FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Mercado transparente no Paraná

MARCELO PEREIRA DE CARVALHO

EM 17/01/2003

3 MIN DE LEITURA

0
0
O Conseleite - Conselho Paritário Produtores/Indústrias de Leite do Estado do Paraná, emitiu sua primeira resolução com os preços de referência para o leite e mais 14 lácteos. Para quem não sabe, o Conseleite reúne produtores e indústrias do Paraná, com o objetivo de trazer transparência ao mercado de lácteos no Estado e estabelecer referências concretas para a precificação. É uma experiência inédita no leite, embora tenha sido modelada a partir do Consecana, grupo semelhante constituído para a cana-de-açúcar.

Os cálculos e o trabalho de acompanhamento vêm sendo realizados pela Coordenação de Extensão Rural e Pesquisa da Universidade Federal do Paraná (UFPR), que integra a Câmara Técnica do órgão. A ação conjunta foi iniciada com um convênio entre a Funpar, o Sindileite e a Faep, para a definição do chamado "mix", ou seja, os 14 principais derivados lácteos fabricados no Estado.

A partir de agora, a cada mês, o Conseleite divulgará os preços recomendados, tendo como base os produtos comercializados no estado. Os valores projetados para a matéria-prima, hoje, são de R$ 0,3957 para o leite-padrão, R$ 0,4551 para o leite com qualidade superior, e R$ 0,3597 para o leite de qualidade inferior.

Com o objetivo de ilustrar o funcionamento do sistema, reproduzimos nas tabelas abaixo os preços dos produtos comercializados em dezembro de 2002 e em janeiro de 2003, e a suas respectivas participações no Mix de comercialização.

Tabela 1: PREÇOS DOS PRODUTOS1 E MIX DE COMERCIALIZAÇÃO EM DEZEMBRO/2002



1/ Os preços incluem impostos e se referem ao produto posto no estabelecimento comprador.


O preço de referência final do leite padrão para o mês de dezembro/2002, calculado segundo metodologia definida pelo Conseleite - Paraná a partir dos preços médios e do mix de comercialização do mês, bem como o maior e menor valor de referência, de acordo com os parâmetros de ágio e deságio em relação ao Leite Padrão, são apresentados na tabela 2:
Tabela 2: VALORES FINAIS DE REFERÊNCIA DA MATÉRIA-PRIMA (LEITE) - DEZEMBRO/2002



Os dados dos primeiros 10 dias de janeiro de 2003 seguem na tabela 3.

Tabela 3. PREÇOS DOS PRODUTOS1 E MIX DE COMERCIALIZAÇÃO NO 1º DECÊNDIO DE JANEIRO DE 2003



1/ Os preços incluem impostos e se referem ao produto posto no estabelecimento comprador.


A partir desse levantamento, é possível calcular os preços de referência projetados para 2003, colocados na tabela 4.

Tabela 4: VALORES PROJETADOS DE REFERÊNCIA DA MATÉRIA-PRIMA (LEITE) PARA JANEIRO DE 2003.



Já foi dito nessa coluna, mas nunca é demais repetir, que o Conseleite, apesar de recém-nascido, já se constitui em uma das principais realizações do setor nos últimos tempos, ao sinalizar um caminho para o futuro. E são várias as razões para isso:

- ao reunir produtores e indústrias, com o suporte da Universidade, o Conseleite parte do princípio que a cadeia produtiva pode e deve ser auto-gerida, ou seja, os problemas devem ser resolvidos "dentro de casa", com profissionalismo, superando-se os conflitos existentes na base da negociação aberta; trata-se no mínimo de uma experiência interessante, ao vislumbrar o ajuste de uma cadeia delicada como a do leite, sem a participação do governo.

- ao levantar a situação de mercado para os principais produtos lácteos, cria-se um mecanismo transparente para a precificação, evitando-se distorções típicas da desinformação e da manipulação de informações de mercado e evitando posições desencontradas, que causam desgastes e não raro minam boas argumentações;

- ao melhorar a relação entre produtor e indústria - e aí está o mais importante - o setor ganha força e consistência para negociar posições junto à rede varejista e mesmo se defender junto à opinião pública, que muito tem a contribuir ou prejudicar o setor, caso esteja mal informada.

Enfim, através de iniciativas como o Conseleite, caso bem sucedidas, o setor pode avançar significativamente no sentido de resolver seus eternos conflitos e, com isso, destinar seus esforços para a expansão do mercado consumidor interno e para um posicionamento definitivo no mercado internacional de lácteos.

Vale, por fim, elogiar os seus integrantes: produtores, organizados pela FAEP, e a indústria, por intermédio do Sindileite local.

Mais informações sobre o Conseleite:

O Conseleite é formado por 11 representantes da indústria e 11 da produção, indicados respectivamente pelos produtores e indústria, além da participação da UFPR, fiel depositária dos dados. As agroindústrias que integram o Conselho são: Sudcoop (Medianeira), Confepar (Londrina), Batavia (Carambeí), Leco-Vigor (Santo Inácio), Latco (Cruzeiro do Oeste), Líder (Lobato), Pic-Nic (Tapejara) e Ubá (Ivaiporã), empresas que respondem por 80% da produção estadual de leite e comercializam sua produção em 20 estados brasileiros.

MARCELO PEREIRA DE CARVALHO

Engenheiro Agrônomo (ESALQ/USP), Mestre em Ciência Animal (ESALQ/USP), MBA Executivo Internacional (FIA/USP), diretor executivo da AgriPoint e coordenador do MilkPoint.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint