Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Leite & Mercado > Giro Lácteo

Cloração da água na produção leiteira: sua propriedade é adepta?

postado em 25/01/2017

15 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Recentemente, no Blog Gestão da Água, João Luis dos Santos, diretor e fundador da Especializo, publicou um material sobre o uso do cloro na água e desmitificou que essa ação influencie na morte de bactérias no rúmen da vaca. Confira abaixo um trecho na íntegra do material:

“Se o cloro mata bactérias na água, vai matar também no rúmen da vaca e isso irá prejudicar o processo fermentativo, reduzir a produção de leite, matar a vaca, entre outros? Tal pergunta, que surge de produtores, pesquisadores e profissionais como veterinários, agrônomos e zootecnistas entre outros, demonstra um desconhecimento quanto ao processo de desinfecção via cloração bem como o mecanismo de ação do mesmo. Em alguns casos tais afirmações se fundamentam em experiências passadas negativas quanto ao uso do cloro de forma rudimentar, ignorando os procedimentos corretos e assim obtendo resultados indesejados como cheiro forte de cloro na água.

O cloro é extremamente reativo com nitrogênio ou matéria orgânica, ou seja, antes de matar uma bactéria, cada molécula de cloro deverá se ligar a um nitrogênio. Por outro lado, o cloro precisa de 30 minutos para matar uma bactéria. O rúmen de uma vaca pode conter de 80 a 100 litros de alimentos com uma flora média de micro-organismos na faixa de 1014. Um residual de cloro de 0,5 mg/L na água de bebida dos animais representa 0,0005 gramas de cloro contra 80 a 100 litros de pura matéria orgânica mais uma flora de 1014. Essa quantidade de cloro deverá ser eliminada ainda na língua da vaca. Para oxidar os 100 litros de líquido ruminal e alimento e matar todas estas bactérias seria necessário a vaca engolir várias pastilhas de cloro inteira”.

cloração da água na produção de leite


Na sequência, o produtor de leite de São João Batistas do Glória/MG, Marcelo Maldonado Cassoli, enviou o seguinte comentário para o artigo:

“Utilizo o clorador de pastilhas recomendado pelo João Luis há mais de um ano. Ele fica na entrada da caixa de água central da fazenda – que é distribuída para a ordenha, bebedouros dos animais (de bezerras em aleitamento a vacas adultas, todas confinadas), e para todas as casas de funcionários.

Ele é muito seguro, sem risco de superdosagem, e preciso. O único risco é faltar cloro se não for feita a reposição semanal de pastilhas no clorador. Não tivemos nenhum prejuízo em termos de produção de leite, composição nutricional do leite ou aceitabilidade da água pelos animais, muito menos algum tipo de intoxicação dos animais. Muito pelo contrário, a CBT (Contagem Bacteriana Total) do nosso leite não passa de 5 mil e os animais consomem até mais água, pois os bebedouros permanecem mais tempo limpos, reduziu a diarreia em bezerras e gastamos menos mão de obra para lavar todos os bebedouros. Fora a segurança de ter água de qualidade em qualquer torneira da fazenda.

Nossa água é proveniente de dois poços artesianos de excelente qualidade. Mas o risco de contaminação sempre existe e o clorador nos dá segurança. Recentemente um cano da adutora rachou na emenda e a água amanheceu turva nas torneiras. Não precisei fazer nada além de consertar a emenda e continuar a abastecer a caixa normalmente. No dia seguinte a água já estava cristalina. Não tivemos qualquer problema com a sanidade dos animais ou com a CBT do leite por conta disso.

Recomendo fortemente o uso do tratamento da água da forma correta, como o João Luis ressaltou, sem amadorismo e usando a fonte adequada de cloro, é seguro e além da questão de Boas Práticas de Produção e higiene, é uma questão de biossegurança na fazenda, especialmente para quem usa fontes superficiais de água (minas, córregos, açudes, cisternas)”.


Você trabalha com a cloração da água na sua propriedade? Quais são as suas percepções com relação à qualidade do leite? Participe enviando o seu comentário no box abaixo: 


João Luis dos Santos é um dos grandes nomes que o EducaPoint apresentará na nova plataforma. Ele ministrará temas relacionados à gestão hídrica, trazendo aos usuários conhecimento técnico sobre o assunto e soluções possíveis de serem implementadas no dia a dia da fazenda.

Participe do lançamento do novo EducaPoint no dia 15 de fevereiro e realize diversos cursos gratuitamente.

EducaPoint: aprenda uma nova habilidade a cada dia!



 

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Comentários

Genecio Feuser

Paranavaí - Paraná - Produção de leite (de vaca)
postado em 25/01/2017

Essas pastilhas são facilmente encontradas no mercado? Alguma sugestão?

Genecio Feuser

Paranavaí - Paraná - Produção de leite (de vaca)
postado em 25/01/2017

Bem, existe vários estudiosos e médicos que não recomendam o uso de cloro para consumo humano. Porque nos EUA e Europa vc pode beber a água em qualquer lugar, da torneira de um parque, de um jardim, de qualquer ponto de água na rua. Aqui isto não é recomendável, primeiro se abrir uma torneira de rua, sai um jato branco de água e não sei o que mais. Quais as diferenças no tratamento da nossa água e dos EUA, Europa, Japão? Eles usam cloro e flúor também? Bem, para ser coerente com a matéria, acho que se faz mal ao ser humano, faz mal ao animal.

João Luis dos Santos

Campinas - São Paulo - Consultoria/extensão rural
postado em 25/01/2017

Prezado Genecio, obrigado por sua participação.
Sim, no Paraná tem um representante na cidade de Londrina, me mande um e-mail atendimento@especiaizo.com.br que eu passo o contato.
Quanto a sua segunda pergunta a resposta é mais longa.

A ausência de cloro na água de abastecimento humano é considerada crime pelo Ministério da Saúde. Até mesmo médicos muitas vezes erram ou falam demais.
A Portaria 2914, que versa sobre os padrões de qualidade da agua potável para o consumo humano recomenda: Art. 34. É obrigatória a manutenção de, no mínimo, 0,2 mg/L de cloro residual livre ou 2 mg/L de cloro residual combinado ou de 0,2 mg/L de dióxido de cloro em toda a extensão do sistema de distribuição (reservatório e rede).
O EUA é o segundo maior fabricante de cloro do mundo, perde apenas para a China. Sim, mais de 80% de toda água tratada distribuída no mundo é clorada, inclusive das torneiras dos parques.
Países que fazem uso do ozônio ou da UV não tem reservatórios em seu sistema de abastecimento. A água sai das Estações de Tratamento direto para as torneiras das residências em sistemas de distribuição altamente seguros. No Brasil e em geral nos países tropicais isso é impraticável, pois temos a cultura da caixa d'água, além disso não temos mananciais livres de contaminantes.
No mais creio que seja melhor ler o artigo que gerou essa discução https://www.milkpoint.com.br/mypoint/244735/post.aspx?idPost=6112&ultimaPagina=1&idc=9362#comentario9362

Fico a disposição, abraços.

Bruno da Silva Pereira

Belo Horizonte - Minas Gerais - Produção de leite
postado em 25/01/2017

Boa tarde,

Achei muito interessante o artigo e gostaria de iniciar o uso do cloro em minha fazenda.
Fazendo um pesquisa na internet encontrei o modelo de clorador abaixo :

http://www.americanas.com.br/produto/12827311/clorador-dosador-cloro-de-pastilhas-automatico-para-piscinas?WT.srch=1&condition=NEW&epar=&epar=bp_pl_00_go_el_todas_geral_gmv&gclid=CInw29_v3dECFQWBkQod5JQFLg&opn=YSMESP&sellerId=12595001000105

Poderia usar este modelo na entrada da caixa de agua central da fazenda ou vocês recomendam um outro ?

Existe alguma recomendação de dosagem\quantidade de pastilhas que devo usar no clorador ? Tempo de reposição das pastilhas ?

Obrigado.

Tulio Madureira da Silva

Serro - Minas Gerais - Consultoria/extensão rural
postado em 25/01/2017

Tenho outra dúvida, uma cerveja para ter qualidade pode ser produzida com uso de água clorada ? Se for possível eu concordo em clorar à água das minhas vacas, afinal de contas uma cerveja com sabor de cloro e um leitinho clorado deve até ser gostoso.

João Luis dos Santos

Campinas - São Paulo - Consultoria/extensão rural
postado em 26/01/2017

Caro Bruno, bom dia.

Esse equipamento é recomendado para uso em piscinas.
Isso quer dizer que ele não suporta pressão acima de 2Kg e precisa de uma alta vazão para operar corretamente.
Caso sua rede seja abastecida por poço corre o risco de ter pressão maior que 2Kg, se fro de mina pode não ter vazão suficiente me mande um e-mail para atendimento@especializo.com.br que poderei orientar melhor.

Obrigado por sua participação.

João Luis dos Santos

Campinas - São Paulo - Consultoria/extensão rural
postado em 26/01/2017

Olá Túlio, obrigado pela pergunta.

Por 5 anos fui responsável pelo controle de qualidade microbiológico na maior cervejaria do Brasil. Acredite, não existe um processo de produção mais complexo e que exija mais cuidado com a sanitização e desinfecção que esse.
Logo, água que produz cerveja é sim clorada. Assim como a água da industria de laticínios é clorada.
Não tem como haver gosto de cloro no leite ou na cerveja se o processo de cloração for realizado de forma profissional e técnica como deve ser.
Do mesmo modo não deve haver gosto na água que bebemos. Quando isso ocorre é porque houve um erro no processo.

Obrigado por sua participação.

Edson Luiz Senkoski

OUTRA - OUTRO - Indústria de laticínios
postado em 26/01/2017

Ola tudo bem, gostaria de saber qual e a quantidade de cloro recomendado na agua para consumo animal, e qual o pH ideal dessa agua.
Como faço para medir esses indices, tem algum equipamento o material que eu possa usar.
Essa mesma agua usarei para a higienização dos equipamentos de ordenha.
Obrigado

João Luis dos Santos

Campinas - São Paulo - Consultoria/extensão rural
postado em 26/01/2017

Caro Edson, obrigado por participar.

O residual de cloro que deve ter na água para oferecer segurança em todo seu uso é de 0,5mg/L a no máximo 1,0mg/L. Ou seja, de 5 gramas a um grama para cada 1000 litros.
Dependendo de sua fonte de água, um poço, nascente ou açude, a dosagem inicial pode variar de 2 a 5mg/L para manter esse residual. Por isso em águas turvas sempre recomenda-se a filtração antes da cloração.
O pH ideal para cloração deve ser neutro, na faixa de 6 a 8, o que também é ideal para o consumo animal. Se for mais ácido, 5 por exemplo, não tem problema para o cloro, mas deve ver se há problema para o animal com seu veterinário. Maior que 8 não é bom para o cloro.
Há vários equipamentos que podem medir cloro e pH. Do mais simples, como a fita teste até mais complexos como fotômetros. Me mande um e-mail para atendimento@especializo.com.br que passo maiores informações.

Atenciosamente

Clécio Lopes

Andrelândia - Minas Gerais - OUTRA
postado em 26/01/2017

Boa tarde, acompanhei sua matéria no portal milkpoint e as discussões lá. 
Gostaria de mais informações e se possível disponibilização de materiais sobre o tema. 
Existe algum equipamento mais indicado para realizar essa cloração? Minha agua lá é captada em superfície de duas fontes. Uma de um córrego, do qual é bombeada até a fazenda, e outra de uma nascente que chega até a fazenda por gravidade.

Obrigado!

João Luis dos Santos

Campinas - São Paulo - Consultoria/extensão rural
postado em 26/01/2017

Caro Clécio, boa tarde

Em que cidade/estado você esta localizado? Vou ver se temos representação em sua região.
Adiantando o assunto, quando capta das minas manda para um reservatório antes dos bebedouros ou segue direto para os bebedouros?
Veja nesse link esse modelo de dosador, ouça a explicação e veja se atende a sua característica de instalação: http://www.especializo.com.br/site/video/dg500/
Caso tenha e possa me mandar o laudo de analise de sua água posso ver se há outros problemas.

Atenciosamente.

Tiago Sertã Passos

Carmo - Rio de Janeiro - Produção de leite
postado em 26/01/2017

Boa noite João Luiz,
Li seu artigo, e me interessei em instalar um clorador na minha propriedade.
Contudo, não sei qual clorador utilizar, bem como quais as pastilhas apropriadas.
O objetivo seria clorar a água de um poço semi artesiano, para atender uma sala de ordenha e os bebedouros dos animais.
Como li nos comentários, parece que você têm o contato para aquisição do clorador e das pastilhas.
Se for possível me passar eu te agradeço.
obrigado

João Luis dos Santos

Campinas - São Paulo - Consultoria/extensão rural
postado em 27/01/2017

Caro Tiago, obrigado por sua participação.

Quando capta água do poço vai manda para um reservatório?
Tem apenas um reservatório ou mais que um, pode me descrever e até mandar fotos da distribuição da água?
Mande respostas no e-mail por favor.
Veja nesse link esse modelo de dosador, ouça a explicação e veja se atende a sua característica de instalação: http://www.especializo.com.br/site/video/dg500/
Caso tenha e possa me mandar o laudo de analise da água posso ver se há outros problemas.

Abraços

Rubens de Mélo Vaz

Alpinópolis - Minas Gerais - Técnico
postado em 29/01/2017

Parabéns pelo trabalho João Luís!!! Quem acompanha sabe da seriedade, e aconselho a todos buscar saber mais sobre a água que usa(principalmente na zona rural).
Todos produtores que instalaram após seu esclarecimento tiveram só benefícios!!!

João Luis dos Santos

Campinas - São Paulo - Consultoria/extensão rural
postado em 30/01/2017

Olá Rubens
Obrigado pelo apoio e pela oportunidade que a Aproleite nos deu para apresentar e desenvolver esse trabalho.
Permanecemos a disposição, precisando é só contatar.

Abraço

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2017 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade