ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Efeito do manejo e saúde da bezerra em sua idade, peso e condição de escore corporal ao primeiro parto

CARLA BITTAR

EM 05/09/2005

9 MIN DE LEITURA

0
0

Por Carla Maris Bittar Nussio1 e Vanessa Pillon dos Santos2

Devido ao alto investimento econômico envolvido na criação de novilhas leiteiras deveríamos estabelecer um sistema de avaliação e monitoramento desta atividade. Como o manejo empregado no início da vida de uma animal afetará sua vida produtiva futura? Muitos trabalhos já foram conduzidos no sentido de verificar o efeito do manejo nutricional de novilhas no período pré-púbere em sua produção futura. Mas, o que dizer do manejo nutricional, de instalações e sanitário nos primeiros meses de vida?

Pesquisas têm demonstrado a associação entre manejo e saúde de novilhas leiteiras. Um estudo em 26 fazendas leiteiras do estado de Nova York indicou que o manejo afeta diretamente os riscos de doenças respiratórias nos primeiros 14 dias da bezerra. O ambiente em que a bezerra é criada também tem efeitos profundos na saúde e no crescimento. Este fato tem grande importância uma vez que o tratamento para doenças respiratórias e infecções pulmonares, além de ter sido associado à qualidade do ar da instalação, foi diretamente relacionado ao ganho de peso diário de bezerras. Vários fatores de manejo foram associados à morbidade e à mortalidade de bezerras e novilhas, sendo algumas dessas variáveis relacionadas ao tamanho da fazenda, a estação do ano e ao tratador.

O efeito do status de saúde da bezerra, durante suas primeiras semanas de vida, em sua sobrevivência e idade ao primeiro parto foi avaliada por Waltmer-Toews et al. (1986). Novilhas que receberam tratamento para pneumonia durante os primeiros três meses de vida apresentaram 2,5 vezes maior chance de morrer após 90 dias de idade do que bezerras que não receberam tratamento. Novilhas com histórico de tratamento para diarréia durante a fase de aleitamento apresentaram 2,5 vezes maior chance de serem vendidas, e 2,9 vezes maior chance de chegarem ao primeiro parto após 30 meses de idade. Não devemos perder de vista que idade ao primeiro parto menor que 30 meses, preferencialmente aos 24 meses, deve ser uma meta na criação de novilhas uma vez que se mostra mais econômica devido aos custos extras e a perda de produção associada com idades ao primeiro parto mais avançadas.

Em um grande estudo conduzido em Nova York com mais de 1170 novilhas, as taxas de incidência de diarréia foram de 9,9% nos primeiros 14 dias de vida, 5,2% de 15 a 90 dias de idade, 7,7% para bezerras apresentando apatia e 7,4% para bezerras com doenças respiratórias. Este estudo também avaliou o efeito de bezerras na idade ao primeiro parto dos mesmos animais. Novilhas sem problemas respiratórios enquanto bezerras apresentaram duas vezes maior chance de chegarem ao primeiro parto seis meses antes que novilhas que apresentaram doenças respiratórias. A saúde de novilhas leiteiras tem demonstrado apresentar um impacto significante nas taxas de crescimento de bezerras, especialmente durante os primeiros seis meses de vida.

Place et al. (1998), mostraram que as instalações e época do ano têm efeito significante no ganho de peso diário de bezerras. Outras variáveis como o local de parição (maternidade), o número de parições da mãe e a dificuldade no parto também têm efeito significante no ganho de peso diário até os quatro meses de idade. Dando continuidade a este estudo, Heinrichs et al. (2005), acompanharam os mesmos animais até o primeiro parto de maneira a verificar possíveis efeitos residuais de práticas de manejo das bezerras, nutrição e qualidade das instalações (ambiente) até o início da fase adulta e como estes eventos relacionados a bezerras afetam a idade, o peso, a altura na cernelha e a condição de escore corporal ao parto.

Material e Métodos

O efeito de doenças, manejo e nutrição no ganho de peso diário de novilhas foi estudado em aproximadamente 800 bezerras Holandesas provenientes de 21 fazendas comerciais, as quais foram visitadas quinzenalmente. Durante cada visita quinzenal, os animais foram identificados, sendo os dados relacionados à saúde coletados. O peso vivo e a altura na cernelha foram mensurados até os quatro meses de vida de cada bezerra, assim como o consumo individual de alimento. Também a cada visita, foram realizadas medidas de umidade e temperatura atuais, da concentração de NH3, e das temperaturas mínimas e máximas registradas durantes as duas semanas que antecederam a visita.

Nos 18 meses de acompanhamento subseqüentes, as fazendas foram visitadas a cada três meses para o acompanhamento de eventos relacionados à saúde e à cobertura dos animais. Quando as novilhas estavam próximas ao primeiro parto, as fazendas passaram a serem visitadas a cada 2-4 semanas, para coleta de informações relacionadas ao parto, incluindo idade, peso vivo, altura de cernelha e condição de escore corporal e eventos relacionados à saúde no parto.

Resultados

A fase inicial do estudo demonstrou que variáveis relacionadas com ao nascimento da bezerra e os cuidados da recém-nascida tiveram efeitos no ganho de peso diário. O ganho de peso diário foi afetado principalmente pela instalação ocupada pela bezerra logo após o nascimento, pelo consumo de alimento, pela estação do ano e por variações entre as fazendas (Place et al., 1998).

Os resultados da segunda fase do estudo mostraram que conforme a dificuldade do parto da bezerra aumenta uma unidade, a sua idade ao primeiro parto é acrescida de 17 dias. A condição de escore corporal também foi positivamente influenciada pela dificuldade ao parto; entretanto este resultado pode estar associado a idades ao primeiro parto mais tardias. A dificuldade ao parto tem sido também associada ao aumento da mortalidade e morbidade de bezerras no início da vida. Por outro lado, a dificuldade ao parto parece não ter influência no crescimento de novilhas uma vez que não foi observado efeito significativo deste fator no peso vivo e na altura na cernelha ao parto.

Foi observada uma tendência de aumento no peso vivo e na condição de escore corporal ao parto em novilhas filhas de vacas mais velhas, ou seja, foi observado efeito de paridade da vaca. Estas novilhas podem ter sido maiores ao nascimento devido a fatores relacionados ao tamanho da mãe ou a escolha de touro para a mesma. Entretanto, não foi observado efeito de paridade da mãe na idade ao primeiro parto da filha, assim como em sua altura na cernelha.

A saúde de bezerras durante os primeiros 4 meses de vida e a necessidade de tratamento de casos de diarréia ou problemas respiratórios apresentaram efeitos interessantes. Houve uma tendência para maiores períodos de tratamento aumentarem a idade ao primeiro parto. O aumento na idade ao primeiro parto é esperado como resultado de problemas de saúde afetando crescimento e ganho de peso. Entretanto, peso vivo e condição de escore corporal ao parto não foram afetados pelos dias em tratamento.

A nutrição dos animais durante a primeira idade também teve efeitos na vida futura das bezerras. O consumo de alimento ao desaleitamento não afetou a idade, o peso, a condição de escore corporal ou a altura na cernelha ao primeiro parto. O máximo consumo de leite influenciou de forma positiva a condição de escore corporal e a idade ao primeiro parto, mas não a altura na cernelha. A idade na qual as novilhas passaram a consumir 0,91 kg de ração e o consumo na 16a semana de idade afetaram a idade, o peso, a condição de escore corporal ou a altura na cernelha ao primeiro parto das novilhas.

A porção FDA proveniente de forragens, o que representa a quantidade de fibra e, portanto, é inversamente proporcional ao nível de energia da forragem, demonstrou que fazendas e novilhas recebendo forragem de baixa qualidade tenderam a apresentar maior idade ao primeiro parto, embora não tenha sido observado efeito em outros parâmetros avaliados. Espera-se que a nutrição da bezerra afete sua taxa de crescimento de forma positiva em relação ao consumo de leite; e de forma negativa em relação a dietas com alta fibra e baixa energia. Se as decisões relacionadas à cobertura de novilhas são feitas com base no peso vivo e outros parâmetros de crescimento, parece lógico que a idade ao primeiro parto seja o único parâmetro ao parto afetado pela nutrição dos animais.

Com relação às instalações e ao meio, a alta umidade e temperatura resultaram em aumento na idade ao primeiro parto. Este resultado se deve em parte ao aumento de doenças subclínicas ou estresse sofrido pelos animais. Embora os aumentos na idade ao primeiro parto não tenham sido grandes em resposta a cada uma destas variáveis, estas foram significantes, representando real desvantagem econômica para as fazendas onde os níveis destes indicadores do ambiente são altos. A temperatura, a umidade e as concentrações de NH3 também afetaram significativamente o peso vivo, a condição de escore corporal e altura da cernelha ao primeiro parto. Entretanto, estes aumentos podem provavelmente ser atribuídos às avançadas idades ao primeiro parto.

Conclusões

Os resultados da análise destes dados mostram que a idade ao primeiro parto pode ser significativamente afetada por eventos que ocorrem com o animal durante seu nascimento, assim como fatores relacionados a nutrição, saúde e ambiente imposto durante os primeiros quatro meses de vida. O peso vivo ao parto também é afetado por várias destas mesmas variáveis relacionadas ao animal. O escore de condição corporal e altura da cernelha ao parto são menos afetadas por essas variáveis, talvez devido ao menor grau de acurácia destas medidas e as menores faixas de variação de seus valores.

O reconhecimento de que eventos do início da vida do animal podem ter impactos em longo prazo no crescimento e maturação do animal aumenta a importância do manejo em geral de bezerros recém-nascidos e durante os primeiros quatro meses de vida.

Comentários

O presente trabalho demonstra a importância do manejo e nutrição de bezerras durante a fase de crescimento em sua vida produtiva futura. A maior parte das variáveis estudadas afetou de forma significativa a idade ao primeiro parto, um dos pontos mais críticos no que diz respeito ao custo de criação de novilhas de reposição. Os fatores com efeitos importantes na idade ao primeiro parto de novilhas vão desde o nascimento da bezerra até a concentração e qualidade da fibra da dieta. O aumento na idade ao primeiro parto pode elevar o custo do rebanho de três formas: 1) aumentando os dias de criação até a primeira parição; 2) aumentando o número de novilhas na fazenda; e 3) diminuindo seu potencial de produção. Sendo assim, a criação de novilhas e todas as tomadas de decisão referentes a manejo e nutrição desta categoria animal devem ser inseridas dentro do sistema de produção da propriedade.

Referências

Heinrichs, A.J.; Heinrichs, B.S.; Harel, O.; Rogers, G.W.; Place, N.T. A prospective study of calf factors affecting age, body size and body condition score at first calving of Holstein dairy heifers. J. Dairy Science, 88:2828-2835, 2005.

Place, N.T.; Heinrichs, A.J.; Erb, H.N. The effects of disease, management and nutrition on average daily gain of dairy heifers from birth to four months. J. Dairy Science, 81:1004-1009, 1998.

Waltner-Toews, S.W.; Martin, S.W.; Meek, A.H. The effect of early calfhood health status on survivorship, and age at first calving. Can. J. Vet. Res., 50:314-317, 1986.

______________________________________
1Pesquisadora Depto. de Zootecnia, ESALQ/USP.
2Aluna de Mestrado em Ciência Animal e Pastagens, ESALQ/USP.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint