carregando...
Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Leite & Mercado > Giro Lácteo

Preços em queda no atacado e spot chegam aos poucos aos produtores, segundo dados de junho

postado em 07/07/2017

1 comentário
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Os dados consolidados do MilkPoint Radar, referentes ao leite pago em Junho (e fornecido em Maio), já estão disponíveis para todos os participantes. Observe os principais resultados na tabela 1:

Tabela 1. Indicadores MilkPoint Radar – Pagamento de junho vs. maio.

** Considerando apenas produtores que inseriram seus dados entre maio e junho
Fonte: MilkPoint Radar


O MilkPoint Radar, sistema que vem ganhando espaço entre os produtores e consultores de todo o Brasil, cresceu mais uma vez, monitorando um volume superior à 1,433 milhões de litros/dia, aumento de cerca de 10% em relação ao mês anterior. A plataforma contou com 844 dados de venda do leite, valor 4% maior do que em relação ao mês anterior, com média de produção de 1.698 litros/dia para cada produtor. Com isso, podemos dizer que o sistema MilkPoint Radar já monitora um valor anualizado de mais de R$ 718 milhões!

Com relação à qualidade, pudemos observar pequenos aumentos nos teores de gordura e proteína, que tiveram médias de 3,84% e 3,33% respectivamente. Os dados de CBT e CCS também apontaram altas neste mês – a CBT fechou em 120 mil UFC/ml e o CCS, 485 mil células/ml.

Quanto aos preços, podemos observar um início de ajustes, com tendência de queda nos preços pagos aos produtores. O indicador em sua média simples (ou seja, sem considerar o volume dos produtores) fechou em R$ 1,373/litro, enquanto o índice ponderado pelo volume, fechou em R$ 1,481/litro, quedas menores que 1 centavo – gráfico 1.

Gráfico 1. Evolução dos indicadores de preços líquidos do MilkPoint Radar (2017).

Fonte: MilkPoint Radar

Os preços por faixa de produção, por sua vez, não seguem uma tendência clara como vínhamos observando nos últimos meses. As variações nos preços vão de -1 centavo (produtores entre 1.000 e 6.000 litros/dia) a +1 centavo (produtores acima de 6.000 litros/dia), o que pode indicar que o mercado, que no primeiro semestre mostrou apenas aumentos nos preços, está em um momento de reversão de tendência.

Gráfico 2. Preços líquidos por faixa de produção (leite pago em maio).
Fonte: MilkPoint Radar

Este cenário começa a ficar mais perceptível quando verificamos a tendência de variação dos preços dos participantes do MilkPoint Radar, que inseriram seus dados tanto em maio como em junho. Neste mês, a maior parcela dos participantes apontou queda nos preços (46%), enquanto 19% mantiveram-se estáveis e 34% receberam mais pelo leite em junho. Dentre os produtores que apontaram altas, os principais motivos reportados para o aumento dos preços mensais tem relação com o recebimento de bonificações por fidelidade, aplicada por alguns laticínios neste mês, assim como algumas renegociações de preços e produtores com contratos fixados pelo preço Cepea, que nos últimos meses reportou alta.

Outro ponto de atenção ao produtor vem do MilkPoint Mercado – nossa plataforma de inteligência de mercado. Nos últimos 90 dias, estão sendo reportadas quedas nos preços, tanto de leite Spot (leite vendido entre empresas), como do UHT. Como estes indicativos têm alta correlação com os preços recebidos pelos produtores, então podemos esperar um cenário de recuo nos preços pagos para os próximos pagamentos.

É muito importante ressaltar o “timing” que existe entre os dados divulgados (pois trata-se do leite fornecido em maio, e pago em junho) e os indícios que essas referências podem nos mostrar sobre o mercado e de que forma podem alterar a rentabilidade do produtor. Dessa forma, é importante ter uma visão crítica sobre o que vem acontecendo: gerenciar as informações e aproveitar as oportunidades é essencial para prosperar em qualquer atividade. Quer ver os dados de mercado em tempo real? Se você é produtor, basta se cadastrar no MilkPoint Radar clicando aqui e incluir seus dados de mercado.

Evolução da oferta e seus impactos nos preços pagos aos produtores

As atenções nesse momento estão voltadas para a recuperação da oferta em uma época em que há queda na produção.

A oferta vem evoluindo de maneira diferente neste ano de 2017. Os dados do MilkPoint Radar apontam mais um aumento, de 4,5%, na produção de leite entre maio e abril, em sentido oposto dos dados historicamente observados no IBGE, um dos indicativos de que está sobrando leite no país – gráfico 3.

Gráfico 3.
Variação de oferta entre os meses – dados históricos do IBGE x MilkPoint Radar em 2017.
Fonte: IBGE/MilkPoint Radar

Esta tendência de alta é confirmada quando observamos a evolução do Índice de Captação (ICAP-L) divulgado pelo Cepea. O resultado deste indicador, para o mês de maio de 2017, é cerca de 9,0% maior do que maio de 2016 e mostra, no acumulado janeiro a maio de 2017 vs. 2016, crescimento de mais de 3% nos volumes – gráfico 4.

Gráfico 4. ICAP-L/Cepea - Índice de Captação de Leite – MAIO/17 (Base 100=Junho/2004).

Fonte: MilkPoint Mercado, com base nos dados de Cepea/USP

A forte reação na oferta de leite, aliada ao enfraquecimento da demanda pelo consumidor, está na origem das quedas nos preços dos produtos lácteos e do leite spot, já que as importações neste ano estão menores do que no ano passado (cerca de 9% menores, em equivalente-leite, no acumulado janeiro a junho deste ano vs. 2016). No curto prazo (2-4 meses), não se vê perspectiva de reversão desse cenário, devendo levar a um ajuste mais significativo de preços ao produtor nos próximos meses.

Mas o que contribuiu para esta tendência de crescimento na produção?

Sem dúvida, a tendência de crescimento da produção está relacionada com as condições favoráveis para a produção de leite, observadas a partir de meados de 2016. Os custos dos concentrados, consideravelmente mais baixos em 2017, assim como os preços pagos aos produtores, mais elevados do que no ano passado para o período janeiro a junho, também contribuíram para este crescimento.

De que forma estas informações podem auxiliar o produtor de leite?

Para o produtor de leite, estas informações e perspectivas são importantes para o planejamento de sua atividade, assim como o alinhamento de expectativas e controle gerencial dos seus resultados. O importante é que o produtor avalie os sinais do mercado e adapte de acordo com sua realidade. Mesmo com a expectativa de recuo nos preços, com o baixo custo dos concentrados, reduzir a suplementação pode piorar a rentabilidade do produtor.

Dentro deste contexto, surgiu o MilkPoint Radar, visando trazer aos produtores informações relevantes para o aumento de sua rentabilidade e melhorar seu planejamento por meio de comparativos de mercado (preço, volume e qualidade do leite vendido), e, a partir de agora, indicadores de custos de produção.

O módulo gestão da fazenda, nova ferramenta do MilkPoint Radar, permite aos participantes entender como está a sua saúde financeira de sua propriedade, por meio de comparativos envolvendo a receita e o custo com alimentação das vacas em lactação. Assim, o produtor poderá compreender, comparativamente, como evolui sua Receita Menos Custos com Alimentação (RMCA), seu Custo com Alimentação por litro de leite (CA/litro) e a produtividade das vacas!

Atualmente os participantes têm acesso a seis gráficos comparativos envolvendo estes indicadores, disponíveis para todas as mesorregiões, estados e para o Brasil, como um todo. Clique no botão abaixo e participe gratuitamente!


Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Comentários

Roney Jose da Veiga

Honório Serpa - Paraná - Produção de leite
postado em 07/07/2017

Leite baixando nessa época é piada de mau gosto! Mercado altamente manipulado por importações predatórias que apesar de serem menores que o ano passado ainda contribuem para o achatamento das já ínfimas margens de lucro dos produtores! Estamos sendo gerenciados por grupos econômicos especulativos e rentistas!! Deflação dos produtos do setor primário que não chegam ao consumidor final com aumentos de custos de produção !! Maior taxa de juros do planeta!! Somos escravos do setor financeiro!!

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2017 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade