carregando...
Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Leite & Mercado > Giro Lácteo

Audiência no Senado tratará de importação de leite do Uruguai

postado em 06/10/2016

1 comentário
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Os danos que a importação de leite do Uruguai vêm trazendo ao mercado brasileiro serão alvo de audiência pública na Comissão de Agricultura do Senado nesta sexta-feira (7/10) a partir das 14h. O assunto foi tratado durante reunião nesta terça-feira (4/10) entre a senadora e presidente da Comissão, Ana Amélia Lemos, e o presidente do Sindilat e do Conseleite, Alexandre Guerra, que esteve em Brasília para tratar do tema.

A ideia, segundo a senadora, é convidar lideranças do setor e representantes do governo para debater o tema e encontrar uma alternativa que ajude o setor lácteo. É esperado a participação de representantes do Ministério da Agricultura, do Ministério de Relações Exteriores, Sindilat e Aliança Láctea Sul-Brasileira e Fetag.

Guerra alerta que é preciso achar uma equação para esse problema o mais rápido possível uma vez que a concorrência desleal com o produto uruguaio está impondo uma realidade muito dura ao setor lácteo brasileiro e, principalmente, ao gaúcho devido à proximidade. Uma medida enérgica, sugere Guerra, seria a criação de cotas pré determinadas que poderiam ser acionadas por um gatilho de mercado exclusivamente quando houvesse falta de leite no mercado brasileiro. “Não somos contra a importação, o que queremos é saber quanto vai entrar para não criar desequilíbrios”, pontuou, lembrando que há mais de 105 mil famílias produtoras de leite no RS, entre 850 mil em todo o país.

O Brasil importou 153,38 milhões de quilos de produtos lácteos nos primeiros oito meses de 2016, um aumento de quase 80% em relação ao mesmo período no ano anterior. Enquanto isso, as exportações de lácteos do Brasil para o mercado externo foram bem menores. Nos primeiros oito meses de 2015, o país exportou 45,19 milhões de quilos, enquanto nos primeiros oito meses deste ano o volume exportado foi de 32,25 milhões de quilos, uma queda de quase 30%.

Vale a pena ler também: 

OCB: Maggi está sensível às importações de leite e aos danos causados pela reidratação de leite

As informações são do Sindilat. 

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

William Araldi

Santa Bárbara do Sul - Rio Grande do Sul - Produção de leite
postado em 06/10/2016

Segurança de preço para o produtor??, já que existem tantos prozudindo e muitos abandonando atividade em relação a queda do preço pago pelo litro, e os custos com alimentação, luz e medicamentos sempre inflacionado, em relação a cobranças de multas e tribulações com qualidade do leite o sul sempre e noticiado porque não e fiscalizado o leite do restante do país, tudo especulação de mercado para dedubar o preço pago para o produtor, a garantia de segurar uma marge de lucro sempre e mínima com custo elevado, sem ter segurança de preço...nós produtores temos que se unir para fixar preço pago, unidos seremos mais forte, conseguimos derrubar qualquer barreira imposta.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2017 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade