ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
FAÇA SEU LOGIN E ACESSE CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

Acesso a matérias, novidades por newsletter, interação com as notícias e muito mais.

ENTRAR SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Mastite pode ser controlada com medidas preventivas e baratas

POR MARCOS VEIGA SANTOS

MARCOS VEIGA DOS SANTOS

EM 03/08/2000

2 MIN DE LEITURA

0
1
Marcos Veiga dos Santos

Atualmente, o Programa dos 6 Pontos para controle da mastite é mundialmente reconhecido como o conjunto de medidas mais eficazes para redução dos prejuízos causados pela doença. Os produtores de leite devem se empenhar na adoção deste programa uma vez que a sua implantação traz um retorno econômico elevado em rebanhos com problemas de mastite.

O nível de mastite de um rebanho é afetado tanto pela taxa de novas infecções como pela duração das infecções existentes. É importante enfatizar a natureza multifatorial da mastite, pois muitos fatores influenciam o nível de infecção, como a vaca, o ambiente, os microorganismos, as práticas de manejo e a ação do homem.

As medidas de controle são conhecidas desde a década de 60-70 e podem ser aplicadas de forma efetiva tanto em rebanhos pequenos ou grandes, rebanhos confinados ou a pasto. Este conjunto de medidas é conhecido como Programa dos 6 Pontos:

1. ADEQUADO MANEJO DE ORDENHA - o princípio básico de uma ordenha eficiente é ordenhar tetos limpos e secos, assegurando assim a obtenção de leite de alta qualidade e redução da incidência de mastite. Para prevenir a transferência de bactérias entre animais durante a ordenha, deve ser realizada a desinfecção dos tetos após a ordenha (pós-dipping), que representa a medida isolada mais importante para o controle da mastite contagiosa.

2. FUNCIONAMENTO ADEQUADO DO EQUIPAMENTO DE ORDENHA - a ordenha deve ser realizada de forma a minimizar lesões nos tetos e reduzir a transferência de bactérias de uma vaca para outra. Portanto, o equipamento de ordenha deve ser dimensionado de acordo com padrões internacionais e deve ser checado quanto ao seu funcionamento, por técnico especializado, a cada 6 meses.

3. TRATAMENTO DE TODOS OS QUARTOS NA SECAGEM - TRATAMENTO DE VACA SECA - a secagem representa e melhor momento para tratamento de casos de mastite subclínica existentes no rebanho, devido a alta eficácia da antibioticoterapia neste período. Este sucesso se deve a maior concentração dos medicamentos para vaca seca e devido ao maior tempo de permanência do antibiótico na glândula mamária. Esta é uma importante medida para a redução da duração das infecções existentes e atua na prevenção de novas infecções.

4. TRATAMENTO IMEDIATO DE TODOS OS CASOS CLÍNICOS - esta medida envolve a detecção precoce dos casos clínicos e início do tratamento intramamário em bisnagas individuais. Esquemas de tratamento dos casos clínicos devem ser realizados de acordo com a recomendação do médico veterinário. Deve-se observar o tempo de descarte do leite de todos os quartos durante e após o fim do tratamento.

5. DESCARTE DOS ANIMAIS COM CASOS CRÔNICOS - vacas que não respondem à terapia devem ser consideradas para o descarte, pois sua presença no rebanho implica em risco de novas infecções para as vacas sadias.

6. PROPORCIONAR AMBIENTE LIMPO E CONFORTÁVEL NA ÁREA DE PERMANÊNCIA DOS ANIMAIS - esta medida visa diminuir os riscos de transmissão de microrganismos do ambiente para o animal durante o período entre as ordenhas.

Estudos realizados na Inglaterra e EUA indicam que para cada dólar investido num programa de controle de mastite pode haver um retorno de 5 dólares. Este alto retorno sobre o investimento neste programa ocorre pelo menor número de mortes/descarte prematuro dos animais, diminuição dos casos clínicos, redução do descarte de leite, diminuição do gasto com medicamentos, redução no gasto com mão-de-obra adicional e menores gastos com serviços veterinários.

Tebela


********


fonte: MilkPoint

MARCOS VEIGA SANTOS

Professor Associado da FMVZ-USP

Qualileite/FMVZ-USP
Laboratório de Pesquisa em Qualidade do Leite
Endereço: Rua Duque de Caxias Norte, 225
Departamento de Nutrição e Produção Animal-VNP
Pirassununga-SP 13635-900
19 3565 4260

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint Logo MilkPoint Ventures