FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Criação de ovinos e os sistemas de produção

POR CRISTIANE OTTO DE SÁ

E JOSÉ LUIZ DE SÁ

PRODUÇÃO

EM 14/08/2006

4 MIN DE LEITURA

6
0
O mundo tem uma população ovina de aproximadamente 1,2 bilhões, ocupando grande parte dos ambientes impróprios para a agricultura, como regiões montanhosas e semi-áridas. Pela seleção praticada pelo homem e pela capacidade de adaptação destes animais, é possível encontrar criações de ovinos nas mais diferentes condições ambientais. Apesar disso, a distribuição dos ovinos no mundo é desigual.

Alguns países têm poucos animais enquanto em outros há uma população elevada. O tamanho dos rebanhos varia de algumas a centenas a milhares de cabeças. As razões para estas concentrações são explicadas por fatores geográficos, históricos e comerciais. Em alguns países, a produção e a exportação de carne e lã foi economicamente importante, quando havia uma demanda por estes produtos. Determinados fatores geográficos e características climáticas podem favorecer ou não a produção de ovinos.

Os ovinos estão também associados aos sistemas tradicionais de subsistência, especialmente nos países em desenvolvimento. Esta forma de criação tem permanecido inalterada por séculos em algumas regiões. Os animais fornecem carne, leite, lã e pele para seus criadores, sendo considerados nos sistemas tradicionais de criação, conversores eficientes de forragens em produtos para o consumo humano.

Por outro lado, principalmente por questões econômicas, observou-se uma intensificação na produção ovina e o desenvolvimento de uma ovinocultura industrial. O fato é que tanto naquela produção de subsistência quanto na produção em escala, a importância dos ovinos nos mais diferentes sistemas de produção é incontestável, seja como fonte alimentar para uma família, na complementação de renda de um pequeno produtor, ou na geração de renda e empregos que uma grande produção pode proporcionar.

Os ovinos são criados em sistemas que variam desde os extensivos até os mais intensivos. Por exemplo, em regiões áridas ou em campos nativos a taxa de lotação pode variar de uma ovelha para 3 a 5 hectares até seis ou sete ovelhas por hectare em pastagens cultivadas. Por causa dos fatores econômicos, há uma tendência para a intensificação da criação, tornando o sistema mais eficiente, mas dependente de forrageiras de elevada qualidade e suplementação com concentrados.

Porém, os ovinos são capazes de utilizar uma grande variedade de fontes de alimentos e o mérito da espécie é o aproveitamento de vastas áreas de pastagens naturais. Assim, as forrageiras continuam a ter um papel importante em todos os sistemas de criação de ovinos. Em algumas regiões a área disponível de pastagens tem diminuído e o valor da terra tem aumentado, se somarmos a isso um aumento do rebanho temos uma maior pressão de pastejo.

As práticas de manejo estão sendo melhoradas para suportar este maior número de animais por área, incluindo a adubação do solo, descanso de pastagens, uso de alimentação suplementar e utilização de forrageiras conservadas, para equilibrar a variação anual da disponibilidade de pasto e das exigências nutricionais dos animais.

O confinamento de cordeiros surgiu para controlar a verminose e proporcionar maiores ganhos de peso e tem variado de algumas centenas a milhares de cabeças que são alimentados normalmente com dietas a base de grãos.

Mas qual seria o melhor sistema de produção de ovinos? Talvez a maior dificuldade ou, então, o desafio para quem vive da produção agrícola e/ou pecuária seja esta: buscar pelo seu sistema de produção ideal, já que não existe um padrão definido que seja apropriado para todos os produtores.

Na verdade o sistema de produção é a combinação de cultivos e criações que o produtor utiliza para atingir os seus objetivos. Portanto, não existe sistema de produção de ovinos, mas sim, produção de ovinos nos mais diferentes sistemas. A criação de ovinos é uma atividade que faz parte de um sistema de produção que sofre interferência de vários fatores externos, como os fatores políticos, históricos, culturais, mercadológicos e ambientais.

No sistema de produção existem fluxos como os de entrada de informações, de insumos, fluxos internos do sistema e fluxos de saída de informações e de produtos (Figura 1). Atingir a tão comentada sustentabilidade está no equilíbrio deste complexo sistema de produção.

Clique na imagem abaixo para ampliá-la.



Figura 1 Exemplo da dinâmica e variabilidade de um sistema de produção.

Atualmente a disponibilidade de informações e tecnologias para a produção de ovinos é enorme, resultantes de trabalhos de pesquisa, observações de campo e experiências de criadores. Estas tecnologias podem afetar positivamente ou negativamente os sistemas de produção. O problema é que sempre que se tentou fazer uma apropriação de técnicas de manejo e formas de criação padronizadas, os resultados foram desastrosos.

Uma das explicações para este fato é de que as tecnologias produzidas normalmente nos centros de pesquisa são desenvolvidas sem se considerar a real situação social, econômica e ambiental pela qual passam os agricultores, justamente pela dificuldade causada pela variabilidade dos fatores que atuam sobre os sistemas de produção.

Portanto, ao se tomar decisões que vão interferir no sistema de produção é preciso antes de tudo se conhecer, isto é, determinar quais são os objetivos da criação, quais as características da região na qual se está inserido, como atuam os produtores com sistemas semelhantes. Ao se adotar uma inovação, verificar o que se pretende com ela e se esta é apropriada para o seu sistema de produção.

Para reduzir a fragilidade dos sistemas produtivos é importante reconhecer os problemas e buscar por alternativas para minimizá-los. É necessário que a atividade desenvolvida não seja somente economicamente viável, mas também sustentável. Por isso, é interessante se questionar se o sistema de produção atende as suas necessidades atuais e se continuará atendendo as necessidades das futuras gerações.

Referências Bibliográficas

CAPORAL,F.R. & COSTABEBER, J.A.; Agroecologia e desenvolvimento rural sustentável: perspectivas para uma nova extensão rural. Agroecologia e Desenvolvimento Rural Sustentável. Porto Alegre, v.1, n.1, jan/mar, 2000.

DEVENDRA,C. & COOP,I.E. Ecology and distribution, editado por COOP, I.E. New York, ed.Elsevier Scientific Publishing Company, v. 1, p. 1-14, 1982.

RADOSTITS,O.M.; LESLIE,K.E. e FETROW,J. Health and production management for sheep In: Herd Health: Food Animal, Production Medicine, editado por W.B. Saunders Company, 2a. ed, p. 527-606, 1994.

ROSS, C.V. History and development of the sheep industry In: Sheep Production and Management, editado por Prentice-Hall, I. New Jersey, 10 ed., p. 122-143, 1989.

6

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

EVELYN MONTEIRO SILVA

EM 19/03/2018

bom
UNIFORSE DE CARACO

ESTUDANTE

EM 07/11/2015

qual e a tecnologia da  criaca de ovnos?
MARIELE

MANAUS - AMAZONAS - ESTUDANTE

EM 24/03/2008

Sou estudante de agropecuária, me interessei muito pela a atividade de criação de ovinos e caprinos, venho aqui em busca de mais imformações sobre o assunto, gostei desse artigo.
PEDRO ALBERTO CARNEIRO MENDES

FORTALEZA - CEARÁ - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 28/09/2006

Prezada Cristiane,

Sou veterinário e durante 12 anos conduzi o Programa de Ovinocaprinocultura no Estado do Ceará.

Apreciei bastante o seu artigo, ao qual me permito tecer algumas considerações. No Ceará temos utilizado a lotação de 6 ovelhas e/ou cabras por ha irrigado em pastejo rotacionado. Em áreas de sequeiro, com pastagem nativa, utilizamos 2 ha por animal adulto.

Esclarecemos que a EMBRAPA-CAPRINOS, considerando o peso metábolico utiliza para uma UA de ovinos e/ou caprinos uma variação de peso que vai de 240 a 280
kg, em nossos trabalhos utilizamos 270 kg, ou seja:
450 kg de bovinos = 270 kg de ovinos e/ou caprinos.

Pedro Alberto
RAMÒN AUGUSTO AYALA BARRETO

PONTA PORÃ - MATO GROSSO DO SUL - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA A PRODUÇÃO

EM 30/08/2006

Prezada Cristiane,

Interesante artigo. Sou veterinário, iniciando minha criação. Tenho definido como base o Santa Inês, produzindo Doper para cruzamento, tenho lido e colocado em prática material vosso da Embrapa. Estou conseguindo desmamar animais comuns com 60 dias, 11 kg, e mestiços Santa Inês, 14 kg, sistema creep feeding, assim como suplementação das mães.

Grato
Ramón Ayala
MARCELO SPINOLA VIANNA

ARARUAMA - RIO DE JANEIRO - PRODUÇÃO DE OVINOS

EM 26/08/2006

Prezada Cristiane,

Acredito que a grande tendência da ovinocultura, seja o confinamento quase total dos animais, visto que esta pecuária está sendo praticada por muitos produtores com pequenas áreas disponíveis, logo fica mais viável alimentá-los no cocho para se ter um rentabilidade.

As áreas antes destinadas para pastagens, com baixa lotação, podem passar agora a ser utilizadas para plantios específicos para formação de silos, podendo aumentar agressivamente o número dos animais do rebanho com alimento disponível o tempo todo.

Gostaria de manter contato, visto que sou um criador aprendendo um pouco a cada dia.

Parabéns pela matéria.