FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Desafios e solucões para as empresas rurais em sociedade familiar

POR CILOTER BORGES IRIBARREM

E ENIO BORGES DE PAIVA

PRODUÇÃO

EM 28/07/2010

0
0
O mundo mudou, negócios mudaram, e as relações familiares também mudaram e por conseqüência a relação família x negócios também foi alterada.

Mais de 95% das propriedades rurais brasileiras são exploradas e geridas pela própria família.

Os fundadores (pais) construíram o patrimônio, algumas vezes com a participação dos filhos mais velhos e em outras com a participação de todos os filhos.

O tempo passou muito rápido, os filhos cresceram, constituíram família, alguns trabalham com os pais outros exercem outras atividades fora da empresa familiar.

Até um determinado período da vida da empresa, os pais ao mesmo tempo em que eram proprietários eram controladores exclusivo dos negócios.

Como no mundo que vivemos tudo é muito rápido, os pais não tiveram tempo de estruturar uma sociedade da família no negócio, e hoje, os filhos estão adultos e casados.

Muitos filhos dependem dos negócios dos pais, sendo que a necessidade financeira de cada uma das famílias dos filhos que trabalham na propriedade também aumentaram.

Como as retiradas financeiras começaram a aumentar, mas nem todos os filhos tem as mesmas necessidades de recursos, sendo que alguns nem na propriedade trabalham, e estas diferenças de retiradas dos recursos financeiros da empresa entre os irmãos começam a gerar atritos entre eles.

Os pais, vendo a relação familiar, começando a se deteriorar, ao mesmo tempo que começam a perder o poder total de controlador exclusivo da empresa, passam a sentir uma enorme frustração pela falta de um bom relacionamento dos filhos, assim como a perda de sustentabilidade econômica do negócio, que tanto lutaram para construir.

O que os pais nunca fizeram foi estruturar a Organização do Negócio Familiar e Planejar a Sucessão (Transição), achando que seriam eternos e que sempre poderiam controlar tudo sozinhos.

Além de todas as dificuldades que se apresentam na relação familiar, o futuro desta empresa familiar se nada for feito com a presença dos pais, será o fracionamento da mesma quando ocorrer a Sucessão por morte, perdendo toda a sua competitividade de ser explorada como uma única unidade de produção.

A propriedade que era explorada como uma única unidade de produção com toda a sua estrutura de (armazenagens, irrigação, construções em geral, estradas, diferenças de solo e topografia, etc.) terão que passar por um processo de divisão, o que por si só cria uma enorme dificuldade de localização das áreas dos sucessores além da perda de competitividade pela diminuição da escala.

Os senhores poderão estar perguntando-se, mas Sucessões sempre ocorreram, é verdade, mas muitos patrimônios se terminaram pelas brigas dos herdeiros ou pela inviabilidade econômica do tamanho dos que ficaram após a divisão.

Atualmente, soma-se ao que falamos anteriormente, a necessidade dos filhos de trabalharem nos negócios dos pais, além dos novos vínculos conjugais existentes, que poderão no futuro trazerem sérias conseqüências a relação familiar e ao patrimônio.

Existem soluções que permitem manter a unidade familiar com a sustentabilidade e crescimento econômico da empresa, onde serão atingidos os objetivos dos pais que é a união da família, com proteção dos filhos e crescimento do patrimônio que os mesmos constituíram ao longo das suas vidas.

Estas soluções passam por técnicas de Estruturação da Empresa Rural Familiar na Organização do Negócio e Planejamento da Sucessão (Transição).

Assim como existem uma enorme quantidade de técnicas para produzir, grãos, carnes, leite, algodão, hortifrutigranjeiros, madeira, etc., também tem tecnologia que permite implementar ferramentas de Gestão na condução de uma empresa rural.

O processo envolve as seguintes fases:
• Estruturação do Negócio.
• Estruturação do Patrimônio.
• Estabelecimento de regras para a família, através de um instrumento denominado (Protocolo Familiar).
• Estabelecimento de remuneração diferenciada, EMPRESA / FAMILIA / NEGÓCIO.
• Estabelecimento de formas de transferência do Patrimônio.
• Estruturação tributária.

Quais vantagens são obtidas com este processo de estruturação?
• Pais manterão o poder sobre o patrimônio de forma vitalícia.
• Pais ficarão com o direito de venda sobre os ativos se assim desejarem.
• Na falta dos pais, o poder sobre o patrimônio e por conseqüência o direito de uso dos bens passará para os filhos.
• Redução das possíveis brigas familiares e o custo da transmissão aos sucessores.
• Os bens recebidos por herança não se comunicarão com os cônjuges dos filhos, exceto os casados em comunhão universal de bens.
• Proteção do patrimônio da família contra eventual despreparo financeiro.
• Profissionalização da relação da família com o negócio.
• A exploração das propriedades será feita em conjunto, sem fracionamento da mesmas.
• Criação de Pessoas Jurídicas na propriedade da terra e exploração do negócio nas Pessoas Físicas e/ou Pessoas Jurídicas.
• Estabelecimento de contratos entre Pessoas Jurídicas e as Pessoas Físicas que exploram as atividades agropecuárias.
• Ajustes para nova forma de exploração entre as Pessoas Jurídicas e as Pessoas Físicas, com o objetivo de reduzir o custo dos impostos.
• Possibilita a remuneração diferenciada entre os filhos que trabalham no negócio e os que estão fora dele.
• Possibilita a criação de um Instrumento, denominado Protocolo Familiar, onde estão regrados todos os direitos e deveres da Sociedade Familiar.
• Pais e filhos passam a conhecer todo o negócio, o que por si só diminui a desconfiança entre os membros da família e como conseqüência ajuda a manter a unidade do mesmo, no presente e no futuro, garantindo o crescimento da empresa e o aumento da escala de produção.
• A propriedade passa a ser administrada como uma empresa, separando o que é família do que é negócio.
• Todo o novo patrimônio adquirido, automaticamente já entra na constituição Societária das Pessoas Jurídicas e ou Pessoas Físicas, mantendo o que foi estruturado e regrado na sociedade.
• Potencializa a tomada de crédito.
• Possibilita estruturar toda a parte Fundiária e Tributária do Patrimônio e do Negócio.

E por fim o mais importante, possibilita manter a união familiar, diminuindo os atritos, potencializando o crescimento da empresa em beneficio de todos.

A experiência da SAFRAS & CIFRAS, que vem trabalhando a 20 anos no setor agropecuário brasileiro e dentro deste período tem transformado um enorme número de Negócios Familiares em Sociedades Familiares, utilizando-se do processo que acabamos de ver, e tem como resultado deste trabalho, poder ver a felicidade dos pais, por terem conseguido manter a sua família unida, assim como o patrimônio protegido para seus filhos, além de terem a certeza de que o mesmo crescerá nas gerações, atual e futura.

A felicidade das pessoas e o sucesso dos negócios deverá ser buscado permanentemente e para atingir estes objetivos em Negócios Familiares, será necessário a organização dos mesmos.


Podemos afirmar que nós técnicos da SAFRAS & CIFRAS, somos extremamente felizes em podermos compartilhar da felicidade das famílias e do sucesso dos negócios das Empresas Rurais Familiares que adotaram o processo de SOCIEDADE FAMILIAR por terem vencidos os desafios e encontrado as soluções, que era o objetivo de todos que participaram da organização e implantação do mesmo.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.