ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Associação entre bactérias homo e heterofermentativas

THIAGO FERNANDES BERNARDES

EM 04/05/2004

4 MIN DE LEITURA

0
0
Por Thiago Fernandes Bernardes1

Associação entre bactérias homo e heterofermentativas: Nova ferramenta para o controle perdas na produção de silagem

Os inoculantes bacterianos abrangem a classe de aditivos com mais rápido desenvolvimento e adoção em todo o mundo, devido principalmente à facilidade de manipulação, ausência de toxicidade para os mamíferos e grande disponibilidade no mercado.

Na década de 80 foram lançados no Brasil aditivos microbianos, cujo princípio de atuação é aumentar a produção de ácido lático e promover a queda rápida do pH da massa ensilada, tornando desta maneira o processo fermentativo mais eficiente, destacando-se entre os produtos as seguintes espécies de bactérias: Streptococcus faecium, Pediococcus acidilactici e Lactobacillus plantarum. A inoculação com bactérias exógenas, além de tornar o processo fermentativo mais eficiente, tem por finalidade diminuir as perdas de matéria seca no silo, melhorando o desempenho e a produção de leite dos animais alimentados com silagem inoculada.

Muck & Kung (1997) sumarizaram os resultados de estudos realizados com o uso de inoculantes contendo bactérias láticas entre os anos de 1990 e 1995 e verificaram que em 221 experimentos, 60% dos casos houve menor pH e maior fermentação lática; também em similar percentagem houve menor produção de amônia, mostrando melhor preservação da proteína (148 experimentos). Em aproximadamente 30% dos casos houve aumento de cinco unidades percentuais na digestibilidade da matéria seca (82 experimentos); e de 67 experimentos consultados, em 28% deles houve acréscimo no consumo. Com relação ao desempenho animal, em 53% dos casos houve aumento no ganho de peso (15 experimentos) e 47% de elevação da produção de leite (36 experimentos). De acordo com Rotz & Muck (1994) os resultados de um grande número de experimentos realizados entre 1985 e 1992, revelaram que houve melhora na fermentação em 40% das silagens de milho, 75% das silagens de alfafa e 71% para silagens de outras gramíneas. Como média de todos os experimentos, a performance animal aumentou na ordem de 2 a 4%, dependendo do parâmetro avaliado (ganho de peso, produção de leite, ingestão, eficiência do alimento).

Observa-se que quando são contrastadas as respostas positivas dos inoculantes na fermentação e na produção animal, os resultados são inferiores para a performance animal, pois entre estes dois parâmetros existe uma fase de transição, a qual denominamos deterioração aeróbia. Quando as silagens são expostas ao ar, microrganismos oportunistas iniciam atividade metabólica, produzindo calor e consumindo nutrientes, revelando o desabastecimento do silo e o fornecimento da silagem aos animais como um importante dreno de matéria seca e energia durante o processo de ensilagem. Dessa forma, os nutrientes que foram preservados ou produzidos durante a fermentação (ácido lático) pela presença de bactérias láticas, são degradados quando o silo é aberto, indisponibilizando-os para os animais.

Recentemente, pesquisadores norte americanos e europeus têm buscado alternativas que possam manter a qualidade do alimento com o intuito de diminuir as perdas de nutrientes durante a exposição das silagens ao ar. Na procura por um microrganismo capaz de aumentar a estabilidade aeróbia da silagem, encontrou-se uma bactéria originada do isolamento natural que ocorria em silagens classificada como aerobicamente estáveis, denominada Lactobacillus buchneri. Esse microrganismo produz durante a fermentação ácido lático, ácido acético e 1,2 propanodiol, onde o acetato produzido tem função inibidora sobre espécies de microrganismos deterioradores que crescem quando a silagem é exposta ao ambiente.

Esse tipo de fermentação (heterolática) pode ser considerada desvantajosa, devido à possibilidade de maiores perdas de matéria seca durante o processo, e porque altas concentrações de ácido acético podem estar associadas a reduções na ingestão de MS pelo animal. Entretanto, em condições onde a infiltração de oxigênio no pós-abertura do silo não pode ser adequadamente controlada ou onde pequenas perdas de MS durante a fermentação inicial são aceitáveis, incrementos substanciais na estabilidade aeróbia podem ser obtidos, durante a retirada da silagem e fornecimento aos animais, ao utilizar-se esse tipo de microrganismo (Schmidt & Nussio, 2002).

Com o objetivo de criar um balanço positivo entre fermentação, deterioração aeróbia e performance animal, algumas alternativas estão sendo estudadas e entre elas estaria a associação entre bactérias com alta capacidade fermentativa de ácido lático (bactérias homoláticas) e aquelas cuja principal função seria controlar a deterioração quando o silo é aberto, como é o caso do Lactobacillus buchneri.

Pesquisas realizadas na Holanda mostraram que a presença de L. buchneri isolado ou associado com Pediococcus pentosaceus e L. plantarum (bactérias homofermentativas) reduziu a presença de leveduras e fungos (microrganismos deterioradores) e aumentou a estabilidade aeróbia das silagens de azevém perene (Tabela 1).


Segundo os autores, os inoculantes que contiverem a associação de bactérias homo e heterofermentativas terão um grande potencial de acelerar a produção de ácido lático durante a fermentação e reduzir a susceptibilidade de deterioração aeróbia por fungos e leveduras.

No Brasil, os estudos com a associação de bactérias estão se iniciando na UNESP/Jaboticabal e na ESALQ/USP, utilizando-se primeiramente como modelo capins tropicais, havendo a expectativa de que o sinergismo entre microrganismos possa trazer benefícios para o processo de ensilagem, quando a decisão for tomada pelo uso de inoculantes bacterianos.

Literatura consultada

DRIEHUIS, F., OUDE ELFERINK, S.J.W.H., VAN WIKSELAAR, P.G. Reduced susceptibility to aerobic spoilage of grass silage inoculated with Lactobacillus buchneri, with or without homofermentative lactic acid bacteria. In: THE INTERNATIONAL SILAGE CONFERENCE, 13th, 2002, Auchincruive. Proceedings... Auchincruive, 2002, p.144-145.

MUCK, R. E., KUNG, L., Jr. Effects of silage additives on ensiling. In: SILAGE: FIELD TO FEEDBUNK. NRAES-99, Herchey, 1997. Proceedings... Herchey:NRAES, 1997, p. 187-199.

ROTZ, C.A., MUCK, R.E. Changes in forage quality during harvest and storage. In: FORAGE QUALITY, EVALUATION, AND UTILIZATION. Madison: American Society of Agronomy. p.828-868, 1994.

SCHMIDT, P., NUSSIO, L.G. Efeito da inoculação com Lactobacillus buchneri na fermentação, estabilidade aeróbica e valor nutritivo de silagens. 5/12/2002, www.beefpoint.com.br.
________________________________
1Thiago Fernandes Bernardes é doutorando em Zootecnia - FCAV/UNESP.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint