ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Intoxicação por closantel em pequenos ruminantes

VÁRIOS AUTORES

PRODUÇÃO

EM 21/11/2011

29
0
A verminose é um dos principais problemas sanitários que afeta a criação de ovinos e caprinos, podendo ter como consequências o crescimento retardado, perda de peso, redução no consumo de alimentos, queda na produção de leite e baixa fertilidade do rebanho, resultando em elevadas perdas econômicas. Nos casos de infecções maciças, são verificadas altas taxas de mortalidade, além de gastos no controle da verminose.

Para evitar esses entraves na produção de ovinos e caprinos faz-se necessário o uso de um adequado protocolo de vermifugação. Porém, a falta de informação de alguns produtores, vermifugando indevidamente os animais com o uso contínuo ou em subdoses de um determinado antiparasitário, pode ocasionar o surgimento da resistência anti-helmíntica. A falta de orientação ainda pode levar a ocorrência de intoxicações dos animais por superdosagem, ao achar que alcançará um resultado mais eficiente no rebanho.

Existem vermífugos com diferentes compostos e mecanismo de ação para determinado tipo ou mais de um tipo de parasitismo. Closantel é um antiparasitário que tem ação contra Haemonchus contortus, Fasciola hepática e Oestrus ovis. Esse antiparasitário pode ser aplicado por via intramuscular ou fornecido via oral, utilizado principalmente em bovinos, ovinos e caprinos. Quando esse composto é administrado em doses superiores às recomendadas, causa cegueira, com degeneração da retina e edema intramielínico do nervo óptico e outras áreas do sistema nervoso central resultando em incoordenação motora e em alguns casos, até morte.

A intoxicação por closantel afeta tanto ovinos e caprinos e ocorre acidentalmente quando o produto é utilizado em sobredosagem. Porém a intoxicação pode ocorrer também em rebanhos tratados com as doses recomendadas, só que calculadas com base no animal mais pesado.

Quando a dose é de 2 a 5 vezes maior que a recomendada, os sinais clínicos caracterizam-se por cegueira, dilatação da pupila, e o animal pode começar a andar em círculos. A cegueira aparece em 2 dias a 2 semanas após a administração. Quando a dose é 10 vezes superior, pode-se observar, além dos sinais anteriores, depressão acentuada, gemidos, paralisia dos membros, dor abdominal, o animal fica deitado, fraqueza, e cegueira bilateral.

Algumas alterações podem ser observadas em alguns órgãos como os olhos, coração, rins, fígado e algumas regiões do sistema nervoso.

Figura 1 -Dilatação acentuada de pupila, na intoxicação por closantel (Fonte: Furlan et al., 2009).



O closantel apresenta uma pequena margem de segurança. O seu uso nas mães e nos filhotes lactentes ao mesmo tempo, pode levar a intoxicação dos filhotes devido a dosagem adicional pela ingestão de leite.

Não há tratamento eficiente para os animais intoxicados e a cegueira é permanente. No entanto, outros sinais nervosos podem ser parcialmente reversíveis. Para prevenir a intoxicação deve-se calcular corretamente a dose de closantel à ser aplicada, tomando cuidado com animais de menor peso e mal nutridos.

Referências bibliográficas

ECCO, R.; BARROS, C.S.L.; GRAÇA, D.L. Alterações oftálmicas associadas à intoxicação experimental por closantel em caprinos. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, v. 60, n. 1, 2008.

FURLAN, F.H.; LUCIOLI, J.; BORELLI, V.; FONTEQUE, J.H.; STOLF, L.; TRAVERSO, S.D.; GAVA, A. Intoxicação por closantel em ovinos e caprinos no Estado de Santa Catarina. Pesquisa Veterinária Brasileira, v. 29, n. 1, 2009.

GILL, P.A.; COOK, R.W.; BOULTON, J.G.; KELLY, W.R.; VANSELOW, B.; REDDACLIFF, L.A. Optic neuropathy and retinopathy in closantel toxicosis of sheep and goats. Australian Veterinary Journal, v. 77, n. 4, 1999.

CARMO EMANUEL ALMEIDA BISCARDE

Formado em 2007 pela UFBa; Residente em Fisiopatologia da Reprodução e Obstetrícia pela FMVZ-UNESP-BTU; Mestre em Medicina Veterinária pela FMVZ-Unesp-BTU; Médico Veterinário da Universidade Federal Do Recôncavo da Bahia - UFRB.

MV DR. LEANDRO RODELLO, PHD

Médico Veterinário (UNOESTE - Presidente Prudente), com Residência em Reprodução Animal (UNESP- Araçatuba) e Mestrado, Doutorado e Pós-Doutorado em Reprodução Animal (UNESP- Botucatu)

VITOR SANTIAGO DE CARVALHO

Médico Veterinário do Hospital Veterinário da UFBA. Mestre em Ciência Animal nos Trópicos

29

COMENTÁRIOS SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Seu comentário será exibido, assim que aprovado, para todos os usuários que acessarem este material.

Seu comentário não será publicado e apenas os moderadores do portal poderão visualizá-lo.

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

EDJANE PEREIRA

PONTES E LACERDA - MATO GROSSO - ESTUDANTE

EM 14/11/2017

parabéns, ótima descrição da ação do clasantel e dos efeitos gerados com a sobredosagem.
JAIME DE OLIVEIRA FILHO

ITAPETININGA - SÃO PAULO - OVINOS/CAPRINOS

EM 20/01/2017

Angelo não trabalho com bovinos ,mas com ovinos teve um caso que um cordeiro bem debilitado usei a dose prescrita ,mas pelo estado do cordeiro ele apresentou a cegueira que se manteve  até ao abate 2 meses depois,ficou muito sadio engordou rápido mas ficou cego,mas hj em dia uso closantel e quando o animal fica muito debilitado aplico 1/2 dose do peso e depois de 10 dias aplico outra 1/2 dose,não tive mais problemas com cegueira.
ÂNGELO JOSÉ DE ALMEIDA ABREU

DOM PEDRITO - RIO GRANDE DO SUL - TÉCNICO

EM 18/01/2017

Boa Tarde! Encontrei esta discussão sobre um assunto oportuno no momento: quero saber se a cegueira desencadeada por uma eventual super dosagem em um bovino, jovem por Diantel, pode ser reversível, sendo que administrei dexametasona e vitamina A, D, E. Animal este não era debilitado, na saída de inverno ele não acompanhou os demais, em quanto outros estavam com peso superior e pelechados, o em questão mantinha-se mais afastado dos demais, comportamento mais calmo, não apresentaram carrapatos, para destacar a tristeza. Recebeu quase uma pistola cheia. Grato      
RODRIGO MARTINS GOULART

LAGUNA - SANTA CATARINA - OVINOS/CAPRINOS

EM 01/12/2015

Boa tarde!



Usei o Dovenix Super para vermifugar um reprodutor Dorper PO que estava com Papeira. O animal possuía 70K de PV, sendo aplicado 2 ML de Dovenix Super. Após 24 hs da aplicação o animal não ficava mais de pé, vindo a falecer. A bula do medicamento informa que a dose deve ser aplicada na proporção de 1,5 ML para cada 50K de peso vivo. Fiquei na dúvida se ocorreu intoxicação por super dosagem, haja vista que o animal era saudável e possuia 70k.
JAIME DE OLIVEIRA FILHO

ITAPETININGA - SÃO PAULO - OVINOS/CAPRINOS

EM 23/09/2015

Boa tarde FarmPoint gostaria de saber como poderia ver a galeria de fotos de ovinos do site
JAIME DE OLIVEIRA FILHO

ITAPETININGA - SÃO PAULO - OVINOS/CAPRINOS

EM 23/09/2015

Marli Moraes o uso de closantel em cordeiros muito debilitados associado a super dosagens pode levar a cegueira e é sem volta mas se for para abate pode engordar sem problemas,sempre devemos dar dosagens corretas como prescreveu o Leandro acima.

MV DR. LEANDRO RODELLO, PHD

ARAGUAÍNA - TOCANTINS - PESQUISA/ENSINO

EM 21/09/2015

Prezada Marli,



Não existe o melhor vermífugo, cada cabanha é um caso, e vai depender de vários fatores para determinar qual vermífugo a ser utilizado no rebanho, o melhor é procurar um profissional para determinar qual princípio ativo a ser utilizado no seu rebanho. Independentemente do vermífugo as doses tem quer ser administradas na dosagem correta para evitar intoxicações e provocar resistência ao princípio ativo. Agradeço por ter lido o artigo
MARLI MORAES

EM 20/09/2015

dosei cordeiros com diantel closantel e alguns cordeiros ficaram cegos e outros morreram qual seria o melhor vernifugo. obrigado
CARLOS ANTONIO CAMPOS SILVA

PICUÍ - PARAIBA

EM 06/08/2015

Prezados,



Gostaria de saber se existe contra indicação em vermifugar cabras que se encontram em dias de parir. Tenho observado, não sei se é coinscidencia mas algumas após a vermifugação estão perdendo os filhotes, nascem mortos.
MATHEUS MULLER ANDRIOLI

TRAMANDAÍ - RIO GRANDE DO SUL

EM 06/06/2015

Prezados,

Tenho um lote de ovelhas,mas devido a um acontecimento estou com muitas dúvidas quanto a vermifugação dos animais.

Ah 3 meses atrás perguntei para um funcionário de uma agropecuária qual seria o vermifugo para combater todos os tipos de vermes,então ele mandou eu dar o NEGUVON e alem da indicação me passou a dosagem errada.

Após medicar os animais,dentro de 1 hora estavam todos mortos.

Então adquiri outro lote,sendo que as ovelhas estão prenhas de 3 meses,qual o vermifugo que posso utilizar na minha criação?



Grato
WILSON SANTOS PEDREIRA

ARAÇAS - BAHIA - PRODUÇÃO DE CAPRINOS DE LEITE

EM 10/01/2015

Muito proveitoso esses comentários e recomendações sobre o uso do Closantel (Diantel), mas não foi mencionado, em nenhum momento, restrições quando usado em caprinos leiteiros, em particular. Gostaria de saber da carência ou se é igual ao uso da carne, para alimentação humana. Muito grato e parabéns a todos os colaboradores.
JOSE WILLITON ANTONIO DA SILVA

BARREIROS - PERNAMBUCO - PRODUÇÃO DE CAPRINOS DE CORTE

EM 01/12/2014

COMPREI O VERMIFUGO DIANTEL  DA HIPRA QUERO SEBER QUE POSSO DA A OVELHA   PRENHA  
FANINI

CABO FRIO - RIO DE JANEIRO

EM 30/09/2014

Poxa, há muito não vejo tanta coisa boa junta.

Estão todos de parabéns, tanto os autores quantos os comentaristas.

RAFAEL BAGGIO - MÉDICO VETERINÁRIO

CURITIBA - PARANÁ - PRODUÇÃO DE OVINOS DE CORTE

EM 20/02/2013



Prezados colegas,



Gostaria de aproveitar essa discussão e ouvir a opinião de vocês a respeito de um fato que aconteceu com um reprodutor Texel PO, de minha propriedade essa semana.



Esse reprodutor começou a apresentar sinais indicativos de Haemoncose (papeira, letargia, inapetência, prostração), logo, diante disso administrei via oral o Closantel, na dose máxima recomendada em bula de 1mL/5Kg, sendo Total de 14 mL para um reprodutor de 70Kg + 3 mL Via Oral de um polivitamínico com o intuito de potencializar o efeito com a vitamina B12.

Aproximadamente 3 (Tres) horas depois, fui verificar novamente e o animal continuava totalmente prostrado, sem levantar, mesmo com ajuda e com um FAMACHA grau 5. Pouco tempo depois o mesmo veio a falecer. OBS: O animal não estava apenas com papeira, a cabeça estava totalmente inchada.



Cabe ressaltar que o reprodutor estava em um piquete com pasto, porem ainda não posso afirmar se existem plantas toxicas no mesmo. Vou verificar.



Logo depois que o mesmo veio a falecer, foi observado alem da dilatação da pupila, uma grande presença de petéquias na língua, que me chamou muita atenção. Diante disso, venho perguntar aos colegas o que acham que pode ter acontecido, estou aberto a sugestões e a um debate:



* Suspeitariam de um caso de intoxicação por closantel? Se sim, o porque das petéquias e a cabeça totalmente inchada?



*  Suspeitariam de uma intoxicação por planta toxica? Qual planta poderia ser? Qual planta pode causar petequias?



Deixo aberto o debate.



abracao







VITOR SANTIAGO DE CARVALHO

SALVADOR - BAHIA - INSTITUIÇÕES GOVERNAMENTAIS

EM 25/11/2011

Prezados colegas,



Agradeço os comentários sobre o artigo! Sobre a discussão sobre vermifugos e gestação, já se sabe que alguns princípios como o tiabendazol, albendazol e oxfendazol podem atravessar a placenta produzindo efeitos embriotóxicos no terço inicial ou efeitos teratogênicos no final da gestação, devendo ser evitados em animais gestantes.  Quanto ao Closantel desconheço estudos científicos que indiquem estes efeitos, porém realmente existe contradição entre bulas. No Brasil as bulas indicam a precaução na administração do produto no último mês da gestação, porém sem elucidar o motivo. Já em outros paises as bulas afirmam a segurança do uso em animais prenhes. Na literatura existe um estudo realizado por CHEVIS, R. (1977) utilizando ovelhas prenhes onde nenhum efeito negativo foi observado utilizando a dose padrão do closantel.

Caso alguém conheça algum estudo recente indicando problemas na gestação favor compartilhar!



Grande Abrç!
JORDANA ANDRIOLI SALGADO

CURITIBA - PARANÁ - OVINOS/CAPRINOS

EM 24/11/2011

Só para reforçar que o comentário acima foi em relação a todos os anti-helmínticos.

Mais especificamente sobre o Closantel, que foi o que o Edson perguntou, acho que também devemos levar em conta o que o José Braga falou sobre o final da gestação.



Att.
JORDANA ANDRIOLI SALGADO

CURITIBA - PARANÁ - OVINOS/CAPRINOS

EM 24/11/2011

Oi Edson, a principal contra-indicação que eu conheço é do uso de Albendazol em início de gestação, a recomendação vem na bula, mas eu mesma nunca presenciei.

No mais, utilizando doses recomendadas em animais não muito debilitados e de forma não estressante acho que não tem problema. É válido ressaltar o que o autor comenta no artigo referente à administração em fêmeas lactentes e ao mesmo tempo no cordeiro, oque pode intoxica-lo.

Mais uma vez eu ressalto a importância da pesagem e do cálculo correto da dose, é muito importante manejar o rebanho de forma a não deixar os animais chegarem em alto grau de debilidade, pois nesse caso até mesmo as doses corretas podem causar intoxicação (muito comum acontecer com o Nitroxil- "Dovenix").



Abraços Edson.
JOSÉ BRAGA

JUAZEIRO - BAHIA - REVENDA DE PRODUTOS AGROPECUÁRIOS

EM 24/11/2011

Muito oportuna, boa reportagem. O taitec  lab. calbos  detalha restrições em animais com 28 dias que antecede o parto ou debilitados.
LUIS EINAR SUÑE DA SILVA

GOIÂNIA - GOIÁS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 24/11/2011

Felicitações pelo artigo, achei muito oprtuno.

Usei o closantel em ovinos e igualmente resultaram animais intoxicados. Seus olhos ficam esverdeados e em midríase, aproximando-se de 5% de intoxicados.Alguns ficaram com cegueira total e outros parcal permanente. Não houve superdosagem. Temos tantos vermicidas no mercado que por isso não recomendaria novamente. Em bovinos apresenta resultados surpreendentes.

Ainda temos outro produto a base de closantel chamado Zuletel do Lab. Microsules - Uruguay.

Abraço

Luis Einar Suñe -  Med. Vet.

Goiás
EDSON F EVARISTO DE PAULA

CURITIBA - PARANÁ - ESTUDANTE

EM 23/11/2011

Boa noite, tudo bem?

Talvez a pergunta que eu iria fazer tenha sido, indiretamente, respondida pelo Áureo no post anterior.

Mas de qualquer forma, vocês têm mais informações/considerações sobre o uso desse anti-helmíntico em fêmeas gestantes?

Parabéns aos autores pelo artigo e também a Jordana pela discussão.

Abraços