FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Leite orgânico: com alta demanda de mercado, produtores revelam estratégias para ingressar no setor

POR CAMILA CORRÊA

DECOY - CONTROLE SEGURO, COM O PODER DA NATUREZA

EM 25/09/2020

5 MIN DE LEITURA

0
2

O mercado consumidor está cada vez mais exigente. A busca por produtos provenientes de sistemas que prezam pela sustentabilidade e rastreabilidade, cresce de forma acelerada. Nesse cenário, o mercado do leite orgânico vem ganhando cada vez mais espaço.

A produção do leite orgânico é baseada nas premissas de ser economicamente viável, ecologicamente correto e socialmente justo. No manejo, o produtor precisa estar atento a diversos pontos essenciais na produção. Afinal, o produto precisa passar por auditorias e ser certificado para garantir todos os processos.

No sistema, é fundamental que o pecuarista tenha compromisso com a preservação ambiental e proporcione condições adequadas de trabalho aos colaboradores e foque na excelência da produção.

É vantajoso produzir leite de forma orgânica?

Neste artigo, vamos mostrar um pouco sobre as vantagens da produção do leite orgânico. E vamos conhecer na prática cases que chegaram ao sucesso com o apoio da Decoy.

O que é leite orgânico?

O leite orgânico é produzido através de manejos que não utilizam insumos químicos na alimentação do animal. A base da alimentação do gado neste sistema é orgânica. Para ser orgânico o leite deve ser produzido respeitando todas as exigências da Lei 10.831, Instrução Normativa 46. Neste, é possível encontrar a regulamentação de produção, armazenamento, rotulagem, transporte, certificação, comercialização e fiscalização da produção.

De forma geral, no manejo da pastagem não deve ser utilizada adubação química ou defensivos químicos; a base da alimentação animal deve ser predominantemente orgânica; não é permitido fazer uso de antibióticos, vermífugos, promotores de crescimento ou molécula de base química do tratamento dos animais; dentre outros. Além disso, não são suplementos vitamínicos ou minerais que possam deixar resíduos químicos no leite.

Bem estar animal

Um dos principais pontos da produção de leite orgânico é a qualidade de vida do rebanho. No sistema, os animais não podem ser criados em sistema de confinamento exclusivo. Os animais precisam ter acesso livre à água de qualidade e as áreas com sombreamento. O controle sanitário deve ser baseado em produtos homeopáticos, fitoterápicos e de controle biológico.

Vantagens econômicas

O leite produzido de forma orgânica possui maior valor agregado no mercado. Consequentemente a rentabilidade do produtor é maior. Seu consumo atualmente ainda é realizado por uma pequena parcela da população. No entanto, à medida que tecnologias sejam disponibilizadas para o setor, mais produtores irão aderir ao sistema. Assim maior será a demanda do produto no mercado e o produto será mais facilmente encontrado nas prateleiras.

Sucesso na produção

Como podemos perceber, para que a produção seja realizada é necessário que ocorra a substituição de produtos químicos por biológicos. O pecuarista, em geral, ainda encontra muita dificuldade em encontrar soluções para o manejo orgânico do gado. Migrar do sistema convencional para o sistema orgânico é um desafio. Mas os produtores não estão sozinhos! A Decoy trabalha através da pesquisa e desenvolvimento para tornar esta produção uma realidade. Nossa equipe tem muito orgulho de levar soluções efetivas e sustentáveis para os produtores de leite.

Gilson Antônio Berto, produtor de leite orgânico de Alto Alegre/SP, dividiu com a gente um pouco da sua experiência. Ele conta que vê grandes vantagens neste sistema de produção por ser mais segura e apresentar menor impacto ambiental. Sobre as vantagens econômicas, ele garante que tem maiores ganhos e é mais bem remunerado no mercado. Todas essas vantagens foram possíveis através do acesso à tecnologia:

“No início não tinha uma empresa parceira para esse tipo de produto (biológico), assim que a Decoy abriu a oportunidade de usarmos o produto, entramos no projeto. O carrapato era a principal preocupação minha e de outros produtores da região. Assim que conhecemos o produto, entramos em contato e marcamos uma reunião, confiamos nas informações passadas e isso nos deu tranquilidade para entrar no projeto sabendo que podíamos controlar este vilão (o carrapato), sem uso de químicos.”

Mário Dotta é um dos produtores de leite orgânico que fazem parte dos produtores que atendem a Nestlé. Ele contou um pouco sobre sua trajetória e experiência no setor. A ideia de produzir leite orgânico surgiu em 2013, quando o Mário ainda produzia da forma convencional. Ele conta que foi convidado a visitar uma produção modelo na região para entender como era realizada.

Percebi que a forma de produção era semelhante da convencional. Pastejo rotacionado no verão e semiconfinamento com suplementação no inverno. Observei que minha produção poderia se encaixar no sistema com os ajustes necessários.

Naquele momento ele optou não fazer a transição da produção convencional pela orgânica. O custo para transição ainda era alto, pois a propriedade precisa passar por um período de transição para o sistema orgânico. Neste período, que é de seis meses para os animais e um ano para o solo, o produtor ainda não possui a certificação. E por isso, não consegue comercializar o produto pelo preço praticado no mercado de orgânicos. Mas em 2017, a Nestlé se aproximou dos produtores da região que o Mário atua e sugeriu a entrada no sistema orgânico. Neste momento o produtor conta que tomou a decisão de ingressar na produção orgânica por duas razões:

“O nosso sistema de produção convencional já se adaptava a transição e começamos perceber uma forte demanda de mercado para orgânicos de origem animal.”

Quando questionado sobre as vantagens da produção o pecuarista nos contou que além das vantagens de mercado, tem conseguido manter uma boa produtividade no sistema orgânico, semelhante à do sistema convencional. Assim que decidiu realizar a mudança aceitou uma parceria com a Decoy e iniciou o manejo do carrapato no rebanho.

“Inicialmente utilizei o biológico para controle dos carrapatos nos animais. Realizamos várias aplicações nos animais e em cerca de um mês resolvemos o problema. Não tive nenhum efeito colateral nos animais, nem problema de descarte de leite. Depois iniciei a aplicação do produto para controle dos carrapatos no pasto. O ano da aplicação foi o melhor em relação a não incidência dos carrapatos.”

 Sobre a parceria com a Decoy, Mário encerra dizendo:

“Ajudou muito, surgiu no momento certo e a tecnologia atendeu nossas expectativas. Se o produtor fizer a lição de casa certa no controle, não tem erro.”

Nossa equipe tem muito orgulho de ter colaborado com essas histórias de sucesso. O ganho dos pecuaristas também é o nosso. Acreditamos na força na colaboração e seguimos buscando soluções na natureza para melhor a qualidade de vida dos animais e produtores.

 

Dúvidas? Entre em contato com a Decoy pelo Box abaixo.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint