FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Hipocalcemia subclínica, distúrbio silencioso de forte impacto sanitário e econômico

POR BAYER SAÚDE ANIMAL

BAYER - SAÚDE PORTEIRA ADENTRO

EM 24/08/2018

0
1

A hipocalcemia tem por característica a diminuição da concentração do cálcio no sangue do animal, muito comum nas primeiras 48 horas pós-parto, a famigerada “febre do leite”. Todo produtor de leite conhece algum caso de “vaca caída” devido à debilidade de cálcio, porém, somente recentemente que a hipocalcemia subclínica vem sendo mais debatida, haja vista que, os rebanhos se tornaram mais produtivos e exigentes com o passar dos anos.

A hipocalcemia subclínica, como qualquer distúrbio subclínico, não apresenta sintomas, porém é muito mais frequente que o quadro clínico.

Alguns rebanhos chegam a taxas superiores a 75% de animais hipocalcêmicos, portanto a hipocalcemia clínica é somente a “ponta do iceberg”.

O distúrbio em questão é mais frequente em multíparas do que em primíparas, animais com escore de condição corporal elevado também são mais propensos, além de características ligadas à genética, produção, nutrição, entre outros fatores.

O cálcio é o mineral ligado a contração muscular, portanto, toda ação ligada a contração muscular se debilita nos casos em que os níveis de cálcio estão baixo. O cálcio também está ligado a certas células de defesa, o que faz com que o animal tenha problemas de imunidade.

A hipocalcemia traz vários prejuízos econômicos devido aos distúrbios causados por ela, estima-se que um animal com hipocalcemia subclínica traga um prejuízo em média por volta de US$ 125,00 por animal.

Devido às questões ligadas a contração muscular e a imunidade das vacas no pós-parto, uma série de doenças podem surgir nos dias seguintes ao parto. Animais hipocalcêmicos tem três vezes mais chance de desenvolver retenção de placenta, nove vezes mais chance de ter mastite por coliformes, tem suas chances aumentadas em nove vezes de desenvolver um quadro de cetose. Vacas com deficiência de cálcio são três vezes mais propensas a sofrer deslocamento de abomaso, além de vários outros distúrbios que diminuem a produção e interferem de maneira significativa na reprodução e aumentam os descartes.

Essas doenças quase via de regra, não estão sozinhas, uma vez que podem desencadear outras doenças.

É notável o quão relevante é a hipocalcemia subclínica para a pecuária leiteira, devido aos vários prejuízos causados pelo distúrbio.

Autor:

Artur Mundim Veloso

Médico veterinário formado pela UFU.Atua como Promotor Técnico Veterinário da Bayer Saúde Animal em Minas Gerais.

Referências:

CARVALHO, A.U.; GESTEIRA, S.; SERRANO, A.L. Alterações metabólicas no periparto: hipocalcemia e retenção de placenta. . Belo Horizonte. dez. 2006. Publicação em Rehagro – Recursos Humanos no Agronegócio.

Oetzel GR.(2013) Oral Calcium Supplementation in Peripartum Dairy Cows, Veterinary Clinics of North America: Food Animal Practice

Para saber mais, entre em contato pelo box abaixo.

BAYER SAÚDE ANIMAL

O objetivo desse espaço é esclarecer as dúvidas sobre doenças metabólicas em bovinos leiteiros

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.