FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Iniciando uma criação de ovelhas

POR IVAN SAUL

PRODUÇÃO

EM 18/12/2012

41
0
Com bastante frequência tenho conversado com gente entusiasmada para começar na ovinocultura. Raras são as exceções, em que o "interlocutor" não tem em mente a diversificação da produção em uma propriedade existente, dedicada, via de regra, à pecuária leiteira em algum momento de sua história. Também raros são os casos em que o "interlocutor" pode se vangloriar de possuir consistente conhecimento prévio da atividade.

Sem querer desmerecer o trabalho desenvolvido pelas instituições de ensino, infelizmente, os estágios curriculares pouco acrescentam ao aluno no sentido de "saber fazer" ovinocultura [ou outra atividade] já que a grande característica dos estágios e internatos é a exploração da mão-de-obra escrava [na limpeza de equipamentos e instalações, nos plantões em dias e horas indesejáveis, ou seja, fazendo o serviço sujo que os funcionários regulares, desde o orientador até o auxiliar de serviços gerais, não querem fazer]. Assim, o estagiário cumpre seu período sem ter aprendido qual a contribuição do trabalho por ele desenvolvido para o "quadro geral" da atividade em questão.

Retornando ao tema dos iniciantes, todos sabem qual raça querem criar, ainda que poucos saibam o que devem produzir, para atender a que demanda ou qual público atingir com seu produto. Não vai aqui crítica alguma, afinal "sobre gustos no hay nada escrito" e eu não sou crítico de raças, sou, sim, crítico dos "marqueteiros" e suas inconsequências. Crie a raça de sua predileção, porém, como sempre afirmei, comece pequeno. Não se atire em reprodutores de elite, não compre uma carreta "doble piso" de matrizes.

Experimente, só a experimentação pode fornecer certezas, ainda que momentâneas; tenha certeza da vocação ovelheira da sua propriedade, tenha certeza de que há mão-de-obra qualificada [ou passível de qualificação] ao seu alcance - prefira o tipo que gosta de animais disposto à aprender, àquele que sabe tudo de ovelhas. Sua outra certeza é de que, eventualmente, todo ovelheiro tem que meter a mão e assumir o trabalho pessoalmente, qualifique-se! Dica: ovelha se agarra pela pata, virilha ou papada, observe seu "especialista" com as mãos cheias de lã ou arrastando o rebanho pelas orelhas.

Conhecedor da vocação ovelheira de sua localização geográfica, teste a lotação do seu campo - onde come uma vaca, comem dez ovelhas, junto com a vaca - é claro que a capacidade de suporte da área varia e há ovelhas de 45Kg e outras de 90Kg. Esteja certo de que a pastagem seja preservada em seu rebrote, maneje a cerca elétrica com dois ou três fios. Cerca elétrica é cultura, ovelha que aprende a respeitar não passa e a melhor forma de ensinar será eletrificando uma cerca fixa [firme, quero dizer].

Não tenha ilusões, ovelha, como qualquer espécie pecuária, só produz bem quando come bem. Ovelha de carne exclusivamente à campo é ilusão. Vender cordeiro pesado aos 12, 14 ou 16 meses é gastar com manutenção e jogar o dinheiro da lã fora, preferível criar cruzas industriais, sintéticos ou duplo propósito. Dê comida e venda com 5 ou 6 meses.

Pense bem - os países nos quais a ovinocultura é bem desenvolvida, onde se ganha dinheiro com ovelha, não desprezam a lã como fonte de renda, antes, buscam animais que produzam carne sem perder qualidade de fibra. A classificação "cordeiro" é dada as carnes de animais cujos dentes incisivos centrais permanentes ainda não irromperam, isto é, animais que viveram o suficiente para deixar uma safra de lã antes do abate. É bom lembrar que, para tal classificação, são desejáveis carcaças de menos de 20Kg [ou animais com menos de 40Kg] e o seu borregão de raça pesada com esta idade estará pesando 60Kg e cairá na classificação "mutton". Grande dilema, vender "cordeiro mamão" pelos valores que o mercado remunera "borregão" ou vender "borregão" ao preço de "capão"?!

Um ovino pesado de rebanho geral e semi-confinado, representa, comparativamente e "grosso modo" [para fins de cálculo rápido e simplificado, i.e., perigoso], o custo de um saco de ração balanceada por mês, uns US$10 pouco mais ou menos. As variações se devem, principalmente, às condições das pastagens e alimentos alternativos, ao preço da mão de obra e às condições sanitárias do rebanho [sempre prefira investir em bons níveis proteicos ao desperdício de dinheiro em parasiticidas - ovelha bem alimentada convive com parasitas e engorda, ovelha vermifugada todo mês, convive com parasitas resistentes e passa fome].

Importante em relação aos custos é: "o preço do cordeiro deve cobrir os custos de manutenção da matriz no ano dedicado a produzi-lo". Se o seu rebanho apresenta altas taxas de gemelaridade, a vantagem competitiva é sua, meu amigo, o preço continua o mesmo!

Bueno, se o amigo insiste em criar ovelhas nessas condições, tenha presente que ovelha de descarte tem baixa cotação sendo melhor ter um canal de comercialização "alternativo" para elas. Assim envenenamos a própria água disponibilizando carne de qualidade inferior à mercado consumidor desconhecido, em lugar de conquistar consumidores fiéis e exigentes, dispostos a pagar mais por nossos produtos.

Insisto, pense grande, mas comece pequeno e crie apenas para consumo, até ter certeza da viabilidade comercial do seu rebanho. Seja bem-vindo à ovinocultura e boa sorte meu novo colega!

Grande abraço à todos ... Ivan
Saudações Ovelheiras!
Ivan Saul D.V.M. M.Sc.Vet. - Granja Po'A Porã, 09/dez/2012.

IVAN SAUL

Saiba um pouco mais sobre mim e a Granja Po'A Porã e veja uma coletânea dos meus artigos e cartas publicados no FarmPoint.

Visite:
http://ivansaul.blogspot.com
http://www.granjapoapora.com

- SAUDAÇÕES OVELHEIRAS! -

41

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

ILSON MACHADO

GLORINHA - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE OVINOS DE CORTE

EM 04/08/2015

Boa tarde Sr.Ivan,



Em que momento meu rebanho começa me dar agum dinheiro ?

Estou começando com ovino.



Um abraço.
ILSON MACHADO

GLORINHA - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE OVINOS DE CORTE

EM 04/08/2015

Boa tarde Sr.Ivan,



Muito bom seus artigos , pra está sendo de grande ajuda esse monte de informação

Estou começando agora , Lhe pergunto em que momento do meu rebanho que começo

a ganhar dinheiro ?

Diforma alguma vou desistir.

Mas só pra ter uma ideia.

Um abraço.
FELIPENOGUEIRA_@LIVE.COM

ESTUDANTE

EM 23/01/2015

**Quando disse em relação a feiras, foi no sentido de expor meus animais, ou isso é relativo.
FELIPENOGUEIRA_@LIVE.COM

ESTUDANTE

EM 23/01/2015

Estou achando de extrema importância as informações aqui descritas. Minha dúvida é em relação a como gerar lucro com Ovinos PO, tenho noção de manejo pelo qual vou adotar, porém, gostaria de saber como comercializar(reprodutores e matrizes), é necessário participar de feiras?





Atenciosamente.
JOSEFINA GONZALEZ

CURITIBA - PARANÁ - PRODUÇÃO DE OVINOS DE CORTE

EM 27/07/2014

Ivan



Temos uma pequena propriedade de 10 alqueires em Araucaria, PR, com 5 alqueires de mata preservada que nao pretendemos mexer de jeito nenhum! A propriedade é de lazer e queremos torná-la produtiva! Pensamos na criação de ovinos e caprinos! Navegando pela internet a procura das primeiras informações, me deparo com suas orientações de como começar uma criação! Você me fez lembrar da orientação de meu pai! "Pense grande e faça pequeno"! Gostei muito da sua objetividade, pragmatismo! E, é claro, vamos começar sim esta criação, pequena, com fins de consumo próprio, e ir avançando com informações e experiência! Obrigada e continuarei de olho nas suas recomendações, tomando a liberdade de ir perguntando. Obrigada pela sua disposição em compartilhar seus conhecimentos! Josefina Gonzalez, Curitiba, PR
NELSON CARNEIRO DA CUNHA MOREIRA

PORTO ALEGRE - RIO GRANDE DO SUL - MÍDIA ESPECIALIZADA/IMPRENSA

EM 21/07/2014

Prezado Ivan,

Vejo que falas muito em estudar bem antes de colocar os ovos neste sexto da ovinocultura. Perguntaria. Você já trabalhou ou investiu em confinamento de cordeiros? Tens idéia da rentabilidade possível:
WALLACE AMARO

NOVA IGUAÇU - RIO DE JANEIRO

EM 17/07/2014

Boa noite,



  Gostaria de começar uma criação aqui no Rio de Janeiro, saberia me dizer por onde começar?
TONY MOREIRA

RAVENA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE OVINOS DE LEITE

EM 14/07/2014

Obrigado Ivan pelo desprendimento compartilhando seu conhecimento e experiência.  
KARIN

SANTA CRUZ DO SUL - RIO GRANDE DO SUL - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 16/04/2014

Obrigada pela ajuda Sergio,



A ideia é começar com poucas, a venda será direto para mercado e açougues.. (onde não preciso ter a quantidade certa por mês ou semana)

A mão de obra será da casa tmbm, sem custo.

A minha maior duvida é qual tipo de ovelha pra carne e qual o melhor trato. Tu acha que com concentrado a carne é boa tmbm??



Desde já agradeço a ajuda.
SERGIO SARETTO

SOBRADINHO - DISTRITO FEDERAL - PRODUÇÃO DE CAPRINOS DE CORTE

EM 15/04/2014

Karin, qualquer area é possivel criar ovelhas, ate no quintal de casa, se vc quer saber se tera alguma rentabilidade com a criação isso dependerá de alguns fatores:

1 - Mao de obra: Se vc não precisar contratar mão de obra, ja tirara o maior custo da criação.

2 - Alimentação - Invista em capineiras e forragens de boa qualidade para intensificar a produção na sua area. Se for usar concentrado procure comprar direto de quem produz os grãos.

3 - Finalidade: Carne vc vai ter sim mas tem que ver o que vc vai fazer com ela, consumo proprio ? Tambem é uma forma de retorno. Venda direta ? sim é possivel e tem procura. Frigorifico: vc tera que ter uma produção minima para valer a pena.



Enfim isso é o que posso contribuir com um pouquinho de experiência.
KARIN

SANTA CRUZ DO SUL - RIO GRANDE DO SUL - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 15/04/2014

Olá, Gostaria de ver com vocês do grupo e suas experiencias se vale a pena começar com uma pequena criação de ovinos em um sitio, especialmente visado para a carne das ovelhas.  qual numero de ovinos seria ideal para o manejo de 1 ou 2 pessoas e qual a quantidade de terra que devo separar para a atividade? se puderem me ajudar agradeço.

[RUY CRISOSTOMO BARBOSA

SALVADOR - BAHIA - PRODUÇÃO DE OVINOS DE CORTE

EM 02/05/2013

Olá

Ivan Saul



Vejo nas suas colocações muita simplicidade e vc é muito direto no que orienta, sem duvidas serei mais um sequidor dos seus conhecimentos, quero criar Ovelhas e Cabras para corte e reprodução para tal terei de consequir matrizes:

Você aconselharia a compra de quantas matrizes e reprodutor para iniucaiar, tenho uma boa área de 65 mil equitares muito vede lugar muito bom.

farei parte sim desta familia com muito prazer...!

Ruy Crisostomo Barbosa
EVERTON

CONCÓRDIA - SANTA CATARINA

EM 04/03/2013

Gostei muito do tema "OVELHAS USADAS"!!! Atendo novidades.

Um forte abraço!!!

Everton Hoffmann.
IVAN SAUL

SÃO JOSÉ DOS PINHAIS - PARANÁ - PRODUÇÃO DE OVINOS

EM 05/02/2013

Meu caro amigo Miquelanti, desculpa a demora para responder, é que, muito agarrado com o dinheiro que sou, ainda não comprei um telefone de mineiro - o "Uaifone" - para trocar emails enquanto não posso me sentar calmamente e escrever.



Que bom que ainda existem tantos "malucos" atrevidos praticando a ovinovida à quem eu posso endereçar meus escritos de qualidade questionável!



Esta vida que propões com o naco de cordeiro e o copo de vinho, concordo, não é de todo ruim... melhor, só se o gerente do banco esquecer o número do telefone da gente...



Abração meu amigo... Ivan



Saudações ovelheiras!

Ivan Saul D.V.M., M.Sc.Vet. - Granja Po'A Porã, 05/fev/2013.

EDGAR MIQUELANTI

ATIBAIA - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 04/02/2013

Saudações mineiras Ivan



Puxa que bom vê-lo por estas bandas novamente "charlando" sobre assuntos  importantes com os "malucos" que se atreven a praticar a ovinovida.



Tissestes um dia, "começar pequeno". Tinha razão. Quem não for técnico, realista e fazedor de contas, que crie para os amigos... O que já não é de todo ruim, à mesa posta um naco de cordeiro um "verre du vin, c´est la vie.



Grande abraço



Edgar Miquelanti







IVAN SAUL

SÃO JOSÉ DOS PINHAIS - PARANÁ - PRODUÇÃO DE OVINOS

EM 15/01/2013

Prezado Pedro Alberto Carneiro Mendes.



Vou te explicar a causa de não fornecer meu endereço de email diretamente nestas páginas e espero que sirva de orientação para todos, nota que não é nada pessoal quando te uso de exemplo. Tudo isso entremeado de "por favor" e "desculpa"!



Não me agrada que alguém - qualquer um - torne público seu endereço de email [acontece que, depois da publicação, nossas caixas postais se enchem de lixo - "SPAM" - muitas vezes provocando a perda ou dificultando a leitura de mensagens importantes.



Outro procedimento importante é: ao enviar email para vários destinatários nunca utilizar o Cópia Carbono [ "CC:" na maioria dos servidores/programas de email], deve-se sempre utilizar o campo de endereçamento "BCC:" ou "CCO:" ["Blind Carbon Copy" ou "Cópia Carbono Oculta", respectivamente] onde o destinatário não pode ver o endereço dos outros destinatários da mensagem, além de mais seguro fica mais bonito e educado, mesmo que o recebedor saiba que não é o único merecedor da leitura daquele conteúdo.



O tráfego da internet é tremendamente aumentado pela quantidade de publicidade e outros materiais não solicitados que transitam pela rede [emails têm prioridade de envio nos servidores] tornando a navegação de todos mais lenta e instável. Assim como os "chats" e as chamadas "redes sociais"...



Qualquer amigo que necessite de maiores esclarecimentos sobre os temas aqui tratados pode entrar no meu blog [ ivansaul.blogspot.com ] e deixar um comentário identificado com email que, obviamente, não será publicado.



Novamente peço desculpas por assunto tão "chato" e peço, por favor, que não "interpretem meus escritos". Garanto que sempre envido meus maiores e melhores esforços para não deixar margem a diferentes interpretações, escrevo besteira mas o faço conscientemente e com endereço certo.



Um grande abraço amigo Pedro Alberto ... Ivan



Saudações ovelheiras!

Ivan Saul D.V.M., M.Sc.Vet. - Granja Po'A Porã, 15/jan/2013.
IVAN SAUL

SÃO JOSÉ DOS PINHAIS - PARANÁ - PRODUÇÃO DE OVINOS

EM 15/01/2013

Estimado Patrick Pippi Flores.



Sendo curto e grosso, se estás iniciando a criação e tens pouca experiência com ovinos, te recomendo fortemente a compra de ovelhas usadas. Algumas vantagens:



Em geral, os grandes criadores trabalham com taxas de reposição de 20%, isto é, descartam fêmeas usadas na proporção de 1/5 do rebanho à cada ano, resultando em que poderás comprar ovelhas relativamente jovens (5 anos) que podem deixar 1, 2 ou mais crias na tua propriedade, desde que bem manejadas;



Animais depreciados, podem ser compradas pelo preço do mercado de carne em vez de preço de matriz, verifica a cotação e manda ver;



Se o vendedor não te parecer muito confiável:

Pede ajuda de alguém que conheça um pouco mais o tema e o animal [estou supondo que tua experiência seja "nenhuma"] de forma a não comprar animais excessivamente usados, em todo caso, olha os dentes - se os incisivos centrais estiverem muito separados, em formato de V refuga a ovelha e busca selecionar aquelas com dentes mais próximos e parelhos - a condição corporal também pode ser um bom indicativo, ovelhas fortes sem gordura excessiva [pode ser sinal de ovelha falhada] são preferíveis;



Olha o úbere das ovelhas, o descarte pode se dar mais cedo por causa de tetos secos e a última coisa que tu precisas, ao iniciar, é um monte de cordeiros guaxos;



Vantagem principal em contraponto a inexperiência do criador iniciante, ovelhas usadas são experientes em dar cria e cuidar sozinhas da sobrevivência dos cordeiros, aprende com elas!



Voltarei ao tema proximamente.



Abraço e boa sorte, Patrick ... Ivan



Saudações ovelheiras!

Ivan Saul D.V.M., M.Sc.Vet. - Granja Po´A Porã, 15/jan/2013.

IVAN SAUL

SÃO JOSÉ DOS PINHAIS - PARANÁ - PRODUÇÃO DE OVINOS

EM 15/01/2013

Caro colega Sergio Labella Neto, te mando esta resposta impessoal e meio didática pois me parece que outras pessoas têm a mesma dúvida e não se animam a perguntar.



1. Deixar inteiro:

Faz pouca ou nenhuma diferença [em termos de peso/preço] se pretendes confinar, vender ou abater os cordeiros antes dos 5 meses de idade, ou seja, se vais "apartar" os animais, por gênero, antes da puberdade. Cuidado para que os cordeiros inteiros não limitem teu mercado se a venda for para recria.



2. Castrar:

2.a) A castração mais fácil de proceder é feita [aos 30 dias de vida aproximadamente] "com borrachinha" no mesmo momento da "descola" [se aplicável à raça criada]. A borrachinha deve ser aplicada "baixa" o mais próximo possível dos testículos e não pode pegar estruturas adjacentes [como tetos, por exemplo], com o cuidado de que ambos testículos encontrem-se no saco escrotal ao colocá-la. Esprema os testículos para o fundo da bolsa e deixe a borracha escorregar por eles, talvez sejam necessárias 2 pessoas para o procedimento... Para a caudectomia, contrariando os "experts" recomendo a aplicação da borracha bem no final da "parte pelada que se estende para depois das pregas caudais no rumo da ponta da cola". [Ver Foto no meu perfil clicando no meu nome aí em cima.]



* Em qualquer dos casos a "borrachinha" não precisa ser retirada, é só cuidar contra miíases [bicheira] que são difíceis de ocorrer, salvo lesões causadas pelo "alicate aplicador", nunca tente economizar e abrir a borracha com tesouras e assemelhados, compre o alicate correto e pague caro, vai durar o resto da vida.



2.b) Castração à faca [exatamente igual àquela dos bovinos] é pouco recomendável em regiões de clima quente, devendo ser praticada somente na impossibilidade de uso da "borrachinha", a probabilidade de ocorrer "um surto de bicheira na borregadinha" é muito grande podendo, se acontecer paralelamente um surto de preguiça nos humanos, ter consequências graves, lógicas e previsíveis.



3. Outros métodos de castração, "eu", pessoalmente, não recomendo. Faz quem quer, gosta e dá garantia do "serviço". Como "não faço clínica pra fora" posso estar desatualizado e errado, estes conselhos são emitidos desde o ponto de vista do criador. Como já disse anteriormente, não estou interessado e não sustentarei polêmicas, ainda que meus pontos de vista possam ser considerados polêmicos.



Espero, sinceramente, ter ajudado.



Um abraço à todos ... Ivan



Saudações ovelheiras!

Ivan Saul D.V.M., M.Sc.Vet. - Granja Po´A Porã, 15/jan/2013.
PEDRO ALBERTO CARNEIRO MENDES

FORTALEZA - CEARÁ - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 14/01/2013

Ivan





Fiquei desejoso de enviar um material para você, mas preciso de seu email.
PATRICK PIPPI FLORES

GLORINHA - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE OVINOS

EM 13/01/2013

ola estou iniciando minha criaçao de ovinos agora eu tenho 5 hacter de terra de pastagens boas como eu faço,compro umas ovelhas mais velhas ja para tirar crias ou compro ovelhas novas desmamadas,para tirar a primeira cria gostaria muito de saber,desde ja grato.