taxa de compactação) é de custo superior aos veículos de compactação e também menos flexível com relação a empréstimo de outras fazendas círculo vizinha, por exemplo, sugere que a equação 2 seja utilizada no momento de planejar a ensilagem. Dessa forma, de um modo simples e sem adição de grandes custos, como pesos extras na parte frontal ou no terceiro ponto do equipamento ou mesmo encher os pneus com certa quantidade de água, pode-se garantir volumoso de qualidade satisfatória dentro da propriedade.

A utilização da equação 2 vai de encontro com os resultados encontrados por Ruppel (1997) onde relatou que o equipamento de compactação deve apresentar peso igual ou superior a 40% da massa de forragem que chega ao silo por hora de trabalho efetiva.

No Brasil, a produção de silagem de capins tropicais geralmente é traduzida em baixos valores de densidade devido ao tamanho de corte que as máquinas proporcionam, desse modo, quando a eficiência na compactação é limitada pelo tamanho de partícula da forragem (Silagem de capim: Mitos e Verdades), o peso do equipamento que compacta se constitui numa ferramenta importante para atingir altas densidades nas silagens que são produzidas dentro da propriedade agrícola.

THIAGO BERNARDES

Professor do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Lavras (UFLA) - MG.
www.tfbernardes.com

RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

Zootecnista pela Unesp/Jaboticabal.
Mestre e Doutor em Ciência Animal e Pastagens pela ESALQ/USP.
Gerente de Nutrição na DeLaval.
www.facebook.com.br/doctorsilage

16

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

ALEX MOREIRA

NOVA INDEPENDÊNCIA - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 26/10/2020

BOM DIA!!!
SENHORES OS EQUIPAMENTOS QUE EMPACOTAM SILAGEM CONSEGUEM QUAL VALOR DE MASSA ESPECIFICA? (EM SACOS)!!!!

SDS
ALEX
THIAGO BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 15/08/2014

Caro Edmilson, assim que você tiver condiçoes promova a compactação da massa. A regra é fazê-la o mais rapido possivel, mas se as condiçoes do tempo não ajudam, paciência.

Att,

Thiago Bernardes
EDMILSON SILVA FURTADO

ITAPEMIRIM - ESPÍRITO SANTO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 15/08/2014

Sou Edmilson Silva Furtado comento que no dia 14/08/14 recebi no meu sitio 5 ton. de silagem de milho. comunico que no dia que recebi estava chovendo e com isso não fiz a compactação, hoje é 15/08/14 e ainda esta chovendo. Pergunto quanto tempo eu tenho ainda para efetuar a compactação,pois esta chovendo ainda.
RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 04/12/2008

Prezado Alessandro Souza Silva,

O corte da cana-de-açúcar para ensilagem deve ser realizado quando a planta aopresentar 12 meses de crescimento vegetativo, momento este que a planta apresenta 30% de MS.

Aditivos recomendados para ensilagem desta forrageira: 1% de ureia (Materia natural), benzoato de sodio ou bacteria Lactobacillus buchneri.

O periodo de fermentativo deve ser de 60 dias.

Atenciosamente
Rafael e Thiago
ALESSANDRO SOUZA SILVA

SÃO JOSÉ DOS QUATRO MARCOS - MATO GROSSO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 04/12/2008

Bom dia caros companheiros, estou precisando de uma informação sobre como fazer uma ensilagem de cana de açúcar. Não tenho experiencia propria e preciso de ajuda ou mesmo dicas de como fazer. E saber qual inoculante usado na ensilagem.

Muito obrigado.
RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 06/11/2008

Prezado Francisco José,

O period de abertura do silo irá depender do tipo de forragem ensilada. Por exemplo, o milho por apresentar valores adequados de carboidratos solúveis e teor de MS para ensilagem (30-35% MS), possui fermentação rápida no silo. Alguns autores comentam que 95% da fermentação neste tipo de silagem ocorre em 7 dias, entretanto, um período de 30 dias seria importante para fermentação do silo.

Por outro lado, se a cana-de-açúcar for ensilada com bactérias heteroláticas, as quais demoram um maior tempo na fermentação, sua abertura deve ser realizada após 60 dias de fermentação.

Em relação a ração, existem várias formas de produzir uma boa ração, a primeira é saber comprar os ingredientes, produzir o volumoso e ter um treinamento na parte de formulação de ração.

Atenciosamente
Rafael e Thiago
FRANCISCO JOSE

BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL - ESTUDANTE

EM 05/11/2008

Ola,

Gostaria de saber com quantos dias um silo pode ser retirado, ou seja, o menor tempo possivel sem que venha haver perdas! E gostaria de saber como posso produzir um boa ração para produção de leite. Aqui deixo o meu abraço ao amigos do MilkPoint!
SHELTON TEXERA BNEVIDES

JAGUARIBE - CEARÁ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 26/10/2008

Olá. Achei otimo este artigo, pois todos os processos ou métodos utilizados são imprescindíveis, mas no enchimento, compactação e vedação deve-se ter uma optica para que não venham ocorrer perdas(apodrecimento da silagem) devido ao desenvolvimento de bacterias do gênero aerobico. Então quanto maior a velocidade de enchimento, densidade do objeto utilizado para compactação e acabamento para vedação teremos um processo anaerobico que contribuirá para produzir um material de qualidade no que se almeja alcançar.

Ainda analisando tudo isso deveremos ter o cuidado de verificar qual o material ou cultura a ser ensilado, a idade, folha relação caule, o corte da forragem -pequenos pedaços para facilitar a perda de umidade e acomodação (compactação).

Obrigado
Shelton Teixeira
RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 23/10/2008

Prezado Fauze Gebara,

O texto comenta que o peso do trator deve ser de 40% da quantidade de forragem que chega por hora no silo. As equações 1 e 2 servem como forma de verificar se a taxa de compactação (que deve ser de 1 a 3 minutos por tonelada de forragem) e o peso do trator estão adequados.

Atenciosamente,
Rafael e Thiago
LUÍS RICARDO HÜBNER

TEIXEIRA SOARES - PARANÁ - ESTUDANTE

EM 22/10/2008

Bem, o equipamento que atualmente utilizamos é um ICMA, um recolhedor de forragens, regionalmente conhecido como taruplo. Reconheço que seria bom se utilizar um equipamento que efetuasse uma diminuição do tamanho das particulas, no caso um repique. Um problema relacionado com a umidade do azevém é o cheiro que resulta à abertura da trincheira (sendo que a mesma não é de alvenaria), diminuindo a voracidade do animal pela forragem. Além do mais, o azevém apresentando uma umidade menor (semente pastosa) tem um maior aproveitamento pelos animais.

Obrigado.
Luís Ricardo Hübner
RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 22/10/2008

Prezado Jonas de Souza,

Desconhecemos este tipo de equipamento utilizado na ensilagem. A estratégia é realmente compactar bem a massa ensilada para expulsão do oxigênio.

Atenciosamente
Rafael e Thiago
RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 22/10/2008

Prezado luis ricardo hubner,

Provavelmente, a maior dificuldade da compactação do azevém pode estar relacionado ao tamanho de partícula do material. O que deve ser relizado é a afiação constante das máquinas, assim, com menor tamanho de partícula a acomodação da massa é melhor. Outro fator que também pode estar relacionado é o teor de matéria seca na ensilagem, sendo que, a medida que esse se eleva, há maiores dificuldades na compactação.

Atenciosamente,
Rafael e Thiago
JONAS DE SOUZA

CHAPECÓ - SANTA CATARINA - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 20/10/2008

Bom dia!

Gostaria de saber se há uma maquina que auxilia na retirada do oxigênio depois da compactação, pois sabemos que a qualidade da silagem depende dessa expulsão total do oxigênio.

Pensei que pode existir uma máquina com pressão negativa que auxilie neste processo.

Se houver gostaria de saber!

Obrigado
DIETHELM HAMMER

CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 18/10/2008

Prezados Autores!
Concordo plenamente que para alcançar uma boa compactação da silagem precisamos de corte exato com padrão de tamanho que as ensiladeiras autopropellidas dos profissionais do ramo oferecem. Mas a compactação do material não depende só do peso do veiculo compactador: Depende muito do tipo de equipamento usado para esta função! Um trator com pneus estreitos sempre vai compactar mais que um trator de pneus largos ou duplos.

A pior opção para a compactação do silo seria uma maquina de esteira, projetada para trabalhar no banhado sem afundar! Mesmo com o peso alto ela não serve para compactar o silo.

Diethelm Hammer, MEGASIL, Itararé-SP
LUÍS RICARDO HÜBNER

TEIXEIRA SOARES - PARANÁ - ESTUDANTE

EM 18/10/2008

Ola!
Achei otimo este artigo, pois na minha região, quando é realizada a ensilagem tanto de milho como de azevém (principalmente de azevém), não se tem tanta preocupação com a compactação. O que é realizado no dia seguinte, com término da ensilagem ou antes de realizar o fechamento, é refeita uma re-socagem, sendo que na ensilagem do milho, apresenta-se uma notável diferença na compactação (diminuição do volume), e no caso do azevém não.

Como o azevém tem uma maior dificuldade de compactação, como poderia faze-la mais eficientemente?

Luís Ricardo Hübner
Acadêmico do curso de zootecnia da UEPG,
Filho de produtor rural.
Obrigado.
FAUZE GEBARA

CORNÉLIO PROCÓPIO - PARANÁ - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 17/10/2008

Qual deve ser o peso do equipamento para a compactação da massa? Essa resposta que incita o artigo ficou vaga, pois a fórmula para se proceder o cálculo (equação 1 e 2) é que vai determinar o peso?Qual a referência da TC ideal? Pois a partir dela chagaria no peso ideal para se alcançar altas densidades(225KG/m3)?

Obrigado.
MilkPoint AgriPoint