FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Na crise, sempre consulte o seu travesseiro

POR SÁVIO COSTA SANTIAGO DE BARROS

SÁVIO SANTIAGO

EM 17/04/2020

2 MIN DE LEITURA

12
5

Estamos diante de um momento de exceção. Calamidades públicas causadas por pandemias, greves, guerras ou catástrofes naturais inutilizam planejamentos econômicos e naturalmente mudam a ordem natural das coisas.

De uma hora para outra todas as tendências conjunturais mudam, se confundem e causam incertezas. Ativos mais frágeis evaporam, atividades entram em risco e medidas de gestão emergenciais são tomadas com mais agilidade.

Impactos macroeconômicos sobre os mercados pesarão sobre todas atividades locais com maior força e dinamismo. Fora das crises, ações de gestão têm efeito equilibrado com as interferências externas no resultado dos negócios, em momentos de exceção não.

Em dois anos esse é o segundo evento inesperado que o país enfrenta. Em 2018, a greve dos caminhoneiros causou consideráveis prejuízos a sociedade. A diferença é que agora a questão é mundial e de saúde pública.

Apontar caminhos ou propor soluções padronizadas em um momento tão incerto não é prudente e pode induzir graves erros.

Torna-se cada vez mais vital acompanhar variantes de mercado e suas tendências. Na pecuária de leite, as principais influências de mercado são o preço do leite, dos derivados e das commodities milho, soja e petróleo. A análise das cotações deve ser acompanhada de ações de técnicas de gestão no sentido da redução de custos, despesas e avaliação quanto a postergação de investimentos. “Ah, mas com soja e milho nesse preço não dá pra reduzir custos”: Claro que é mais difícil, mas sempre, sempre dá pra reduzir custos, desperdícios e despesas desnecessárias.

Tenho vistos movimentos no sentido de sugerir ações que vão desde a secagem de animais até a redução da alimentação, visando equilibrar estes custos. Em tese, reduzir o volume disponível no mercado quando se tem tendências contrárias entre os preços de leite e os principais insumos de produção parece lógico, mas pode provocar distorções perigosas no curto e médio prazo. Claro que sempre será coerente secar animais antieconômicos e reduzir custos de alimentação quando possível, mas a situação de cada propriedade deve ser individualmente analisada com o devido auxílio técnico.

A greve dos caminhoneiros reduziu os estoques de giro de leite em virtude do descarte do produto naquele momento. Estima-se que em torno de 300 milhões de litros se perderam diante da inviabilidade logística na coleta de leite e na distribuição dos derivados. A primeira reação pós-greve foi uma abrupta subida nos preços atrelada ao desabastecimento pontual. A realidade daquele momento logo foi seguida de uma ressaca no consumo e da não menos intensa queda nos preços.

É óbvio que na possibilidade de um colapso que leve ao eventual descarte do produto, medidas mais emergenciais surgirão, mas devem ser pensadas e adaptadas a cada negócio. Se o produtor tem normalidade na colocação do produto e pretende permanecer na atividade, a melhor solução pode ser ter calma e pensar com mais clareza no “pós crise”.

Em uma situação como a que estamos vivendo, frases de efeito ressurgem. Dentre tantas, tem aquela: “É na crise que surgem oportunidades”. A situação prévia que cada um vivia quando entrou na crise e as atitudes tomadas durante esse período determinarão quem vai largar na frente no período de retomada.

Portanto se cabe um conselho responsável, seria esse: tenha calma, olhe para dentro com riqueza de detalhes, olhe muito para fora analisando diariamente tendências, consulte técnicos especializados e tome decisões das quais não irá se arrepender depois.   

Por mais especializado que um técnico seja, por mais informações que um analista tenha, por mais parceira que a indústria seja, sempre escute e analise todas as sugestões.

Mas, na crise, só tome decisões após consultar seu travesseiro.

SÁVIO COSTA SANTIAGO DE BARROS

Gestor de Matérias Primas Lácteas da Verde Campo,
empresa do grupo Coca-Cola especializada em lácteos saudáveis. Pioneira na produção de produtos sem lactose. Tem na linha produtos reduzidos em sódio, zero açúcar e proteinados.

12

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

JORGE LUIZ PEREIRA DE OLIVEIRA

ALTÔNIA - PARANÁ - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 22/04/2020

Bom dia, Savio!
Contudo isto que está ocorrendo, com certeza o aumento de estoques do leite. Na sua opinião as empresas irão reduzir o preço e/ou limitar a compra do leite in natura direto do produtor?
SÁVIO COSTA SANTIAGO DE BARROS

LAVRAS - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 23/04/2020

Boa tarde Jorge!

Não são as empresas. O mercado estocado e com vendas limitadas naturalmente terá preços pressionados. Sobre a limitação de compra dos produtores eu acho que vai depender do tempo que a crise se estender.

Obrigado pela participação
RAFAEL

CHAPECÓ - SANTA CATARINA - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 22/04/2020

Parabéns.
Excelente material.
SÁVIO COSTA SANTIAGO DE BARROS

LAVRAS - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 23/04/2020

obrigado Rafael !
JOÃO LEONARDO PIRES CARVALHO FARIA

MONTES CLAROS - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 20/04/2020

Muitas vezes as pessoas se desesperam quando percebem que as incertezas e situações fora do controle realmente guiam as suas vidas. Obviamente, sempre temos que trabalhar naquilo que podemos ter o controle, mesmo que de forma parcial, mas em momentos em que o dia de amanhã é incerto, o desespero bate na porta.
Sábios conselhos para uma classe tão atormentada pela falta de controle emocional no dia a dia(eu me incluo muitas vezes nesta caracterização)!!
SÁVIO COSTA SANTIAGO DE BARROS

LAVRAS - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 20/04/2020

É muito compreensível que as emoções tomem conta desses momentos difíceis. Mas é preciso abstrair e buscar soluções racionais,

Obrigado pela participação!!!
MÁRIO SANTIAGO

BARBACENA - MINAS GERAIS

EM 17/04/2020

Parabéns Sávio Santiago, está se tornando um excelente consultor técnico, ótimas matérias muito bem redigidas, diferentes pontos de vista, sábios e valiosos conselhos, está no rumo certo, siga brilhando, sucesso.
SÁVIO COSTA SANTIAGO DE BARROS

LAVRAS - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 17/04/2020

Obrigado pelos elogios Mário !
MARLUCIO PIRES

EDEALINA - GOIÁS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 17/04/2020

Boa tarde Sávio. Concordo quanto a secagem de vacas pouco produtivas ou com gestação adiantada. Quanto aos grãos, realmente houve uma forte alta, de dois meses pra cá, mas nem sempre diminuir a ração é solução pra baixar o custo do leite, pois as vezes eu tiro dois mil reais de ração, mas a produção cai 3 mil litros, e o valor por litro que preciso receber pra zerar minhas contas acaba aumentando. Mas acredito que quando acabar a quarentena, havendo retomada principalmente na venda de queijos, haverá forte concorrência entre laticínios por leite, já que com o dólar a 5 e tantos, fica inviável a importação de leite em pó
SÁVIO COSTA SANTIAGO DE BARROS

LAVRAS - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 17/04/2020

Obrigado por participar Marlucio!

Estou concordando com o que você disse em relação a tirar alimentação no texto, por isso sugiro análise de cada caso.

Sobre o mercado de leite pós crise não acho que deve reagir tão rápido. Os volumes excedentes estão praticamente lotando as plantas de leite em pó do país e parte desse produto voltará como matéria prima para o mercado. Além disso sairemos de uma realidade de 13 milhões de desempregados para mais de 20 milhões. Também torço para que tudo melhore o quanto antes, mas não sugiro que você considere na sua tomada de decisões recuperação rápida de preços de leite, ela acontecerá mas pode ser um pouco mais tardia.
EM RESPOSTA A SÁVIO COSTA SANTIAGO DE BARROS
MARLUCIO PIRES

EDEALINA - GOIÁS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 20/04/2020

Bom dia Sávio

O produtor de leite sempre espera o melhor, mas se prepara pro pior. Infelizmente o desemprego vai aumentar de imediato, e com certeza o consumo de lácteos, principalmente os com maior valor agregado vão sofrer. Mas mesmo com o futuro tão incerto, temos hj, com dólar a 5.23, competitividade no preço do leite em pó, contando 8.5 litros por kg de pó. Vai resultar em leite a menos de USS 2.500.
EM RESPOSTA A MARLUCIO PIRES
SÁVIO COSTA SANTIAGO DE BARROS

LAVRAS - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 20/04/2020

Como disse, são muitas variáveis, mas vamos torcer para tudo correr bem. Abraço
MilkPoint AgriPoint