ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Você está sendo "obrigado" a utilizar cana-de-açúcar na alimentação dos seus animais?

POR THIAGO FERNANDES BERNARDES

PRODUÇÃO

EM 31/08/2007

57
0
Durante os dois últimos meses, eu e alguns colegas da área zootécnica, tivemos a oportunidade de interagir com dezenas de técnicos e produtores, com o objetivo de discutir a utilização da cana-de-açúcar na alimentação de ruminantes, durante o curso promovido pela Agripoint. Também, num artigo escrito por mim nesta seção "A sua propriedade utiliza cana-de-açúcar in natura ou ensilada na ração dos animais?", recebi diversas cartas comentando sobre este recurso forrageiro.

Fazendo um "raio x" desse período, pude perceber alguns pontos que me deixaram satisfeito, pois algumas propriedades estão tendo sucesso no manejo alimentar quando a cana-de-açúcar é utilizada, seja ela in natura ou ensilada. Nessas fazendas a cana chegou para sustentar ou aumentar a produção de leite e/ou carne, trazendo novo ânimo a atividade.

Embora, tenha me empolgado por estes aspectos, fiquei um pouco preocupado e intrigado com outros, pois alguns produtores estão se sentindo frustrados com o uso da cana.

Não posso aqui apontar os motivos dessa frustração (que está se tornando um antagonismo); talvez seja pela falta de aptidão da propriedade a espécie vegetal (topografia, fertilidade do solo, clima e logística de produção), ou pela forte pressão que a expansão desta cultura tem provocado nos sistemas agrícolas.

Por exemplo: Os confinamentos localizados na região centro-oeste têm utilizado rações de alto grão (alto concentrado), pois a soja, o algodão e o milho são cultivados próximos aos locais de pecuária, o que reduz o custo da dieta. Com a introdução da agricultura canavieira nos estados de Goiás, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, este cenário deverá ser modificado, pois as rações passarão a ter mais volumoso (cana in natura ou ensilada) e menor proporção de ingredientes concentrados (milho, principalmente).

Recebi relatos de produtores que estão querendo substituir forrageiras nativas, adaptadas há diversos anos nos referentes climas, como a palma forrageira, para se aventurar a plantar cana-de-açúcar numa região que tem sérios problemas de precipitação.

A cana também tem tomado o sul de Minas Gerais, e, nessa região (e também em outras), ocorrem problemas pela falta de mão-de-obra, pois durante a colheita do café (que coincide com a colheita da cana) faltam recursos humanos no manejo de alimentação dos animais. A saída para esse entrave tem sido a ensilagem da cultura, pois as instituições de ensino e pesquisa conseguiram avanços significativos ao longo dos últimos cinco anos. Porém, a propriedade deve estar preparada para este tipo de tecnologia.

Portanto, vão aqui algumas dicas:
1) A cana-de-açúcar é mais uma alternativa de volumoso que temos a disposição. O plano nutricional da propriedade pode ser realizado com sucesso fazendo-se uso com outras fontes, como: pasto, silagem de milho, de sorgo, de capim, feno.

2) As tentativas frustradas de implantação de determinadas técnicas, como o uso de aditivos, têm criado insatisfações, talvez pelo desconhecimento que está distante do produtor, ou realmente haver impossibilidade da sua consolidação, o que podemos chamar de "queimar uma tecnologia". Desse modo, cuidado com matérias jornalísticas sensacionalistas. Não existem produtos que fazem milagres. São apenas ferramentas de manejo que devem ser utilizadas com critérios técnicos e científicos.

3) Quem está utilizando a cana e tem conseguido sucesso, que continue assim.

THIAGO FERNANDES BERNARDES

57

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

PEDRO HENRIQUE L. DE AMORIM

DISTRITO FEDERAL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 19/06/2017

Jussara eu acredito que é exatamente isso, a cana deve ser picada diariamente e as sobras descartadas do cocho no fim do dia. Para não picar a cana todo dia pode-se fazer a silagem com o uso de inoculantes ou a hidrólise com cal, mas fora isso ela tem que ser sempre picada diariamente.
JUSSARA DA SILVA MATOS

ROQUE GONZALES - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 19/06/2017

Preciso de uma resposta sou Jussara temos com sério problema meu pai no RGS em roque Gonzales só trata os animais com cana picada e ração  e farelo d soja meu pai tá perdendo gado d leite terneiro eu acho q e a cana fermentada q fica numa caixa d um dia pro outro por favor m ajudem
NILTON BICALHO

INDÚSTRIA FRIGORÍFICA

EM 01/02/2015

Parabéns ao Thiago  e a todos que aqui colocaram suas experiencias e satisfação com a cana de açucara.

  Mas a minha pergunta é  para a queles que usa o bagaço da cana das usinas de álcool que são 2 tipos que é o bagaço verde recém moído  e o bagaço seco qual é a sua experiencia com engorda de bovinos. a alguma perca ou ganhos com o caldo da cana obrigado a todos que a qui exporem suas experiencias.
RIVALDO NUNES DA COSTA

OUTRO - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 17/08/2008

Prezado Thiago.

Excelente a discussão sobre Cana-de-açúcar.
Temos excelentes variedades com baixo teor de fibra e alto teor de açúcar.
Temos que cuidar bem do canavial, é a cultura mais produtiva que temos e pode ser a mais rentável em várias situações, Temos máquinas que cortam cana até deitada. E o uso de Uréia deve ser recomendado hoje na forma de 0,5 %, com Sulfato de Amônio na proporção de 9:1, com mais uma fonte protéica, como o Caroço de Algodão que constitue uma boa combinação. A sua opinião sobre a Cal é importante. Se usar a Cana e o animal tiver acesso ao pasto ou outra fibra de qualidade a produção é muito boa. A Cana-de-açúcar pode ficar cortada por 3 a 5 dias e isto facilita sua utilização como ressaltou o Dr. Leovegildo.
É solução para pequenas, médias e grandes propriedades. Desde vinte anos atrás.
Equídeos, ovinos e suinos podem ser alimentados com Cana-de-açúcar, o que reduz o custo de produção. O importante é ajustar a dieta em função da produção e dos resultados que desejamos.
ITAMAR SANTOS PEDREIRA

SALVADOR - BAHIA - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 20/06/2008

Em minha propriedade, já uso há algum tempo cana com ureia, mas gostaria de um melhor aprofundamento no uso de cal, por exemplo, se existe um produto especifico ´cal´ no mercado para este fim.

Muito grato.
EDUARDO USTRA RIBEIRO

ROSÁRIO DO SUL - RIO GRANDE DO SUL - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 31/05/2008

Em todos os artigos é comentada a utilização da cana picada para produção de leite. E sobre a utilização somente do bagaço da cana como alimento para vacas leiteiras? Qual a sua opinião?
ALEXANDRE CRIVELLARO DE PINHO TAVARES

BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 09/05/2008

Em minha propriedade uso a cana como principal alimento para as vacas. Além da cana estou implantando o manejo correto dos pastos, rotacionando-os. Além de tudo que foi colocado, acredito que somente com tecnologia, seja ela em manejo, sanidade, melhoramento genético, alimentação, instalações e ferramentas, poderemos reduzir custos e viabilizar a pecuária de leite. O leite é um bom negócio. Contudo precisamos fazer o uso das técnicas produtivas e de gestão. Precisamos educar nossos produtores rurais para o uso do planejamento, da organização, da direção, e do controle das atividades produtivas. Precisamos estudar sempre.
GUILHERME RESENDE DE OLIVEIRA

LUZ - MINAS GERAIS

EM 25/03/2008

Caro Thiago,

Primeiramente gostaria de parabanizá-lo pelo artigo, gostei muito.
Gostaria de saber a respeito da utilização de cana-de-açúcar, quando se refere a reprodução animal. Já ouvi muitas pessoas falando a respeito, dizendo que a cana enriquecida com uréia e também quando acrescenta-se cal, podem acarretar problemas de fertilidade (cio).

Desde já agradeço.
att,

Guilherme Oliveira
FERNANDO LUIS PAES FONSECA

ITABAIANA - PARAIBA

EM 26/02/2008

Voce pode usar herbicidas pré-emergentes na soca como : MSMA + Diuron ou Fortex , Velpar K ou Glifosato em aplicação dirigida.
GUSTAVO ADOLFO DE CASTRO VASCONCELLOS

CURVELO - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 24/02/2008

Nosso principal problema na utilização da cana para o gado é a mão de obra... Não tem peão que não faça "cara feia" quando chega a época de começar o trato no cocho. Outro problema sério é a manutenção do canavial. Na nossa propriedade, a braquiária tem invadido o canavial, e seu combate é cada vez mais caro. Não há herbicida que vença.

Precisamos é de máquinas baratas e que nos ajudem nessa tarefa. Tanto para a conservação do canavial como para o corte e fornecimento aos animais. De resto é uma excelente alternativa. Parabéns.
MICHEL FOUAD KHARLAKIAN

CATANDUVA - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 06/02/2008

Parabens pelos artigos aqui encontrados por todos os produtores.

Minha consideração do uso de cana x silagem, é que nada é perfeito, basta apenas o produtor considerar as vantagens e desvantagens de cada sistema, custo operacional, preço do leite, insumos, tipos de animais e etc. Exatidão é matemática, por isso cálculo de custo/ benefício fecha a conta.

Pois produzir mais leite com custo elevado e dando prejuízo, nem silagem nem cana fazem milagres.

Michel F. Kharlakian - produtor de leite, com sistema de rodízio de pastagem, e uso de cana-de-açúcar no inverno.
MANOEL FRANCISCO DA SILVA FERNANDES

CAMPO GRANDE - MATO GROSSO DO SUL - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 18/01/2008

Parabéns pelo seu artigo e que luzes o iluminem nas pesquisas para mais pesquisas sobre a cana de açucar, principalmente no aumento de sua digestibilidade, proteína e energia.

Parabéns também ao Leovegildo Lopes de Matos. Gostaria de ter sua opinião sobre aspersão 1% óxido calcio na ensilagem e hidrólise de cana in natura quanto à digestibilidade e conservação após picada.
PAULO ROBERTO VIANA FRANCO

JUIZ DE FORA - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 12/01/2008

Estou muito feliz com o artigo, sobre cana na alimentação de ruminantes. Goataria de acrescentar algumas considerações na área economica da atividade leiteira, principalmente para pequenos produtores, em regiões de topografia acidentada.

Antes de decidir qual volumoso usar, deveriamos planejar para o ano todo (seca e águas) e avaliar o custo de produção total do litro de leite, usando em simulação as duas alternativas. Inclusive com o capital imobilizado em maquinário para fazer silagem boa e para cortar a cana. Para período das águas, pastejo rotativo, intensivo. Controle leiteiro bem analisado por técnico experiente. Lebramos que antes de ser produtor de leite, deve ser um agricultor, e que a vaca não deve só dar leite, mas tem que dar lucro.

Parabens por promover a abordagem.
Paulo Viana
RAFAEL PRADO

ITAPIRA - SÃO PAULO - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA A PRODUÇÃO

EM 07/11/2007

Prezado Thiago,

Com o problema da escassez da mão-de-obra para cortar a cana e depois picá-la, entra o advento de utilizar uma colhedora de forragem. Mas muitas colhedoras têm dificuldade de colher cana tombada ou muito "entouceirada". Gostaria de saber se você tem alguma dica de distância, idade de corte e manejo para que seja facilitada a colheita da cana de açúcar diretamente por colhedoras de forragem, diminuindo o problema da escassez da mão-de-obra.

Grato.

<b>Resposta do autor:</b>

Caro Rafael,

São interessantes as suas colocações. Uma das alternativas para diminuir o volume de forragem que é captada pela máquina seria reduzir o espaçamento entre linhas, o que produziria plantas com colmos mais finos. Contudo, essa estratégia, pode recair sobre o tombamento das plantas, se traduzindo naquele velho ditado: "Descobrir os pés para cobrir a cabeça".
Acreditamos, que a solução está em vossas mãos, os fabricantes de máquinas agrícolas.

Os engheiros agrícolas (conhecedores de máquinas)deverão atrelar-se aos engenheiros agrônomos (conhecedores de plantas) na busca de soluções cabíveis para este problema, como está acontecendo com o desenvolvimento de equipamentos para a indústria canavieira.

No futuro, nós teremos que dispor de máquinas que entre no canavial e colha tudo que há pela frente.
Existem variedades de cana-de-açúcar que mais resitentes ao tombamento, embora, as condições climáticas (ventos fortes; chuvas) em determinadas épocas do ano tem colocado os canaviais no "chão".
Ressaltamos, que deixar o canavial de uma safra para a outra (cana bisada) também dificulta o operacional.

Atenciosamente,
Thiago e Rafael.
CLÉSIO PEREIRA

TEÓFILO OTONI - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 06/11/2007

Na nossa região os produtores tem utilizados a cana com muita satisfação, estamos iniciando o mês de novembro e sem chuva. Feliz é aquele produtor que tem ainda cana para fornecer para seus animais.

Assisto algumas propriedades que fazem uso de cana com uréia e fornecem até 4 kg de ração 22% e estão com uma média de 12 kg de leite, com um rebanho mestiço( 1/2holandês 1/2indubrasil).
JOSÉ JOAQUIM FERREIRA

SETE LAGOAS - MINAS GERAIS - INSTITUIÇÕES GOVERNAMENTAIS

EM 08/10/2007

Muito rica em informações esta discussão sobre a utilização da cana de açúcar. O balanceamento das dietas que a incluem é de alta importância para se obter a maior eficiência da utilização dos nutrientes nela contidos. Ela é rica em energia mas pobre em vários nutrientes para os ruminantes.

A recomendação do uso da mistura de uréia e sulfato de amônio para atender os requerimentos de fonte nitrogenada e enxofre dos microorganismos no rúmen tem dado uma grande contribuição a produção bovina nos trópicos.

Entretanto, a suplementação de outros minerais, deficientes na cana, é dependente da ingestão de minerais fornecidos, à vontade, nos cochos de sal mineral. Este consumo varia com o tipo de sal mineral, local do cocho e de animal para animal. O que ocorre é uma grande variação no consumo.

Um experimento conduzido com bezerros de mais ou menos 200 kg, na EPAMIG, comparando o fornecimento de ureia e sulfato de amônio(9:1) misturado a cana e sal mineral no cocho, com o fornecimento de ureia(55%) sulfato de amônio(6%) fosfato bicálcico(14%) sal mineral(20%) e sal comum(5%) misturado a cana, na proporção de 1,6 kg por 100 kg de cana resultou em significativo aumento no ganho de peso(0,188 x 0,258kg/bez./dia).

Os resultados deste trabalho indicaram que agregando os minerais á mistura ureia e sulfato de amônio, a utilização da dieta contendo cana é mais eficiente, comparado ao fornecimento do sal mineral em cocho, á vontade.
FABIO LAFETA REBELLO FILHO

MONTES CLAROS - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 06/10/2007

Estou utilizando cana de açucar há 3 anos em minha propriedade, este ano aumentei a utilização por falta de silagem de sorgo.

Não estou conseguindo fazer com que os animais consumam mais que 18 kg de cana in natura por dia. Corto cana para 04 dias, pico duas vezes ao dia, coloco concentrado fracionado no volumoso às 7:00hs, 10:00hs, 14:00 e 17:00hs e o consumo não aumenta.

O pré parto está sendo feito com cana e as vacas melhoram o escore, mas o lote de vacas de 0 a 120dd estão perdendo escore e diminuindo o leite. Utilizo uréia 2% no concentrado e 0,5% no volumoso, todos com 10% de sulfato de amônio. Minha média nunca foi tão baixa e agora voltei a utilizar silagem de sorgo meio a meio com cana para o lote de 0 a 120 dias; as minhas variedades são 1406 e 2480, estão em ótimas condições e são picadas em particulas bem pequenas.

Verifico os cochos quase todos os dias para ver se não estão remontando a cana e ela azedando, ela nunca está azeda, somente a cana picada no quinto dia de cortada está pouco açucarada.

Acho fantástico cana de açucar para bovinos de corte, mas para rebanhos leiteiros de média e alta produção não estou me dando bem.

Misturo a minha ração na propriedade na seguinte proporção: 60% milho moido, 30% farelo de soja, 3% caroço de algodão, (2% uréia c/ sulfato 10%), 3% mineral, 1% calcáreo calcítico.

Quando voltei a misturar cana c/ silagem o lote 01 aumentou o leite em 20%.

Gostaria de algumas consideranções do Dr. Thiago Fernandes Bernardes e do Dr. Leovegildo Lopes de Matos sobre quais estão sendo os meus erros no trato desses lotes.

Aguardo com bastante ansiedade os comentários.
Muito oportuna a reportagem.

Obrigado
JUSCELINO DO RIACHUELO

OUTRO - GOIÁS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 03/10/2007

Pergunto ao Thiago e aos amigos deabatedores: a utilização do produto Lalsil Cana é, efetivamente melhor que uréia e/ou rolão de milho na qualidade da cana ensilada?

Obrigado. Juscelino
DIOGO MINOZZO

MATELÂNDIA - PARANÁ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 02/10/2007

Utilizamos a cana in natura como fonte de volumoso em nossa propriedade e estamos muito satisfeitos.
GERALDO SINCERO SOBRINHO

MARINGÁ - PARANÁ - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 01/10/2007

Minha opinião em relação a cana-de-açúcar:

Se corrigida com o uso de uréia e sulfato de amônia, picada em partículas pequenas e com o uso de um bom mineral, tem sido a salvação da pecuária de leite e corte para as propriedades que não se prepararam convenientemente para o período de inverno (seco) aquí no norte do Paraná. Concordo plenamente com você.