FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Silagem: Vale a pena economizar em lona para a vedação?

POR THIAGO FERNANDES BERNARDES

E RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PRODUÇÃO

EM 01/03/2011

9
0
Nesta época do ano, período em que as silagens estão sendo confeccionadas nas fazendas é muito comum nós observarmos pecuaristas pesquisando no seu mercado local preços de lona para a vedação dos silos. Mais comum que este fato é que a grande maioria opta pelo plástico mais barato, o qual em geral, é de coloração escura e de espessura mais fina.

O raciocínio desta maioria é que economizando na lona de vedação o custo da tonelada de silagem será reduzido. O objetivo deste artigo é provar que infelizmente esta filosofia NÃO é verdadeira, principalmente para aqueles que conservam forragem em silo superfície (montes) ou em trincheira.

Para tal, nós utilizamos a planilha desenvolvida pelo Dr. Brian Holmes da Universidade de Winconsin, a qual esta disponibilizada na seguinte URL: http://www.uwex.edu/ces/crops/uwforage/storage.htm, para desenvolvermos os comentários sobre os aspectos de produção que mais influenciam nos custos.

Nós simulamos a produção de silagens para 100, 200 e 400 animais, as quais podem ser estocadas em 4 tipos de silo: a) superfície, b) trincheira, c) silos tubulares horizontais (bag) e d) silos fardos revestidos por filme plástico (bolas). Observa-se na Tabela 1 que os custos de estocagem (dólares/ano) não variam muito entre os tipos de silo, com exceção do silo/fardo para 400 animais, o qual apresentou valor mais elevado, pois este tipo de silo não é recomendado quando o objetivo é alimentar um grande número de animais.

Tabela 1. Custos estocagem de silagem (dólares/ano) em função do tipo de silo e do número de animais a serem alimentados.



Quando analisamos uma planilha de custos, o mais interessante é sabermos o que está compondo os custos, ou seja, dos componentes embutidos o que mais "pesa" no bolso do produtor. Para chegarmos aos valores apresentados na Tabela 1, os componentes foram: a estrutura física (silo), os equipamentos, logística de transporte, compactação e desabastecimento, mão-de-obra, combustíveis e lubrificantes, plásticos e perdas. O custo com a condução da cultura não é computado, pois é considerado que o mesmo é único para qualquer tipo de silo.

Os valores apresentados na Tabela 1, que representam a alimentação de 400 animais, foram fracionados e estão apresentados na Figura 1. Observa-se que os custos com plásticos quando se utiliza silo superfície ou trincheira são mínimos, ou seja, representam somente 1,4 e 1,3%, respectivamente dos custos totais. Contudo, as perdas de estocagem e desabastecimento podem representar 59 e 53% quando se estoca silagem em silo superfície ou trincheira.



Figura 1. Componentes do custo de produção de silagens em diferentes tipos de silo.

Portanto, a pergunta que nós fazemos é a seguinte: Vale a pena adquirir lona de menor preço e embutir custos com perdas no topo do silo? Contrariando a expectativa geral, as falhas na vedação pelo uso de plásticos de má qualidade podem comprometer seriamente a eficiência na conservação de forragens devido ao ingresso de ar na massa, o que se traduz em aumento da temperatura, causando perdas de matéria seca e de elementos nutritivos, o que se converte em aumento de custo.

Por esses motivos, a lona de cobertura passa a ter uma contribuição muito expressiva na etapa de vedação do silo, objetivando a redução da penetração de ar do ambiente externo para o interior da silagem. Em silos do tipo superfície, a presença da lona se torna mais relevante, quando comparado ao silo do tipo trincheira, devido à ausência de paredes laterais para proteção da massa. Saiba que dependendo das dimensões do silo, nos 80 centímetros periféricos (topo) pode estar sendo estocada 25% da massa de silagem, a qual está totalmente propensa à deterioração.

Portanto, a nossa dica é a seguinte: INVISTA EM VEDAÇÃO! E o primeiro passo para se realizar uma vedação eficiente é comprando um bom plástico, o qual preferencialmente deve apresentar dupla face (interna preta e externa branca), que tenha no mínimo 180 micras de espessura e que tenha em seu rótulo a descrição de quanto tempo ele pode ficar exposto ao ambiente (vida útil), devido a presença dos raios ultravioleta. Quando se utiliza o silo superfície ou trincheira para estocar alimento a pior estratégia é de se comprar lona barata.

THIAGO FERNANDES BERNARDES

Professor do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Lavras (UFLA) - MG.
www.tfbernardes.com

RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

Zootecnista pela Unesp/Jaboticabal.
Mestre e Doutor em Ciência Animal e Pastagens pela ESALQ/USP.
Gerente de Nutrição na DeLaval.
www.facebook.com.br/doctorsilage

9

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

NILSON GUIMARAES

GOIÂNIA - GOIÁS

EM 18/03/2013

Parabéns pela matéria mais é valido salientar que lona para cobertura não é somente migragem pois muitas tem 200 micras e é tanto reciclado que não vale a pena, enquanto outras de 150 micras matéria virgem duram muito mais, Aditivo e resinas especiais sim é o mais importante apesar de pouco mais caro, isso é melhor do que lonas aparentemente de bobinas pesadas e de maior espessura.   
JUNIOR PIASECKI

SÃO MIGUEL DO OESTE - SANTA CATARINA

EM 13/09/2011

Muito boa a matéria os pesquisadores estão de parabéns!!!
NATALINO RASQUINHO - ZOOTECNISTA UNEAL

NOVA ODESSA - SÃO PAULO

EM 10/03/2011

Prezados Thiago & Rafael,

Parabéns

Estes assuntos são de grande relevância, sendo importante que venha a tona constantemente, pois os custos com alimentação sempre são os "vilões" na produção animal.

É necessário que o produtor fique atento para todos os fatores que inviabilize o desempenho produtivo, e o planejamento correto na execução do processo de ensilagem, diminui as perdas provenientes de uma fermentação indesejável. As perdas invisíveis sempre vão existir, Infelizmente há quem resiste em considerar, mas pode representar um alimento de baixa qualidade, afetando diretamente a produtividade.
THIAGO FERNANDES BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 10/03/2011

Caro Lucas,

Em relação ao uso de lona no fundo do silo, esse procedimento só é necessário se durante o desabastecimento vocês tiverem problema com barro, pois o mesmo pode contaminar a silagem.
Quanto a sua segunda pergunta, é mais prudente fazer silos menores, pois o tempo de enchimento e desabastecimento é menor, o que pode levar a ocorrência de menores perdas.

Atenciosamente,
Thiago & Rafael.
LUCAS GABRIEL PROSPERO GIACON

SÃO GABRIEL DO OESTE - MATO GROSSO DO SUL - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 05/03/2011

Parabéns pelo artigo.
Gostaria de saber se vocês tem utilizado lona em baixo da silagem nos silos de superfície, e se vocês acham interessante, independente de custo, eu fazer dois ou três silos ao invés de um, pensando em maior conservação da silagem.
Não sei se fui claro.
Obrigado pela atenção.

Lucas Giacon
THIAGO FERNANDES BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 03/03/2011

Caro Walter,

Em geral, a classe produtora acredita que as perdas são representadas somente pela porção visível na massa. Contudo, perdas invisíveis ocorrem pois a deterioração produz dióxido de carbono (CO2), o qual é um gás impossível de ser observado. Portanto, pensar que as perdas estão relacionadas somente com a fração deteriorada é uma SUBestimação. No gráfico estão computadas as perdas ocorridas na fermentação e no desabastecimento, como ficou claro no texto.
Quanto a coloração do plástico, nós afirmamos aqui neste site que as lonas brasileiras não são boas. Contudo, nós também afirmamos aqui que a lona dupla face é melhor que a de coloração escura (leia em outros artigos).
Concordo quando você diz que materiais sobre a lona (terra, cascalho, areira) são importantes. Nós fomos os primeiros a relatar isso aqui no Brasil. Contudo, o objetivo deste artigo é mostrar que investir em plástico é importante. Nós não temos a pretensão neste texto de fraguimentar custos de vedação.
Por mais que os custos por ano ou com perdas possam ser altos nessa "simulação", a afirmação continua sendo que é extremamente importante investir em plástico. Jamais os custos com lona em silos horizontais irão ultrapassar 2% dos custos totais. E sempre as perdas (visíveis e não visíveis) irão compor a fatia mais alta dos custos, desde que o manejo seja próximo da perfeição.

Atenciosamente,
Thiago & Rafael.
THIAGO FERNANDES BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 03/03/2011

Caro José Pedro,

Infelizmente, não existe regra para tempo de enchimento de silo, ou seja, ele deve ser finalizado o mais rápido possível.
O segredo neste caso (chuvas) é vedar temporariamente o silo de forma que o mínimo de ar possa entrar na massa. Quando o tempo bom retornar o processo de ensilagem continua normalmente.

Atenciosamente,
Thiago & Rafael
WALTER JARK FLHO

SANTO ANTÔNIO DA PLATINA - PARANÁ - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 02/03/2011

Novamente a questão da vedação do silo. Novamente não consigo entender as perdas demonstradas no gráfico .Estou considerando como perdas apenas a parcela da silagem que se deteriora , não servindo para consumo . No dia de hoje terminei de "fechar " 2 silos trincheira . Cada silo com aproximadamente 35 m de comprimento 7 de largura na parte superior , foi preenchido com 105 carretas com capacidade de 8 m3 de massa verde de milho . Cada carreta pesa aproximadamente 3200kg (foi feita pesagem por amostragem) e portanto com aproximadamente 300 ton. Este valor está de acordo com amostragem de campo
feita por empresa vendedora de semente de milho que constatou produtividade de 50 a 53 ton./Ha de matéria verde.
Estes números são apenas para justificar que minha estimativa está próxima da verdade . Pois bem. Um silo com estas dimensões foi coberto com lona plástica preta de 200 micras com dimensões de 37 m de comprimento e 8 m de largura, aocusto total de R$ 270,00 (R$ 7.30 o metro linear ). Um valor muito baixo. Neste exemplo não está computado o custo da cobertura com terra ou pó de serra que sempre faço . Com esta prática que uso há mais de 15 anos práticamente não ócorrem perdas por deterioração . Para diminuir riscos de alguma perfuração , após a vedação com lona nova utilizo a lona do ano anterior como cobertura para proteger durante processo de colocação da terra ou pó de serra. Acho que o custo da mão de obra para o fechamento do silo na forma que citei é maior que o custo da lona . Portanto concordo que o custo da lona é muito baixo . A única discordância é que acho que o custo que vocês apresentam é elevado , como tambem´são elevadas as perdas que vocês apresentam . Uso a lona preta de 200 micras de boa qualidade porque neste site já foi apresentado trabalho que a lona de dupla face não resolve o problema . Na verdade o que reduz eventuais perdas na superfie em contato com a lona é uma boa cobertura com terra ou pó de serra que eu uso por ser de facil aquisição ,fazer mesmo efeito que a terra e de fácil manuseio durante uso da silagem.
Walter
JOSÉ PEDRO FRANQUEIRA JUNQUEIRA

SÃO LOURENÇO - MINAS GERAIS

EM 02/03/2011

Parabéns pelo artigo ,pois a divulgação da qualidade de vedação das lonas é ainda pouco conhecida dos produteres , que então compram a mais barata por desconhececerem estas diferenças e não apenas por economia. Aproveito para fazer um questionamento: muitas vezes o enchimento do silo é interrompido por causa de chuvas , que impede os maquinários de trabalhar. Qual o limite para se deixar este silo apenas coberto, esperando para recomeçar os trabalhos,visto que fecha-los sem estar completamente cheio causa infiltracão lateral (silo trincheira).Qual a melhor estratégia quando somos surpreendidos por chuvas no meio do enchimento?