ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Alterações na qualidade do colostro de acordo com o método de descongelamento: banho-maria e microondas

POR CARLA MARIS MACHADO BITTAR

CARLA BITTAR

EM 23/09/2008

7 MIN DE LEITURA

2
0
O fornecimento de colostro de boa qualidade é o fator de maior importância para a saúde de bezerros. Os bezerros nascem desprovidos de anticorpos e portanto são dependentes de anticorpos (Ig) recebidos através do colostro para estabelecimento de proteção imunológica. Concentrações séricas insuficientes de Ig predispõem bezerros a problemas de saúde e aumentam as taxas de mortalidade do rebanho.

Para se garantir uma adequada transferência de imunidade, o colostro deve ser fornecido logo após o nascimento ou o mais rápido possível, uma vez que a absorção de Ig é reduzida com o passar do tempo, além de apresentar boa qualidade. Pode-se notar que a imunidade passiva é dependente da capacidade de absorção de Ig (fator tempo) e da quantidade de Ig ingerida (fator qualidade).

Conforme o fornecimento é atrasado a absorção de Ig se reduz e finalmente se encerra com 24h após o nascimento. Para bezerros recebendo colostro logo após o nascimento, as concentrações de Ig no colostro ingerido e no sangue se correlacionam positivamente.

Por vários motivos pode-se não ter colostro de qualidade em quantidade disponível para o neonato, entre eles a baixa produção, problemas como febre do leite, mastite e presença de sangue no colostro. Além destes fatores, o colostro pode apresentar concentrações inadequadas de Ig, especialmente quando for de primíparas. Em ambas as situações uma fonte alternativa de colostro se torna necessária para fornecimento ao recém-nascido.

A formação de um banco de colostro, composto por colostro excedente armazenado em freezer, garante a disponibilidade de colostro de boa qualidade e em quantidade suficiente para o fornecimento ao recém-nascido. No entanto, uma vez que o tempo para o primeiro fornecimento é crucial para adequada aquisição de imunidade passiva, a utilização de métodos para rápido descongelamento também se torna importante para um bom manejo de colostro.

A alta temperatura reduz a qualidade do colostro uma vez que proteínas, como é o caso das imunoglobulinas, podem ser desnaturadas. Assim, o descongelamento utilizando banho-maria com água em alta temperatura pode alterar a estrutura dos anticorpos, afetando a aquisição de imunidade dos bezerros.

Neste sentido, pesquisadores das Universidades de Illinois e de Ohio conduziram trabalho para comparar diferentes métodos de descongelamento de colostro e possíveis alterações em sua qualidade medida através da concentração de anticorpos.

Material e Métodos

Colostro foi colhido na primeira ordenha após a parição de nove vacas, incluindo quatro vacas imunizadas com eritrócitos de outra vaca para estimulo do sistema imune. Colostro de segunda ordenha também foi colhido das vacas imunizadas. O colostro de cada animal foi armazenado individualmente em freezer até que todas as vacas tivessem parido, para então se realizar a formação de um pool de colostro.

A composição do pool de colostro foi: 40% colostro de primeira ordenha de vacas imunizadas; 20% colostro de segunda ordenha de vacas imunizadas; e 40% de colostro de primeira ordenha de vacas não imunizadas. Volumes de 1L foram armazenados em recipientes seguros para microondas a -20°C.

As alíquotas de 1L foram descongeladas em microondas ou em água morna. O descongelamento em microondas foi realizado em potência alta (650W) por 10 minutos (MPA) ou em potência média (325W) por 17 minutos (MPM). O colostro descongelado em água morna (45°C) por 25 minutos serviu de controle (CON). Amostras descongeladas em microondas continham coágulos que foram retirados antes das análises.

O volume após o descongelamento foi medido em todas as amostras, assim como o pH. As amostras foram então centrifugadas para separar a gordura e o colostro desengordurado foi então obtido para determinação de proteína total, caseína e concentração de anticorpos (IgG, IgM e IgA).

Resultados e Discussão

O descongelamento de colostro em microondas resultou em uma pequena quantidade de coágulos, provavelmente devido ao aquecimento irregular. Consequentemente, o volume e a concentração de proteína do colostro descongelado foram significativamente afetados (Tabela 1). O volume médio e a quantidade de proteína do colostro descongelado em microondas foram menores que o observado naquele descongelado em água morna, sem diferenças entre colostro descongelado em potências diferentes do microondas.

A porcentagem e a quantidade de caseína, assim como o pH das amostras não foram afetadas pelos tratamentos. Esperava-se que os coágulos resultantes do descongelamento em microonda fossem compostos basicamente de proteína mas isso não afetou o teor de proteína do colostro descongelado em microondas.

Tabela 1. Volume após descongelamento, proteína bruta, concentração e conteúdo de caseína e pH de amostras de 1L de colostro descongeladas através de microondas ou em banho-maria (controle).



A concentração de IgA, IgG, e IgM foi mensurada uma vez que serve como medida de proteção imunológica. Somente a concentração de IgA foi significativamente afetada pelo descongelamento em microondas (Tabela 2). A concentração de IgA nas amostras controle foi maior que a média dos dois tratamentos com microondas, sendo que em potência média foi maior que em potência alta. A redução na concentração de IgA do controle para o tratamento com potência alta foi de 21%. A menor concentração de IgM também foi observada para o tratamento com potência alta mas esta não foi significativamente diferente do descongelamento em potência média.

O inverso foi observado para o IgG, onde o descongelamento com potência alta apresentou a maior concentração, seguido do descongelamento com potência média e depois do tratamento controle, muito embora os valores não tenham diferença estatística.

Tabela 2. Concentração e conteúdo total de imunoglobulinas em amostras de 1L de colostro descongeladas através de microondas ou em banho-maria (controle).



As diferenças na concentração de Ig podem ter ocorrido devido a mudanças no volume durante o descongelamento em microondas. Mudanças no volume foram consideradas quando se calculou o conteúdo total de Ig (Tabela 2). O conteúdo total de IgA foi significativamente afetado pelos tratamentos.

O menor valor foi observado em amostras descongeladas em potência alta, o que foi menor que em potência média, e a média destes dois foi menor que o controle. A diferença na quantidade de IgA entre o tratamento controle e potência alta foi de 28%. Os tratamentos também afetaram a quantidade total de IgM, mas não foram observadas diferenças estatísticas. A quantidade total de IgG não foi afetada pelos tratamentos. A correção para diferenças de volume resultou em menores quantidades de IgG para colostro descongelado em potência alta e a maiores para aquele descongelado em água morna (controle).

A redução no volume de colostro associado com o descongelamento em microondas compensou a redução na quantidade de IgG, resultando em maiores concentrações de IgG para colostro descongelado em microondas em potência total ou média quando comparado ao controle (resultado também sem efeito estatístico significativo). Entretanto, este não foi o caso para IgA e IgM. O descongelamento de colostro em microondas em potência média reduz a perda de IgG quando comparada a potência total.

Referências

JONES, L.; TAYLOR, A.W.; HINES, H.C. Characteristics of frozen colostrum thawed in a microwave oven. J. of Dairy Science, n.70, p.1941-1945, 1987.

Comentários

O rápido fornecimento de colostro de boa qualidade para bezerros neonatos é crucial para adequada aquisição de imunidade passiva. O colostro pode ser classificado em três faixas de acordo com a concentração de Ig: 1) < 22 mg/mL, baixa qualidade; 2) 22-50 mg/mL, qualidade moderada; e 3) > 50 mg/mL, alta qualidade. O colostro de boa qualidade e recomendado para fornecimento na primeira e segunda alimentação do neonato é normalmente o colostro de primeira ordenha.

De forma a garantir colostro em quantidade e qualidade adequadas para fornecimento aos bezerros recém-nascidos, muitas propriedades têm um banco de colostro. No entanto, uma vez que o tempo para fornecimento é tão importante quanto a quantidade e a qualidade do colostro, o rápido descongelamento, sem prejuízos à qualidade do mesmo, é desejável.

O trabalho mostrou que o descongelamento pode ser realizado em microondas sem que ocorram grandes alterações na qualidade do colostro. As principais alterações ocorreram com relação a concentração e conteúdo de IgA, classe de imunoglobulina não tão importante no que diz respeito a imunidade dos bezerros, uma vez que, assim como a IgM, está relacionada a imunidade local do intestino.

Do total de Ig no colostro, 85-90% é IgG, a classe das imunoglobulinas mais importante para a saúde do animal, uma vez que está relacionada a imunidade sistêmica. O trabalho mostra uma significativa redução no volume de colostro quando se fez o descongelamento em microondas e, embora tenha ocorrido a formação de coágulos, os quais foram retirados antes das análises, não houveram alterações na concentração ou conteúdo de imunoglobulinas G.

No entanto, a grande variação na potência de diferentes fornos microondas sugere que sempre se utilize baixa ou média potência, além da periódica retirada de colostro já descongelado para evitar o superaquecimento. O microondas já vem sendo utilizado em muitas propriedades como ferramenta para determinação de matéria seca em alimentos, podendo também ser utilizado para o rápido descongelamento do colostro, reduzindo o tempo para o primeiro fornecimento após o nascimento.

CARLA MARIS MACHADO BITTAR

Prof. Do Depto. de Zootecnia, ESALQ/USP

2

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CARLA MARIS MACHADO BITTAR

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 30/09/2008

Caro Juliano,

Não se recomenda o fornecimento de silagem de colostro para bezerros recém-nascidos uma vez que este alimento não preserva a qualidade desejada do colostro. O armazenamento de colostro excedente na forma de silagem tem funcionado muito bem e tem custo baixo pois não há necessidade de freezer.

No entanto, as concetrações de imunoglobulinas não são mantidas e a composição em nutrientes é alterada, devendo ser oferecido para animais após o período de colostragem. Para manutenção da qualidade do colostro em relação a imunoglobulinas o mesmo deve ser armazenado em geladeira por até 7 dias ou em freezer.

Att.,
Carla.
JULIANO ALMEIDA E SILVA

GOIÂNIA - GOIÁS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 26/09/2008

Parabéns pela reportagem, Carla Maris.
Melhor do que ter que descongelar leite é fazer a silagem do colostro pois é feito a temperatura ambiente e o rendimento é muito bom. Tenho ótimos resultados com a silagem.
Tenho uma dúvida. O que significa sangue no colostro? O colostro com sangue pode ser utilizado normalmente para a alimentação das bezerras?
Muito obrigado
MilkPoint AgriPoint