FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Caprinocultura leiteira no nordeste brasileiro

POR SUELI FREITAS DOS SANTOS

E MAGNO CÂNDIDO

PRODUÇÃO

EM 20/02/2009

2
0
A caprinocultura leiteira é uma atividade econômica explorada em todos os continentes, estando presente em áreas com diferentes características, edafoclimáticas. Ocupando uma posição de destaque entre as atividades desenvolvidas no setor agropecuário nos últimos anos.

Segundo NOGUEIRA FILHO, (2002), essa atividade não demonstra grande expressão econômica, sendo, na maioria dos casos, desenvolvida de forma empírica e extensiva, adotando baixos níveis de tecnologia e, conseqüentemente, trazendo baixa produtividade e reduzida rentabilidade.

A caprinocultura leiteira participa em todos os setores da economia. No setor primário, tem-se a criação de caprinos, enquanto no setor secundário observa-se a produção. Essas atividades abrangem produtos como, leite, queijo, iogurtes, entre outros produtos. (COUTO FILHO, 2002).

Segundo BNB (1999), a caprinocultura pode ser considerado um negócio, haja vista a sua adaptabilidade às condições locais, a possibilidade de exploração por todas as categorias de produtores, o crescimento do mercado e o interesse do empresariado local pela atividade.

No Brasil o leite de cabra vem conquistando crescente mercado, tanto na forma de leite pasteurizado, pasteurizado congelado, como na forma de leite em pó e mais recentemente, desde 1998, em embalagens tetrapak tipo longa vida UHT, esterilizado e aromatizado (CORDEIRO & CORDEIRO, 2008).

Segundo CORDEIRO & CORDEIRO (2008), a industrialização do leite e seus derivados exigem instalações e equipamentos adequados e a constituição legal de uma firma e também o credenciamento junto aos Serviços de Inspeção Sanitária, podendo ser Federal (SIF), Estadual (SIE) ou Municipal (SIM), quando a cidade tiver Legislação Específica para Produtos de Origem Animal.

Os rebanhos de caprinos nativos e sem padrão racial definido (SPRD) constituem o maior grupo populacional no Nordeste do Brasil, cerca de 70%. Os animais apresentam alta tolerância ao ambiente Semi-Árido, porém de baixa produção de leite, em média 550 g/cabeça/dia, num período de lactação de 150 dias.

O Estado do Ceará produz diariamente 1.111 litros de leite. Comparando-se com a região Norte (IBGE 2006), que tem uma produção de 400 litros/dia (COUTO FILHO, 2002).

A produção de leite de cabra no país vem aumentando ao longo dos anos, predominantemente na região nordeste, seguida pela região sul, como consequência da importação de matrizes leiteiras e melhoramento do plantel nacional. Atualmente existe uma significativa demanda de mercado para consumo de leite, fato esse que mostra que muitas pessoas já estão tomando consciência da importância do leite na dieta e procurando alternativas para poder consumi-lo.

No Brasil, a maior indústria compradora de leite de cabra é a CAPRILAC e Queijaria Escola Nova Friburgo, no Rio de Janeiro, Paulocapri, em São Paulo e o Instituto Cândido Tostes, em Minas Gerais. Atualmente, o preço pago ao produtor pelo leite de cabra é maior do que o de vaca, variando no mundo de 1,2 a 1,5 vezes, sendo que no Brasil essa correlação está em níveis mais altos, na ordem de 2,1 a 2,6.

O aumento no consumo e na qualidade dos produtos oriundos do leite de cabra deve-se principalmente aos consumidores que procuram um produto mais refinado com maior valor nutritivo. O leite caprino pode ser uma estratégia alimentar na conservação da saúde, minimizando assim o risco de doenças, principalmente nas populações mais carentes dos países em desenvolvimento.

Referências

BNB. Programa de desenvolvimento sustentável da caprino-ovinocultura no Nordeste. Fortaleza: Banco do Nordeste, 1999.

CORDEIRO , P. R. C.; CORDEIRO, A. G. P. C.; Estruturação da cadeia produtiva do leite caprino. XII Seminário Nordestino de Pecuária, 2008.

COUTO FILHO, C. Plataforma regional de pele de caprinos e ovinos. Fortaleza: 2002.

Disponível em: www.ibge.gov.br IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2006. Acessado em 31/01/2009.

NOGUEIRA FILHO, A. Potencialidades da caprino-ovinocultura na região Nordeste do Brasil. Fortaleza: Banco do Nordeste/Etene, 2002.

SUELI FREITAS DOS SANTOS

Zootecnista

2

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

EILSON SILVA DE OLIVEIRA

QUIXADÁ - CEARÁ - PRODUÇÃO DE CAPRINOS DE LEITE

EM 06/11/2012

sou um pequeno criador de cabras leiteira da raça saane, torge, gostaria de receber informaçoes importante, sobre manejo,criatorio ou capril, como combater doenças etc - um abraço.
LEONARDO HUNALDO DOS SANTOS

FORTALEZA - CEARÁ - ESTUDANTE

EM 21/03/2009

Muito Boas as informações. Abraços a todos!!!