FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

MIP: será que você já faz e ainda não sabe?

POR CAMILA CORRÊA

DECOY - CONTROLE SEGURO, COM O PODER DA NATUREZA

EM 30/10/2020

3 MIN DE LEITURA

0
1

Atualizado em 30/10/2020

O manejo de pragas é uma prática fundamental para combate dos organismos que prejudicam a produção. É eficaz no controle das ameaças fitossanitárias e promoção de sustentabilidade na agropecuária. A demanda constante por alimentos com menor índice de resíduos químicos cresce de forma acelerada. Da mesma forma, as produções precisam se desenvolver em um ambiente sadio e equilibrado, que oferece resistência ao surgimento de pragas que causam desequilíbrio e prejuízos econômicos.

Nesse cenário, surge o Manejo Integrado de Pragas (MIP), que cada vez mais adotado por produtores, traz resultados benéficos no controle de pragas e até economia na aplicação de defensivos.

Mas, você sabe o que é MIP? Será que você já faz esse manejo e não sabe? No texto de hoje, vamos contar tudo o que você precisa conhecer desta técnica.  

O que é MIP?

O Manejo Integrado de Pragas é um conjunto de técnicas que associa o ambiente a dinâmica populacional da praga. Simplificando, são estratégias de controle de doenças e insetos. Ou seja, une um conjunto de medidas que objetiva manter as pragas abaixo do nível de dano econômico (NDE). As medidas são aplicadas quando a densidade populacional da praga atinge o nível de controle (NC). Já quando a população de pragas se mantém abaixo do NC, é considerado que ela se encontra no nível de equilíbrio (NE).

Se você realiza algum manejo para controle de pragas, como observação visual e após aplicação de defensivos, já realiza MIP. Muitas vezes, os produtores acreditam que as técnicas exigem muita tecnologia e são complicadas. Mas não! O MIP é um sistema simples que auxilia o produtor na melhor tomada de decisão. Em alguns casos, a utilização correta deste manejo pode reduzir 50% da aplicação de inseticidas.

Pilares do MIP

O manejo integrado leva em consideração alguns preceitos importantes que devem ser pontos de atenção para o produtor. As condições do ambiente irão envolver a fenologia, nutrição e estresse da planta, fase do inseto, fatores climáticos e inimigos naturais. O monitoramento constante através de amostragens no campo auxilia para detecção da infestação das pragas. Já conhecer a biologia das pragas, é fundamental para fazer o correto monitoramento e controle. 

Os pilares do MIP estão baseados em seis preceitos principais:

Controle cultural: É o emprego de práticas agrícolas que são normalmente utilizadas no cultivo. São exemplos, rotação de culturas, pousio, eliminação de soqueiras, rebrotas e tiqueras.

Controle biológico: Ação direta de inimigos naturais na manutenção da densidade das pragas em nível inferior àquele que ocorreria na ausência deles. Visa preservação os organismos que já estão no ambiente. Assim como realizar a aplicação destes na produção.

Controle comportamental: Utiliza hormônios, feromônios, atraentes e repelentes para modificar a praga alvo e reduzir sua população. Também são importantes para monitorar as pragas, por exemplo, feromônios que capturam insetos em armadilhas. Com a recomendação correta, o uso destes produtos auxilia o produtor na tomada de decisão da aplicação do defensivo.

Controle genético: Controle através da esterilização híbrida. É a conhecida técnica do inseto estéril, onde machos da praga são produzidos em laboratório e quando liberados no campo, ao encontrarem as fêmeas são se reproduzem. Assim a população da praga é reduzida.

Controle mecânico: É bastante artesanal, e consiste na redução da população de pragas através de técnicas diretas de remoção de pragas. É menos comum devido a alta necessidade de mão de obra.

Resistência: Uso de organismos que sejam resistentes as principais pragas. São obtidos através de melhoramento e é uma técnica realizada principalmente em plantas. Algumas pastagens, por exemplo, são mais resistentes a alguns tipos de solos, seca ou pragas. 

É importante lembramos que o objetivo do manejo integrado não é eliminar as pragas, e sim reduzir a sua população para abaixo do nível de controle. É importante que o ecossistema trabalhe em conjunto para que p ambiente se torne mais saudável possível.

O infográfico abaixo mostra com mais detalhes como o sistema os pilares do MIP se integram para a melhoria de todo o sistema.

Importância do MIP

Abaixo seguem os principais benefícios da utilização das técnicas de manejo integrado:

  • Controle direto de pragas;
  • Manutenção da biodiversidade;
  • Preservação dos inimigos naturais;
  • Otimização da aplicação de defensivos químicos ou biológicos;
  • Diminuição do impacto ambiental;
  • Preservação da biotecnologia no campo;
  • Redução de perdas na lavoura; e
  • Aumento da produtividade.

 

Tem dúvidas sobre como a Decoy pode te ajudar? Entre em contato com a gente pelo Box abaixo! 

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint