ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
FAÇA SEU LOGIN E ACESSE CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

Acesso a matérias, novidades por newsletter, interação com as notícias e muito mais.

ENTRAR SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Influência da nutrição sobre a performance reprodutiva em gado leiteiro (Energia, 1ª parte)

POR JOSÉ LUIZ MORAES VASCONCELOS

JOSÉ LUIZ M.VASCONCELOS E RICARDA MARIA DOS SANTOS

EM 11/05/2001

2 MIN DE LEITURA

0
0

José Luiz Moraes Vasconcelos

A adequação do manejo produtivo e reprodutivo de vacas leiteiras pressupõe a compreensão da curva de produção leiteira, englobando as variações na ingestão de matéria seca, peso corporal e produção de leite, sendo que o aumento da capacidade genética para produção leiteira, associado com mudanças no manejo nutricional e tamanho do rebanho, tem sido responsáveis por um declínio na fertilidade de vacas lactantes.

Os requerimentos nutricionais mudam abruptamente no início da lactação em vacas de alta produção, sendo que a intensidade e duração do BEN são primariamente relacionados à relação IMS X produção de leite que também são influenciados pela condição corporal ao parto.

O conceito para expressar a condição energética do animal é o balanço energético, definido como a diferença entre a energia ingerida, menos a energia despendida. Vacas com balanço energético positivo depositam gordura, enquanto que vacas com balanço energético negativo mobilizam reservas corporais. O balanço energético negativo não é problema apenas em vacas subalimentadas, mas também, naquelas com proporcional alta produção de leite em relação a IMS.

No início da lactação, vacas de alta produção apresentam balanço energético negativo, e sua magnitude influencia o desenvolvimento folicular e o intervalo para a primeira ovulação. O BEN durante as primeiras 3- 4 semanas pós-parto é altamente correlacionado com os dias para a primeira ovulação, ou seja, quanto mais intenso o BEN, maior o intervalo para a primeira ovulação. O anestro pós-parto também pode reduzir a eficiência reprodutiva por atrasar o primeiro serviço, de forma que vacas que não apresentam estro nos primeiros 30 dias pós-parto, requerem mais serviços por concepção com maior risco de serem descartadas.

Ao estudar a relação entre balanço energético e o intervalo parto-primeira ovulação em vacas holandesas foi observado um intervalo médio entre o parto e ovulação de 36(6 dias, ocorrendo ovulação aproximadamente 10 dias após o balanço energético ter iniciado o regresso ao ponto zero.

O BEN que acomete vacas leiteiras pós-parto influencia o restabelecimento da ciclicidade ovariana pós-parto devido interferência na secreção de GnRH e LH, sendo que dietas com baixo teor energético, tem ação direta sobre o eixo hipotálamo-hipofisário, reduzindo a freqüência de descargas de GnRH e de pulsos de LH, o que ocorre mais por causa da inatividade hipotalâmica, do que da inabilidade da hipófise em responder ao GnRH.

Estudos demonstram que para a restauração da atividade ovariana após o parto, a influência da secreção de LH é fundamental, sendo que a secreção de LH é reduzida em vacas em BEN, modificando o padrão de crescimento folicular nos primeiros 25 dias, em que vacas com melhor balanço energético, o número de folículos classe 1 (3 a 5 mm) diminuía enquanto o número de folículos classe 3 (10 a 15 mm) aumentava. Também existem citações na literatura em que menor IMS reduz o diâmetro e a persistência do folículo dominante, diminuindo o intervalo entre ondas foliculares e também o oposto, de que em dietas altamente energéticas os animais apresentavam maior folículo dominante do que aquelas com baixa dieta energética.

Figura 1 - Exemplo de relação entre produção de leite, ingestão de energia (ED), peso corporal, e balanço energético durante o início da lactação

 

Figura 1



fonte: MilkPoint

JOSÉ LUIZ MORAES VASCONCELOS

Médico Veterinário e professor da FMVZ/UNESP, campus de Botucatu

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint