Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Leite & Mercado > Giro Lácteo

Melhorar percepção do Brasil no exterior é desafio para ampliar mercado, diz Maggi

postado em 07/12/2017

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Melhorar a imagem para facilitar negócios é o maior desafio do país no exterior acredita o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, que participou na manhã desta quarta-feira (6) da 1ª reunião do Conselho do Programa de Imagem e Acesso a Mercados do Agronegócio Brasileiro (Pam Agro), em São Paulo. O governo brasileiro, segundo ele, precisa enfrentar com firmeza críticas da concorrência e demostrar boas práticas da produção, além do cuidado com o meio ambiente, moeda bem valorizada no mundo atualmente.

“Nós temos muitas coisas boas para mostrar. Essa questão, mesmo, das reservas legais, faz com que o país abra mão de um capital gigante. São custos para a sociedade brasileira e um ativo importante para o mundo”, afirmou. O objetivo do programa Pam Agro é melhorar a percepção de mercados internacionais estratégicos em relação ao agronegócio brasileiro, informando principalmente aos parceiros e aos potenciais parceiros dados relacionados à sustentabilidade, à segurança e à tecnologia empregada no país.

Participaram da reunião o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, o presidente da Apex-Brasil, Roberto Jaguaribe, e a secretária executiva da Camex (Câmara de Comércio Exterior), Marcela de Carvalho, além de dirigentes de entidades de classe que aderiram ao programa.

Blairo Maggi destacou a importância de abrir novos mercados como forma de compensar a concentração ou dependência de grandes economias. “É preciso olhar para mercados menores. O somatório de vários importadores se torna algo grande e nos deixa mais seguros”, afirmou. O ministro lembrou ainda ser interessante abastecer as embaixadas no exterior com informações relevantes sobre produção e políticas de governo que contribuam para a melhorar o ambiente de negócios e ampliar a participação brasileira na fatia do agronegeócio mundial.

Maggi defendeu uma estrutura “enxuta” na gestão do programa e o foco voltado para o objetivo de atender a necessidade de veicular informações no exterior que favoreçam o aumento das exportações no setor agropecuário.

Angola

Em São Paulo, o ministro Blairo Maggi também participou de reunião bilateral Brasil-Angola, com a presença do ministro da agricultura angolano Marcos Alexandre Nhunga. Os dois países discutem parcerias no âmbito do agronegócio, principalmente em relação à pesquisa e ao desenvolvimento de novas tecnologias. As exportações brasileiras para Angola, de produtos do agronegócio, foram de US$ 185,2 milhões em 2016. As importações somaram US$ 10,7 milhões.

As informações são do Mapa. 

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2017 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade