FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Sustentabilidade:um conceito aplicado ao agronegócio - Parte 1

POR MARIA DO CARMO ARENALES

PRODUÇÃO

EM 14/04/2008

0
0
1. Conceito

A palavra "SUSTENTO" deriva do latim e significa, ação ou efeito de sustentar ou sustentar-se; conservação; manutenção; aquilo que serve de alimentação, alimento; amparo e arrimo. Logo, "SUSTENTABILIDADE" refere-se à qualidade de sustentável.

"PECUÁRIA" refere-se à criação de animais, sendo mais comumente utilizada para a criação de gado, afinal era o que predominava até alguns anos atrás. Quando nos referimos a criação de ovinos/caprinos,referimos como pecuária ovina/caprina,ou ovinocultura/caprinocultura.

"AGRICULTURA" possui a definição encantadora de ser a arte de cultivar o solo.

Finalizando, teremos "NEGÓCIO", derivado do latim também, como comércio, transação comercial, empresa, pendência.

Desta forma, se formos integrar estes conceitos, teríamos que realizar uma agropecuária sustentável, ou seja ela seria uma transação comercial que se conserva, mantém, alimenta, ampara e arrima. E naturalmente gere lucros.

2. Produção agropecuária orgânica

Na produção orgânica, um dos fundamentais conceitos, seria a sustentabilidade do sistema, ou seja, ele ser suficiente para manter-se, nutrir-se, amparar-se, conservar-se. Desta forma à importação de nutrientes e outros insumos seria equilibrada pela exportação de produtos vendidos com o selo orgânico.

A palavra orgânica, não se refere às moléculas orgânicas ou inorgânicas como muitos pensam, e sim ao organismo único e indivisível que é a unidade produtora de alimentos, seja de origem animal ou vegetal.

Muito além de ausência de resíduos no alimento orgânico, este organismo produtor sustenta-se nesta dinâmica de produzir. Nutri e produz.

O Brasil é considerado em todo o mundo o grande celeiro de produção de alimentos orgânicos, pelas condições climáticas, hedáficas, pela condição continental e principalmente pela gente empreendedora e dedicada que habita este país.

Se nos referíssemos de forma específica a produção de bovino-orgânico, poderíamos considerar:

2.1 Manejo orgânico

A grande diferença refere-se basicamente ao manejo. Os animais são criados livres, ou seja, em pastos, em todo o ciclo de vida e a alimentação deve ter uma procedência orgânica. Este trabalho recebe um selo de qualidade, certificado por uma credenciadora idônea, que realiza uma auditoria na propriedade, com a finalidade de constatar se suas normas estão sendo cumpridas.

Não é permitido nenhum tipo de medicação alopática, suplementação ou adubação química. Recomendam-se os medicamentos homeopáticos.

Orgânico se refere a organismo, fazendo entender que a propriedade rural toda tem que estar em funcionamento integrado, ou seja, todas as partes formam o todo e todas as partes são igualmente importantes. Então, o leite ou a carne orgânicos não é o mais importante na propriedade, pois ele depende das pastagens, da água, da preservação de matas, do esterco animal, do trabalho humano, etc.

A integração se faz quando nutrimos o solo com esterco animal e vegetal, através da compostagem e, ou, adubação verde; e completamos o ciclo, nutrindo os animais através destes vegetais que receberam a nutrição através do esterco.

A produção de leite e carne orgânico trata-se de tecnologia de processos; e a produção ecologicamente correta tem como base:

- Baixo uso de energia e de insumos;
- Ênfase no gerenciamento;
- Baixas necessidades de investimentos;
- Incentivar ou manter a biodiversidade;
- Respeito ao bem-estar do animal.

Como conseqüência, está conquistando espaço através da:
- Preferência do consumidor;
- Preservação ambiental;
- Redenção econômica do produtor.

No sistema orgânico de produção de leite, busca-se produzir alimentos saudáveis, de elevado valor nutricional e isentos de contaminantes, preservando a biodiversidade em que se insere o sistema produtivo. Para tanto, faz-se necessário adotar práticas de produção menos agressivas, que otimizem o uso de recursos naturais, tendo por objetivo a auto-sustentação.

É fundamental, para a adoção desse sistema de produção, a redução do emprego dos insumos artificiais, sem a presença de aditivos e, ou, estimulantes. O sistema deve respeitar o bem-estar animal, dispor de instalações funcionais e confortáveis com alto nível higiênico em todo o processo criatório. Deve, ainda, adotar medidas preventivas para o controle de afecções no rebanho bovino, respeitando as normas de saúde pública vigentes.


Desta forma este sistema é sustentável: A planta cresce, serve de alimento para os seres humanos ou os animais e os restos vegetais voltam direto para o solo, para alimentar a microvida. As excreções animais ou humanas voltam ao solo, onde também alimentam a microvida, que decompõe o esterco e os restos das plantas, transformando-os de forma que a planta possa novamente alimentar-se deles. Este ciclo de vida funciona naturalmente a centenas de milhares de anos. A esse conjunto dos relacionamentos mútuos, entre determinado meio ambiente e a flora, a fauna e os microorganismos que nele habitam, e que incluem os fatores de equilíbrio geológico, atmosférico, metereológico e biológico, define-se como agroecossistema. Na agropecuária orgânica, aduba-se o solo, quer dizer, alimenta-se a microvida e não a planta. A alimentação da planta é assumida pela microvida.

O aumento da produção ocorre através do aumento da fertilidade, e o aumento da fertilidade, através do aumento da alimentação para a vida do solo. Sem esses operários do solo, não haveria produção de alimento nem a sustentabilidade do sistema.

3. Sustentabilidade aplicada ao organismo rural focada em ovinos e caprinos

Princípios da sustentabilidade:

- Conservação dos recursos naturais;
- Adaptação da agricultura ao ambiente natural;
- Manutenção de níveis altos de produtividade, sem retrocessos;
- Redução do emprego de energia e de insumos;
- Emprego de métodos produtivos que restaurem os mecanismos homeostáticos*;
- Promoção do regresso ao solo e da reciclagem da matéria orgânica e nutrientes;
- Incremento do múltiplo uso da terra;
- Redução dos custos e aumento da eficiência econômica das propriedades agrícolas através do gerenciamento dos processos;
- Promoção de um sistema agrícola diversificado e potencialmente resistente.

O importante é integrar as múltiplas atividades - especialmente produção animal e vegetal - é a tentativa de permitir e estabelecer ciclos biológicos - de criar equilíbrio e diminuir dependências energéticas externas.

O melhor e mais completo sistema de produção talvez possa ser observado em uma mata "virgem" evoluída. Cabe ao homem, com a sua capacidade de percepção aliada ao conhecimento técnico, traduzir e transferir a eficácia desta sustentabilidade para o desenvolvimento da agropecuária.

4. Conceito de bem estar animal, aplicado a sustentabilidade do sistema

Na busca do aperfeiçoamento de criação de ovinos e caprinos, o homem realiza técnicas objetivando sempre mais e mais os ganhos zootécnicos, ou seja, incrementar a produção animal, reduzir o ciclo de abate, potencializar a conversão de peso, aumentar a produção de leite e carne. Todos estes ganhos em curto espaço de tempo e introduzindo genética nos animais de produção.

Outro uso sustentável que não se tem aplicado aos ovinos é o uso destes animais em produção de fruticultura perene,ou seja o uso racional e sustentável da criação de ovinos em plantações por exemplo de café,cítricos,coco ou pomares de qualquer tipo de frutas, estes animais seriam colocados para pastarem entre as árvores, após a implantação e crescimento das frutas. Desta forma,eles estariam evitando o uso dos danosos mata-mato que são utilizados para o controle de plantas invasoras , o terreno teria o ganho do segundo produto:carne, pode-se implantar pastagens consorciadas com leguminosas e outro grande ganho seria a deposição de fezes no terreno contribuindo para o retorno de nutrientes ao solo. Completamente sustentável e as experiências práticas confirmam o sucesso deste consórcio.

O conceito de bem - estar foi esquecido em função da produção e resultou em um aumento indiscriminado de patologias relativas ao estresse do manejo e do confinamento que estes animais são submetidos. Ocorre um aumento do hormônio do estresse crônico, o cortisol.
No entanto, os profissionais da área, estão revendo esta condição, face às percas e também associado ao desejo do consumidor de adquirir carne (ou produtos animais) feliz.

Ao respeitar a biologia de nossos animais de produção, melhorando o seu bem-estar, obteremos melhores resultados econômicos, quer aumentando a eficiência do sistema de criação, quer obtendo produtos de melhor quantidade, atendendo às expectativas do mercado consumidor.

Poderíamos definir bem estar como o antônimo de desconforto. Existem já trabalhos científicos, provando que a medicina homeopática tem competência em tratar o estresse, reduzindo especificamente o cortizol e beneficiando o animal, a produção, os ganhos econômicos, o meio ambiente e o consumidor. Afinal ele está ingerindo carne e leite felizes!

MARIA DO CARMO ARENALES

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.