FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Piquete maternidade

POR MARIA ANGELA FERNANDES

E CARINA BARROS

PRODUÇÃO

EM 31/03/2011

2
0
Os cuidados com as cabras e as ovelhas durante a gestação são essências para:

1 - dar condições adequadas para que o(s) feto(s) cresça e se desenvolva em todo o seu potencial;
2 - promover a saúde da fêmea e de seu (s) fi­lhote (s);
3 - evitar perdas durante a gestação (reabsorção embrionária e aborto) e no momento do parto (morte de crias e matizes);
4 - evitar perdas futuras devido à falta de manejo adequado durante a gestação.

Os piquetes maternidade são áreas dentro da propriedade destinada às fêmeas que estão próximo de parirem e as que estão com cabritos e cordeiros recém-nascidos ao pé. As cabras e ovelhas gestantes devem ser separadas das demais fêmeas do rebanho em torno de 30-50 dias antes do parto e conduzidas ao(s) piquete(s) maternidade.

A área utilizada para o piquete maternidade deve ser localizada próxima da residência do proprietário ou do tratador, com pastagem não muito alta (que permita uma boa visualização dos animais - Figura 1), de qualidade e adequada disponibilidade; livre de plantas tóxicas e espinhentas. Em relação ao tamanho do piquete, este deve ser dimensionado de acordo com o número de matrizes e o tipo de pastagem utilizada (disponibilidade). No entanto, não deve ser tão grande que não se possa encontrar uma fêmea com facilidade e nem tão pequeno ao ponto de gerar estresse e competição entre as fêmeas.

Figura 1 - Atenção: pastagem alta pode dificultar a visualização das fêmeas no piquete maternidade. Foto: Guilherme Arruda.



Observe na Figura 1 que se a pastagem for muito alta dificulta a identificação das fêmeas que necessitam de algum tipo de assistência (partos distócicos), que abortaram, das crias debilitadas (hipotermia, hipoglicemia, etc), entre outros.

É importante também que o local seja bem drenado, limpo e sombreado (árvores ou sombrite). Sugerimos que o piquete tenha abrigos para ocorrência dos partos, bem como, proteção para os recém-nascidos contra condições climáticas extremas (calor, geadas, chuvas, entre outros).

Figura 2 - Ovelha amamentando cordeiro dentro do abrigo. Fonte: Evergreen East Farm (2010)



Figura 3 - Presença de árvores no piquete: abrigo natural para os animais - proteção contra condições climáticas adversa.



Durante o terço final da gestação, os cuidados com as fêmeas devem ser redobrados, pois é nesta fase em que ocorre o maior crescimento do feto (tamanho e peso) e por isso, são demandados altos níveis de nutrientes pelo feto (s) e pelo úte­ro, devendo a fêmea ter condições de suprir essas demandas. Por isso, sugerimos que os piquetes maternidades tenham cochos para suplementação (mineral, concentrado e/ou volumoso) pois dificilmente se conseguirá atender todas as exigência nutricionais da fêmea nesta fase somente com pastagem. A presença de bebedouros de fácil acesso também é fundamental para garantir a saúde da fêmea. Atenção especial para a higiene dos cochos e bebedouros!

Figura 4 - Ovelhas com cordeiros recém-nascidos piquete maternidade.
(FOTO: UFRGS/ 2009).



A localização dos piquetes próximo a residência da propriedade e a facilidade de visualização das fêmeas dentro do piquete são fundamentais para facilitar a observação constante com o lote das fêmeas gestantes. A falta de assistência às fêmeas gestantes, parturientes e aos neonatos pode levar a morte de ambos, o que representa grandes perdas econômicas para o sistema de produção!

MARIA ANGELA FERNANDES

Médica Veterinária pela UFPR
Doutoranda do Programa de Ciências Veterinárias da UFPR
Integrante do LAPOC - Laboratório de Produção e Pesquisa em Ovinos e Caprinos da UFPR

CARINA BARROS

Médica veterinária
Mestre em Ciências Veterinárias UFPR
Doutora em Nutrição e Produção Animal FMVZ-USP
Pós-doutorado FMVZ-USP
Atuação na avaliação econômica e modelagem

2

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

THIAGO GOLEGA ABDO

CAMPO GRANDE - MATO GROSSO DO SUL - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 19/05/2011

Faço o seguinte manejo com as ovelhas que estão no peri-parto: na semana em que está marcado o parto da ovelha já encaminho a mesma  para um pasto maternidade pequeno e fico observando. Quando a ovelha pari, levo a mesma junto com seu cordeiro (s) para um galpão onde ficam por 1 semana, se alimentando de concentrado e forragem de qualidade no cocho, assim garanto que o cordeiro mame o colostro corretamente e se proteja de alguma intempérie, e só após esta semana libero a matriz e sua prole para o pasto das paridas. Com esse manejo consegui diminuir em 80% a taxa de mortalidade de cordeiros recém nascidos. Dá trabalho, mas o resultado é compensador.  
JORGE VAGNER DE OLIVEIRA

BOM JESUS DA LAPA - BAHIA - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 05/04/2011

que bom se preocupar com essa faze da criaçao de pequenos animais