FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Produção de eucalipto como alternativa econômica para sua propriedade

PRODUÇÃO

EM 24/03/2011

2
0
A produção de eucaliptos é interessante para aqueles produtores que querem diversificar a fonte de renda da propriedade, mas que não sejam tão imediatistas na obtenção da primeira receita.

Os benefícios da plantação de eucaliptos em uma propriedade rural são muitos, e assim como qualquer outra cultura, sua implantação requer alguns cuidados e planejamentos.

Mercado de produtos florestais

O comércio internacional mundial movimenta aproximadamente US$6 trilhões por ano. Os produtos de origem florestal figuram entre os 10 principais produtos comercializados internacionalmente, atingindo um valor de cerca de US$160 bilhões.

O comércio internacional de produtos de origem florestal tem se comportado de forma bastante positiva ao longo da última década. Nos últimos anos, o Brasil ganhou espaço no mercado internacional de produtos de origem florestal.

Em se tratando de produtos de florestas plantadas, o Brasil figura como o maior exportador mundial de compensados de pinus e o maior exportador mundial de celulose de fibra de eucalipto. Houve uma profunda mudança no mercado de madeira processada. Em 1998, apenas 14% do volume total produzido era exportado. Em 2004, essa proporção atingia 36%.

Por outro lado, é importante mencionar que o desempenho do Brasil no comércio internacional de produtos de origem florestal a curto e médio prazo pode estar comprometido. A reduzida oferta de matéria-prima em toras, particularmente as oriundas de florestas plantadas, em especial de pinus, aliada ao forte aumento de preços, evidencia-se como a principal limitação para ampliar as exportações brasileiras de produtos florestais. Somam-se ainda os problemas crônicos de infra-estrutura existentes no País e o aumento da pressão internacional através de barreiras tarifárias e não-tarifárias.

Na realidade, o setor florestal brasileiro tem mostrado uma competência única para penetração no mercado internacional e o País possui as condições básicas para aumentar ainda mais a sua participação. No entanto, o limite será estabelecido pelas políticas de governo, que podem favorecer ou restringir o desenvolvimento do setor florestal brasileiro (STCP, 2004).

Perspectivas do mercado de carbono

Uma das potenciais fontes de recursos para o setor florestal brasileiro são os serviços ambientais, em particular, a fixação de carbono, a proteção de mananciais, a conservação das margens das hidrovias, preservação da biodiversidade e o equilibro climático. Em todo o mundo têm sido criados fundos de investimentos que aplicam recursos em projetos florestais, visando o retorno financeiro e ambiental. Destacadamente na Europa Ocidental e nos Estados Unidos existem fundos governamentais e privados, alguns dos quais têm realizado aplicações no Brasil.

Atualmente, os serviços ambientais mais comercializados são os relativos à preservação e conservação. Existe grande expectativa, contudo, pela implementação do comércio de emissões de carbono, previsto no Protocolo de Kyoto, que poderá beneficiar especificamente a implantação de novas florestas.

Para o cumprimento das metas do Protocolo de Kyoto foram estabelecidos três mecanismos para auxiliar os países desenvolvidos a atingirem seus objetivos. Dois desses mecanismos, Implementação Conjunta de Projetos e Comércio de Emissões são de exclusiva aplicação entre países desenvolvidos, e o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo - MDL é o único instrumento que permite envolver países desenvolvidos e em desenvolvimento em projetos de compensação de emissões de gases do efeito estufa.

As relações positivas entre as plantações florestais e as mudanças climáticas são diversas, na medida em que:
 as plantações florestais são recursos naturais renováveis;
 capturam CO2 da atmosfera e liberam O2;
 as plantações de eucalipto armazenam 9,2 t carbono/ha/ano e as plantações de pinus, 7 t carbono/ha/ano;
 as plantações florestais ainda que não evitem emissões, absorvem e armazenam CO2 da atmosfera; e
 substituem ou reduzem o uso de combustíveis fósseis.

Estima-se que em 2004 tenham sido negociados US$670 milhões no mercado de carbono em todo o mundo, o dobro do valor negociado em 2003. Com a entrada em vigor do Protocolo de Kyoto, as projeções indicam um grande incremento do mercado global de créditos de carbono, que poderá chegar a US$13 bilhões em 2007. O Brasil tem potencial para representar 10% desse mercado internacional, tendo como principais concorrentes a China, a Índia e os países da Europa Oriental.

Os principais beneficiados com a criação desse mercado serão as empresas com projetos que, de alguma forma, reduzem emissões de poluentes, como aterros sanitários, biodiesel, etanol, ou absorvam dióxido de carbono da atmosfera no caso de reflorestamento, uma vez que elas poderão realizar parcerias com investidores, reduzindo o custo destes projetos.

Este trecho faz parte do módulo 2 do Curso Online AgriPoint, Produção de Eucalipto: conceitos técnicos e econômicos, que tem como instrutores Alexandre Barboza Leite (engenheiro agrônomo especializado em silvicultura e manejo de solos) e Marcelo Lavras Trapé (engenheiro agrônomo com MBA em Agronegócio).

Neste curso você entenderá os aspectos econômicos da atividade florestal de plantio de eucalipto; aprenderá dados importantes e relevantes no planejamento, com a definição da área, aspectos legais, definição do plano de manejo e procedimentos silviculturais; compreenderá aspectos importantes a serem considerados na comercialização da madeira; e terá acesso a valores e preços de madeira e de serviços envolvidos na exploração.

Para saber mais sobre esse assunto e as particularidades da Produção de Eucalipto, participe do curso. Conheça a programação completa e faça já sua inscrição!

2

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

ROBSON ROCHA

BATAGUASSU - MATO GROSSO DO SUL

EM 25/04/2011

Acho que quanto ao Crédito de Carbono, falta pessoal capacitado das prefeituras, para efetuarem os cadastramentos e rastreios dos empreendimentos florestais.

consequentemente, o governo estadual não atinge sua meta, que é a consolidação do Credito de Carbono.

tornando o mesmo .....



UMA GRANDE UTOPIA.
TIAGO SCHULTZ

MAFRA - SANTA CATARINA - PRODUÇÃO DE OVINOS DE CORTE

EM 25/03/2011

A silvicultura hoje é setor importante o proplema é que até o ponto ideal de corte muitas aguas ja passaram.
Quando se tem mercado, a um entrave a ser destacado, que é a mão de obra. Hoje a floresta plantada esta saindo por um preço X dividindo esse valor por 2, ou seja, pro proprietário e para a empresa que faz o trabalho de corte, estaleiramento, carregamento e transporte da madeira.

Existe algumas empresas de madeira na minha região e todas tem tendência de aumentar a produção da matéria prima. Uma inclusive triplicando seu ja alto consumo de madeira e investindo milhões em tecnologia. Outra esta fornecendo mudas de Eucalipto fazendo uma espécie de contrato para estar ciente a entregar toda a madeira quando estiver com 7 anos de idade.

Hoje onde crio ovinos a também eucalipto, com fileiras de 15 metros de distancia entre linhas por 2,5 linear. É um projeto recente que tem tudo pra dar certo.