FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Em terras infestadas com Brachiaria, como plantar outro capim?

MARCO AURÉLIO FACTORI

EM 14/10/2015

6 MIN DE LEITURA

27
0
Nos sistemas de produção em pastagem, é evidente que o uso correto do solo deve ser eficiente para que, ao menos na parte de nutrição, as forrageiras tenham seu melhor desempenho e aflorem seu potencial. Um solo bem manejado, seja pela baixa ou nula infestação de pragas, plantas invasoras ou pelo aporte de nutrientes, atua de forma direta sobre o sucesso da pastagem. Como diziam nossos avós... “uma criança bem alimentada não adoece” ou ainda, “um pasto bem manejado, dura quase que eternamente”.

Também já escrevi por aqui que “tudo que começa bem, termina bem, ou ainda, começando bem tudo corre bem”. O investimento na formação ou implantação de pastagem pode ser considerado uma das atividades mais importantes sob o ponto de vista econômico. Esta prática é tão importante que deve ser considerada como um plantio semelhante a outras culturas, e, como tal, o produtor deve procurar, da melhor maneira possível, as técnicas mais recomendadas à formação da pastagem em sua propriedade.

Em relação ao local de plantio, deve-se considerar que as altas produções são obtidas em solos de maiores fertilidade. A escolha do lugar para as pastagens depende da topografia, das aguadas e das facilidades de se realizar a construção de cercas. A maioria das espécies forrageiras não tolera solos encharcados. O preparo do solo em si se caracteriza palas arações e gradagens nas áreas, quantas vezes forem necessárias. É fato que áreas que contenham mais invasoras, ou ainda que possuam outra forrageira implantada, possuem grandes quantidades de sementes oriundas das plantas que a compunham, formando no solo o que chamamos de banco de sementes.

Este assunto com certeza deixa os produtores de cabelo em pé, quando são abordados por técnicos que dizem que a nova pastagem a ser implantada em áreas remanescentes de outras pastagens, principalmente as do gênero Brachiaria, terá um custo mais alto em função de que a forragem do pasto antigo poderá nascer. Uma vez me perguntaram como é possível uma forrageira rebrotar tanto depois de destruída.

Bom, segundo a literatura, ao longo dos anos da implantação de uma forragem, se considerarmos que esta pastagem foi manejada corretamente, respeitando-se todo o manejo de altura de entrada e saída dos animais do piquete, bem com períodos de descanso, subentende-se que esta forragem não irá florescer de forma descontrolada e desta forma teremos uma área de pastagem menos infestada por estas sementes. É claro que aqui deixo uma informação importante que por mais perfeito o manejo, sempre teremos sementes na área, principalmente as do gênero Brachiaria que florescem quase que o ano todo, excetuando-se algumas espécies. E isso é bom. Sementes na área podem vir a germinar e perpetuar a espécie da forrageira em questão. Diga-se de passagem, que é uma estratégia de sobrevivência da planta. Porém, quero afirmar que não precisamos deixar florescer e sim, manejar o pasto para que ele não floresça e cresça de forma eficiente produzindo massa de forragem ao longo de toda vida (perene). O florescimento significa dentre outras coisas, diminuição no valor nutritivo da forrageira.

Levando-se em consideração que todo pasto floresce (ao menos um pouco) temos ao longo de anos o que chamamos de “banco de sementes”. Com certeza um problema quando pensamos em reformar a pastagem, alterando a forrageira da área. Considera-se, em alguns casos, que em algumas áreas as quais a forrageira anterior era a Braquiária, são necessárias até oito gradagens para acabar com este banco de semente.

Em áreas em que o plantio será feito sobre uma forragem, aconselha-se primeiramente exterminar a forragem que está vegetando (plantas visíveis ao olho nu) para que ao entrarmos na área com um controle mecânico (aração, gradagem) essas plantas não rebrotem. Sendo assim, recomenda-se que na área seja aplicado um agente dessecante para “matarmos” toda a forragem que cobre o solo. Esta dessecação às vezes não é bem vista pelos pequenos produtores pela impossibilidade de aplicação em função de falta de pulverizador. Em áreas pequenas e localizadas, um pulverizador costal pode ser utilizado.

Após isto feito, a segunda etapa enfatiza que ao revirarmos o solo, expomos o chamado banco de semente presente na área. Segundo a literatura, em alguns casos, a quantidade de semente presente neste banco de semente pode ser suficiente para plantar 1 a 3 vezes o tamanho da área original. A pergunta que me fazem é o porquê esta semente não germina de forma descontrolada e germina quando revolvemos o solo? Toda semente que fica no solo, está onde chamamos de zona de dormência, ou ainda, em temperatura abaixo da ideal para germinação. Assim, quando revolvemos o solo, é quebrada esta dormência pela maior exposição dela e aumento de sua temperatura e assim iniciando o processo de germinação, dentre outros.

Uma vez este processo iniciado, precisamos agora não mais acabar com as plantas em fase vegetativa oriundas na área e temos um grande potencial de germinação de sementes originando novas plantas. Assim, neste processo, temos basicamente uma alternativa sendo o controle mecânico por meio de duas arações e duas gradagens para o novo plantio. Em muitos casos, recomenda-se uma segunda gradagem (após 20 dias da primeira), para eliminar o restante das ervas daninhas e no máximo três dias antes do plantio para que o solo esteja pulverizado para receber a semente, se este plantio for feito a lanço em cobertura. É importante salientar que o número de arações e/ou gradagens está na dependência do banco de sementes da área, sendo este correlacionado com a duração da pastagem antiga, manejo adotado e as condições favoráveis para que este banco de sementes germine ou ainda boas condições para que a nova forrageira se estabeleça rapidamente a fim de reinar na área de forma rápida e se preserve exclusivamente.

Naturalmente que objetivamos uma nova área muito bem implantada quando pensamos em trocar a forrageira. Naturalmente que deixo aqui uma ideia que se conseguirmos não revolver o solo, com certeza não despertaremos o banco de semente. Sendo assim, e logicamente, que se não revolvermos o solo, não conseguiremos plantar a forrageira a lanço sendo necessário a utilização de uma máquina para plantio direto. Neste caso, alteramos o solo somente na linha de plantio e as chances de estabelecimento da nova forrageira perante a velha é muito mais fácil, considerando uma boa eficiência de máquina e reduzido espaço entre linhas (ao redor de 30 a 40 cm). Se pensarmos em plantio de capim por muda, todo o solo terá que ser revolvido e ainda sulcos ou escarificações deverão ser feitas para o enterrio das mudas que com certeza irão promover uma maior competição com o banco de sementes também, em função do que foi dito anteriormente.

Logicamente, que a luta ainda não terminou. Após a implantação, presumimos que foi feito corretamente todo o processo de plantio, quantidade de sementes, adubos e corretivos, bem como época correta de plantio para a nova forragem, com o intuito de favorecer a nova forrageira. Mas ainda, após a emergência da nova forrageira e manejo da mesma o controle mecânico ou por meio de herbicidas, de forma localizada, pode ocorrer uma vez que manchas da antiga forrageira poderão ocorrer e tirar o sono de muito produtor.

Enfim, plantar um novo capim em terras de braquiária é possível sim desde que o processo seja bem feito. Nada na vida, e principalmente na produção agropecuária pode ser feito de forma descontrolada, fora de época ou sem planejamento. O pasto é uma cultura. Este pode e deve ser respeitado desde o começo, principalmente quando já existia outro no lugar dele.
 

MARCO AURÉLIO FACTORI

Consultor, Factori Treinamentos e Assessoria Zootécnica.

27

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

GEVARE TAVARES

EM 06/04/2020

Boa Noite!
Prof. MARCO AURÉLIO, se eu capinar a área total que está com braquiaria e espalhar semente de grama de pasto, consigo diminuir consideravelmente a braquiaria? Ou vc me aconselha outro tipo de grama?
MARCO AURÉLIO FACTORI

PRESIDENTE PRUDENTE - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 08/04/2020

Prezado Gevare

Somente capinando você não irá acabar com o que chamamos de banco de sementes, ou seja, se sua área estiver plantada a muito tempo com braquiaria com certeza deve haver banco de semente. O que lhe recomendo á capinar ou gradear a área por pelo menos duas vezes para que este banco de semente rebrote. Att. Marco Aurélio Factori
MARCO AURÉLIO FACTORI

PRESIDENTE PRUDENTE - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 12/03/2020

Prezado Fagner

Veja bem e se entendi bem sua duvida, é mito. Plantar outro capim em terras que já era de braquiária, o único problema seria o banco de semente que irá rebrotar e pode vir a infestar a área novamente com braquiária. Por isso, recomenda-se fazer alguns manejo de dessecação e gradagem antes de plantar outra forrageira como citamos no texto. Outro fator muito importante é atender a demanda por adubações e novo manejo pela nova forrageira, uma vez que a braquiária é mais rustica e é menos exigente em fertilidade do solo. Atentando a isso, não vejo mais problemas. Att. Marco Aurélio Factori
FAGNER HENRIQUE

EM 09/03/2020

Boa noite , tenho uma área em um sítio infestado de braquiária e estou pensando em planta tifton para cavalo , minha dúvida e essa posso passar a grade em matar essas braquiária , pq me falaram de eu passa a grade sem a matar da doença na terra isso e verdade ou mito
ALISSON ASSIS DIAS

BELO VALE - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 27/08/2019

Prezado Marco Aurélio Factori.

Gostaria de saber se e possível realizar o plantio de braquiaria sem a necessidade de preparação do solo com o uso de um trator, por se tratar de uma região de declive, iria causar muita erosão.
Estou pensando em fazer o plantio direto das sementes de braquiarias, agora no inicio das chuvas, e para isso estou planejando usar sementes peletizadas, pois acredito que eles desenvolvam mais rápido.

Será que pelo fato de não preparar o solo não corro o risco das sementes não nascerem? hoje o local onde pretendo fazer o plantio existe apenas, plantas nativas.
Minha ideia e que as sementes consigam nascer e crescer o inicio das chuvas agora no mês de outubro.
Será que daria certo? e qual seria a melhor semente de braquiaria para esse tipo de plantio?

Desde já Agradeço a atenção.

Alisson Assis Dias
MARCO AURÉLIO FACTORI

PRESIDENTE PRUDENTE - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 14/05/2019

Prezado Felipe

Vai funcionar sim. Pense também em algum lugar que não tiver a braquiária mas tiver outra forrageira ou planta invasora, pense em dessecara estas plantas e plantar mudar de braquiária. Sugiro isso por ser área de encosta. Com certeza se efetuar uma adubação correta o capim aparecerá em função do banco de semente. Caso precise de assistência entre em contato pelo e-mail: mafactori@yahoo.com.br Att. Marco Aurélio Factori
FELIPE MARTINI SANTOS

SEROPEDICA - RIO DE JANEIRO - ESTUDANTE

EM 12/05/2019

Prezado Professor Marco Aurélio Factori,

estou realizando um trabalho de recuperação de alguns pontos degradados da minha pastagem. O local é inclinado e não permite mecanização. O proprietário anterior não fazia o manejo adequado e deixou esses pontos com solo compactado e exposto na parte superior da encosta, onde a braquiária não consegue cobrir. Como as áreas são pequenas e isoladas pensei em fazer um revolvimento manual do solo, junto com aplicação do calcário (No final da chuvas agora). Quando voltar a chover, pensei em plantar mudas de braquiária (50 cm x 50cm) - para antecipar a cobertura do solo - e jogar mais sementes nas entrelinhas. Acha que pode funcionar? Estava pensando em jogar algumas leguminosas forrageiras também para ajudar a cobrir rápido.
MARCO AURÉLIO FACTORI

PRESIDENTE PRUDENTE - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 06/05/2019

Genes bom dia

Sobre sua pergunta, fecha sim com certeza. O Mombaça não é um capim que recobre todo o solo. Por este motivo, o aparecimento de touceiras dominará a área e neste espaçamento que falou será o suficiente. Att. Marco Aurélio Factori
GENES BERTOLDO MARTINS

RES. BIOLÓGICA DO JARU - RONDÔNIA

EM 02/05/2019

Se eu plantar o Mombaça manual 40cm de espaçamento ele fecha?
MARCO AURÉLIO FACTORI

PRESIDENTE PRUDENTE - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 04/01/2019

Prezado Nilson

A quantidade de calcário acrescida dependerá de sua análise de solo e dos resultados de V% nela encontrados. Toda recomendação não baseada em uma análise de solo poderá causar prejuízos a cultura e principalmente ao bolso. Att. Marco Aurélio Factori
MARCO AURÉLIO FACTORI

PRESIDENTE PRUDENTE - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 04/01/2019

Prezado Wagner.

O uso de herbicida pré emergente pode ser vantajoso. Certifique-se somente se este herbicida não prejudicará o capim. Veja este detalhe com o vendedor. Outra saída seria plantar o tifton em linha e na entre linha entre com controle mecânico, ou ainda, com dessecante localizado em um dia sem ventom, tomando o cuidado de não atingir o Tifton. Att. Marco Aurélio Factori
NILSON LISBOA DE PAULA

EM 31/12/2018

Boa noite qual e a quantidade de calcário por metro qadrado
WAGNER AREDES

EM 31/12/2018

Bom dia , tenho uma pastagem de branchiara e quero eliminá-la e plantar o tifton, estou pensando em usar o glifosato para dessecar e plantar o tifton em mudas. logo após usar um herbicida pre emergente e repetir se for necessário, o que vc acha?tem conhecimento com essa técnica?
WAGNER AREDES

EM 31/12/2018

Bom dia , gostaria que vc mim tirasse uma dúvida, tenho uma pastagem de branchiara e quero passar para tifton, estou pensando em usar glifosato para dessecar , plantar em mudas e simultaneamente usar um herbicida pré emergente e se precisar repetir a dose , o que vc acha ?
MARCO AURÉLIO FACTORI

PRESIDENTE PRUDENTE - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 04/06/2018

Prezado Cleber

O plantio pode ser feito a lanço (manual ou máquina) e incorporado no solo. Ainda pode ser feito via máquina (semeadora) que já incorpora a semente no solo. Os dois jeitos funcionam, desde que bem feitos.
Att. Marco Aurélio Factori
MARCO AURÉLIO FACTORI

PRESIDENTE PRUDENTE - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 21/05/2018

Prezado Cleber.

Pode sim, mas ao misturar dois capins, não terá um manejo correto que atenda os dois, mas de resto, sem problemas. Mas, atende com a umidade do solo. Neste caso, a Humidicola tolera solos úmidos, mas o Braquiarão, não. Atente-se com isso. Att. Marco Aurélio Factori
CLEBER QUEIROZ

EM 21/05/2018

Obrigado Sr Marco Aurélio,mais uma dúvida, o plantio devo fazer no início do período chuvoso certo? E esse plantio é por semeação ou por plantação mecanizada? Como faze-lo?
CLEBER QUEIROZ

EM 17/05/2018

Posso plantar a braquiarão numa área que tem humindicula, sem gradear, tipo cobrindo os espaços vazios e plantando por cima ou junto com a humindicula? A área é de apenas 1 alqueire e iria plantar na plantadeira manual mesmo, seria possível?
SILLAS MARGARIDA

GOIÂNIA - GOIÁS

EM 20/04/2017

Para compensar toda essa novela de gradear e re-gradear, acredito que fazer consorcio com lavoura seria uma boa.

Ex. passo a grade na forrageira planto um milho para silagem, colho o milho e aproveito para alimentar o gado.

Após gradeio a terra novamente, a fim de eliminar a rebrota e planto milho consorciado com a nova forrageira...

colho o milho e fico somente com a nova forrageira.

Fizemos isso em um pasto deu resultado.
MARCO AURÉLIO FACTORI

PRESIDENTE PRUDENTE - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 27/01/2016

Prezado Julio



Sobre sua duvida, pode sim plantar Mombaça em terras com braquiárias, desde que você siga algumas recomendações que menciono no texto, dentre outras... Caso precise de assistência fico a disposição. Entre em contato: mafactori@yahoo.com.br

Att. Marco Aurélio Factori
JULIO CESAR DE SOUZA SILVA

ALEGRE - ESPÍRITO SANTO

EM 24/01/2016

posso plantar mombaça onde há brachiaria?
MARCO AURÉLIO FACTORI

PRESIDENTE PRUDENTE - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 06/11/2015

Prezado Marcelo



Infelizmente não tenho nenhum dado para sua dúvida, no entanto aluns técnicos recomendam alguns tipos de herbicidas que quando colocados em sub dosagem podem controlar alguns capins e interferi menos em outros. Para tanto não tenho nenhuma sugestão para você. Procure uma loja agropecuária que poderá te ajudar pois temos uma variada quantidade de herbicidas que podem funcionar mas eu não tenho nada para te  recomendar. Ainda, quero ressaltar que se a infestação de outro capim for localizada você pode fazer o controle mecânico que é mais seguro, ok. Sobre seu segundo questionamento, aqui mesmo no radar técnico já escrevi algo sobre sua duvida: "Fatos curiosos na formação de pastagem". Caso precise de mais informações entre em contato.

Estamos a disposição. Att. Marco Aurélio Factori
MilkPoint AgriPoint