FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Custo de produção de silagem de cana-de-açúcar com diversos aditivos e seu impacto na formulação de rações: Parte I

POR RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

E THIAGO FERNANDES BERNARDES

PRODUÇÃO

EM 17/03/2009

28
0
Por muitas vezes somos abordados em relação à utilização de silagem de cana-de-açúcar como fonte volumosa para ruminantes, tendo grande parte dos questionamentos direcionados a baixa qualidade do volumoso e a habilidade deste em suprir nutrientes para produção animal, devido aos diversos fatores que envolvem a conservação desta espécie, como elevada produção de etanol e ocorrência de perdas de MS.

Geralmente a resposta ao produtor é a seguinte: Silagem de cana-de-açúcar é uma opção viável, porém, a ensilagem desta cultura sem a presença de um aditivo controlador de perdas será problemática e inviável. Dessa forma, neste artigo gostaríamos de demonstrar a viabilidade desta forrageira, exemplificando-a agora com custos e não apenas com conceitos. Para fins de cálculos, nossas planilhas sobre custo de produção de cana-de-açúcar foram atualizadas em 19 de janeiro de 2009.

Os valores de custos gerados foram para silagem de cana-de-açúcar sem aditivo e aditivada com a bactéria Lactobacillus buchneri (5x104 UFC/g de forragem), 1% de óxido de cálcio, 1% de uréia, 1% NaOH e 0,1% de benzoato de sódio, os quais são apresentados na Figura 1.


Figura 1. Custo de produção de silagem de cana-de-açúcar com diferentes aditivos.

Verifica-se na Figura 1 diferenças nos valores de custo da silagem, e o leitor poderá questionar: Como o custo da silagem aditivada pode ser menor do que a silagem não aditivada, se estou aumentando o custo, que no caso é o aditivo? A resposta é simples: A partir do momento que inserimos um aditivo na ensilagem da cana-de-açúcar, o objetivo principal é a redução de perdas de MS e a produção de etanol. Isto quer dizer, aumentou-se o gasto na aquisição do aditivo, porém, a efetividade deste foi tão grande, que o preço desembolsado para aquisição do aditivo foi diluído em uma maior quantidade de silagem recuperada na abertura do silo. Ou seja, na silagem que não possui aditivo, as perdas de MS são por volta de 30%, já para silagem aditivada com 1% de uréia, as perdas são próximas a 17%.

Entretanto, dois pontos fundamentais devem ser considerados: 1°) A efetividade do aditivo em reduzir perdas de MS e 2°) O custo do aditivo. Por exemplo: As perdas de MS estimadas para a silagem aditivada com 1% de CaO e 1% de NaOH são próximas a 16%, ou seja, aditivos com mesma efetividade. Entretanto, o custo do primeiro aditivo é de R$ 65,12/t MV e o do segundo é de R$ 88,16/ t MV. Dessa forma, a diferença entre esses dois aditivos está no seu custo. Enquanto o CaO é vendido a R$ 410,00/ tonelada, o NaOH custa R$ 2.500,00/ tonelada. Assim, a pesquisa por preços é determinante no custo de produção da silagem de cana-de-açúcar.

Pode verificar-se que a silagem aditivada com 1% de uréia apresenta custo de produção intermediário. Entretanto, deve ser lembrado que o consumidor final da silagem será o animal, e está uréia que foi adicionada à cana-de-açúcar no momento da ensilagem também estará disponível ao ruminante. Dessa forma, apesar de o custo dessa silagem ser um pouco maior, posteriormente existe a possibilidade de diluição do custo da ração, com utilização de menor quantidade de uréia na formulação.

Após apresentados os valores das silagens de cana-de-açúcar com os diferentes aditivos é interessante a comparação destas silagens com as demais utilizadas nos diversos sistemas de produção do Brasil. Trataremos aqui dos custos de produção da silagem de milho, sorgo e do feno de gramínea (coast cross), os quais são apresentados na Figura 2. Pode ser verificado que a silagem de cana-de-açúcar aditivada (neste exemplo, explorando a tratada com Lactobacillus buchneri) apresenta custo de produção inferior aos demais volumosos. Apesar de a silagem de cana-de-açúcar aditivada apresentar maiores perdas de MS em relação a silagem de milho e sorgo, seu menor custo é em função de sua elevada produtividade, a qual apresenta valores médios 90 t MV/ha/ano, ao passo que o milho e o sorgo podem alcançar produtividade de 35 e 45 t MV/ha/ano, respectivamente. 40 a 50 t MV/ha/ano.


Figura 2. Custo de produção de diferentes volumosos conservados.

O pensamento que gostaríamos de deixar neste artigo é de que a silagem de cana-de-açúcar é opção de volumoso, desde que um aditivo seja utilizado em sua confecção e que esta apresenta vantagens econômicas quando inserida no sistema de produção animal em comparação aos demais volumosos conservados.

A próxima questão é: Nutricionalmente, qual será a resposta do animal? É possível alto desempenho utilizando rações com silagem de cana-de-açúcar, como única fonte volumosa? Haverá lucro ou prejuízo no uso deste volumoso? Essas questões serão tratadas na parte II deste artigo.

RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

Zootecnista pela Unesp/Jaboticabal.
Mestre e Doutor em Ciência Animal e Pastagens pela ESALQ/USP.
Gerente de Nutrição na DeLaval.
www.facebook.com.br/doctorsilage

THIAGO FERNANDES BERNARDES

Professor do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Lavras (UFLA) - MG.
www.tfbernardes.com

28

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

WALTER LUIZ

BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS

EM 13/12/2011

seria interessante conhecermos as analises do material ensilado e do material fresco, dessa forma saberiamos o quanto a ensilagem deteriora o material a fresco.
RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 08/03/2010

Prezado Jose Carlos Rocha,

Não saberia te dizer se a cana-de-açúcar se adaptaria totalmente a região Sul. ela gosta de muito calor e sua alta produção é função da grande quantidade de radiação solar e disponibilidade de água.

Atencisoamente

Rafael Amaral
JOSE CARLOS ROCHA

RIO GRANDE - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 26/02/2010

ola amigos gostaria de saber se a cana de açucar se adptaria bem ao clima do rio grande do sul,e em qual periodo do ano seria ideal para o plantio da mesma?
RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 18/02/2010

Prezado Osmar Carvalho,

Desconheço uma máquina forrageira de pequeno porte que sirva para ser utilizada no corte e picagem da cana-de-açúcar. Já trabalhei com máquina estacionária acoplada a tomada de força do trator, mais esta não elimina o corte manual.

A cana hidrolisada não aumenta o valor nutritivo da cana, existem alguns que mostram perda de valor nutritivo. A única estrátegia é que seu uso "espanta abelhas" ao redor da cana, o que para alguns produtores é um problema.

Talvez uma opção ao uso da hidrolise seria o corte da cana para dois dias, sendo que a picagem seria realizada no dia do fornecimento.

Atenciosamente

Rafael Amaral
OSMAR U. CARVALHO

TEÓFILO OTONI - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 09/02/2010


Prezado Rafael

Parabéns pelo artigo e pelas respostas ´as perguntas.

Usamos na nossa propriedade, para alimentar 90 vacas, a cana cortada manualmente o que onera o trato e esta´ dificil a mão de obra.

Perguntas: Tem uma cortadeira pequena e acssecivel no preço para realisar este trabalho?

2a- cortadeira manual resolveria o trabalho?

3a- O que acham da cana hdrolisada ? Usamos há tres anos no preparo da ração de cana, caroço de algodão e soja.

Votos de bem estar.
RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 04/02/2010

Prezado Marlon Rosa Naue,

A silagem de capim possui particularidades diferentes. Como o capim apresenta teor de matéria seca baixo para a confecção de silagem, o aditivo que se torna interessante para esta espécie e é a polpa citrica peletizada, casca de soja. Aditivos que elevarão o teor de MS e com isso darão chance para uma melhor fermentação.

A uréia e o concentrado deverão ser utilizados no fornecimento para os animais. Em relação a formulação da ração, os ingredientes que deverão ser colocados irá depender da espécie e categoria animal.

Atenciosamente.

Rafael Amaral
RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 03/02/2010

Prezado Alexandre,

O processo de conservação de forragem caso ocorra de maneira correta, com vedação adequada, ou seja, a silagem está em ambiente anaeróbio e com pH reduzido, teoricamente a silagem está preservada por longos períodos.

Na prática já observei silagem de cana-de-açúcar armazenada por período superior a um ano com qualidade excelente.

Geralmente a silagem é confeccionada para ser utilizada até um ano.

Atenciosamente

Rafael Amaral
ALEXANDRE

DIADEMA - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE

EM 03/02/2010

Gostaria de saber qual a durabilidade da silagem de cana de açucar
MARLON ROSA NAUE

CANGUÇU - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 03/02/2010

Meu amigo Rafael Camargo do Amaral;

Muito bem explicado o artrigo, tirei algumas dúvidas que tinha com as perguntas dos colegas produtores, Eu possuo 0,5ha de capim-elefante queria usar ele este ano como silagem, mas com o capim-elefante seria da mesma forma usando os aditivos? ou poderia usar depois de pronta a silagem de capim, colocar os aditivos como caso da uréia1% + concentrado?
na formação da silagem de capim -elefante teria que colocar o milho triturado junto?
Espero retorno , um abraço.

Marlon.
RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 07/05/2009

Prezado Wagner Provenzano de Paula,

Não encontramos nenhum trabalho que utilizou silagem de cana para avestruzes. Infelizmente nesta questão não poderemos auxilia-lo, visto que não possuímos experiência com este tipo de animal.

Atenciosamente
Rafael e Thiago
WAGNER PROVENZANO

NITERÓI - RIO DE JANEIRO - DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS (CARNES, LÁCTEOS, CAFÉ)

EM 05/05/2009

Caros Rafael e Thiago;

Muito interessante o artigo. Engordo 3.000 avestruzes/ano em Alagoas, e preciso reduzir a dependência do concentrado, em parte melhorando a qualidade do volumoso. Estou produzindo alfafa e leucena para corte, e tentei plantar milho para silagem, que além de caro, fica restrito a 1 só corte. O sorgo não é bem tolerado pelas aves. A região é produtora de cana. Pergunto: posso fornecer silagem de cana para os avestruzes (herbívoros monogástricos)?

Muito obrigado
Wagner Provenzano
RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 29/04/2009

Prezado Jose Eduardo da Silva,

Ainda não entendi qual o objetivo de se adicionar 10% de cana-de-açúcar na silagem de sorgo e também adicionar sorgo a silagem de cana.

O sorgo colhido no ponto correto de ensilagem apresenta teores desejáveis de carboidratos solúveis para obtenção de um processo fermentativo desejável.

Por outro lado, o sorgo inserido na ensilagem da cana não auxiliará em nenhum momento para redução da produção de etanol, visto que para inibir desenvolvimento de leveduras (produtoras de etanol), apenas o aumento do teor de matéria seca não é suficiente.

Atenciosamente
Rafael e Thiago
RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 29/04/2009

Prezado Walter Jark Flho,

Para os custos de produção da cana-de-açúcar sào considerados os insumos utilizados, o preparo do solo, plantio, tratos culturais, insumos e tratos culturais utilizados para cana soca, colheita e picagem mecanizada.

Quando se realiza a ensilagem, se inseri no custo: os aditivos, lona, ensilagem, descarga e distribuição no cocho dessa silagem. O custo se eleva em função dessas adições de itens, mais o que faz com que encareça o valor também é o processo fermentativo, ocorrem perdas no processo de ensilagem.
Assim, o nosso levantamento de preços é o preço que a silagem chega no cocho, não a que chega no silo, ou seja, valores gerados a partir das perdas ocorridas durante a fermentação.

Atenciosamente
Rafael e Thiago
RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 27/04/2009

Prezada Andréia Aparecida Conceição,

Desconheço algum trabalho. Pensando em benefícios da fermentação não vejo possibilidade de está inclusão melhorar o padrão fermentativo.
A cultura do sorgo apresenta padrões desejáveis de fermentação, já a cana-de-açúcar requer inclusão de aditivos.
Acredito que a melhor opção é realizar silos distintos entre essas duas culturas.
Atenciosamente
Rafael e Thiago
WALTER JARK FLHO

SANTO ANTÔNIO DA PLATINA - PARANÁ - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 27/04/2009

Prezado Rafael,
A questão custo de silagem sempre me preocupou porque tenho visto custos muito diferentes entre os diversos autores. No seu trabalho muito bem feito ficou uma dúvida. O custo total da silagem de cana ficou em torno de R$ 65,00. Na resposta à correspondencia da Med. Vet. Suene, voce dá um valor de R$ 30,00 por ton. de cana cortada mecanicamente. Se o custo total é de R$ 65,00 deduzo que esta diferença se deve ao transporte, compactação, lona mão de obra.

Eu faço silagem de milho em que as operações são semelhantes. No meu caso o menor custo é exatamente o que acontece após o corte. O maior custo está na implantação da lavoura, sua condução e corte. Embora a cana não seja plantada todos os anos, tambem tem custos de herbicidas, fertilizantes, alem do corte que está incluido no custo de R$ 30,00. Portanto, se possivel, gostaria que você detalhasse os custos para melhor entendimento.

Desde já agradeço. Walter
JOSE EDUARDO DA SILVA

JANAÚBA - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 27/04/2009

Ola Andreia, estou no semiarido e utilizo muito sorgo aqui como silagem ou vice-versa.

1} se você for fazer silagem de sorgo, você podera adicionar 10% de cana de acucar na sua silagem.

2}se você for fazer silagem de cana deve adicionar 10% de grâos de sorgo triturado bem fino tipo fuba, distirbuidos em camadas de 20cm de altura. Ou seja a cada camada que for compactar deve se distribuir o sorgo triturado em função do peso da camada. Vamos a um exemplo. Silo de 50 metros de comprimento 5,5 metros de largura, 0,2 metros de altura, qual o volume e peso, vamos, 50*5.5*0.2=55m³=27 t.x 10% de sorgo conclui que você deve usar para cada cama de 20cm de altura do silo de cana 2,7 t. de sorgo triturado, como você sabe qualquer silagem boa de milho ou sorgo deve se ter no minimo de 40% de grão. Só para enriquecimento e diminuir ma produção de etanol, usa-se o aditivo e 1% de sorgo triturado, o que corresponderia a 270 kg de sorgo triturado por camada.

Não sei fui claro, tentei te ajudar, saudaçoes
ANDRÉIA APARECIDA CONCEIÇÃO

ITAIÓPOLIS - SANTA CATARINA

EM 23/04/2009

Olá, gostaria de informação sobre a utilização de cana-de-açúcar junto com o sorgo para ensilagem, se há possibilidade desta mistura no silo, se a cana estiver no ponto na mesma época que o sorgo, e se houver a possibilidade qual seria a proporção sorgo:cana.

Obrigada.
MARIA CECÍLIA DA SILVA PIRES

ALTA FLORESTA D'OESTE - RONDÔNIA - ZOOTECNISTA

EM 23/04/2009

Como essa formulação se encaixaria a produtores rurais que praticam a produção sustentável, onde a maioria faz uso da cana-de-açucar com uréia (triturada)? Existiria uma forma de menor custo, para que eles possam passar a usar esta formulaçao?
RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 13/04/2009

Prezado Martinho Mello de Oliveira,

Falando de forma geral, sem conhecer a produção de seus animais e as condições. Animais de baixa a média produção, respondem mais com ração formulada com farelo de soja e uréia em relação a esse formula que foi apresentada.
Atenciosamente

Rafael e Thiago
MARTINHO MELLO DE OLIVEIRA

PARANAÍBA - MATO GROSSO DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 10/04/2009

Caro Rafael e Thiago,
De antemão parabéns pelo artigo. Gostaria de saber o que é melhor para acrescentar à cana in natura, ração formulada com 22% de PB, sendo 1 KG para cada 2,5 a 3,0 L de leite ou somente o farelo de soja em quantidade menor.