FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Vedação da silagem: efeito da presença de terra sobre a lona

POR THIAGO BERNARDES

E RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PRODUÇÃO DE LEITE

EM 17/03/2008

2 MIN DE LEITURA

29
0
Dentre as opções de volumosos conservados, a silagem de milho é a principal delas dentro das atividades que envolvem a produção de ruminantes, segundo as pesquisas publicadas nos sites BeefPoint, MilkPoint e FarmPoint. Em geral, a sua estocagem se dá em silos horizontais (trincheira; superfície), os quais são atrativos em razão do baixo custo de armazenamento, porém suas conformações determinam grande superfície de exposição, o que torna as silagens mais susceptíveis a deterioração aeróbia e conseqüentemente as perdas, sobretudo nas zonas periféricas do silo, devido à intensa troca gasosa com o ambiente.

Muitos fatores contribuem para o processo de perdas na ensilagem, e a deterioração aeróbia tem sido um dos principais, com variada amplitude entre as fazendas (ASHBELL & LISKER, 1988). Após examinar 540 experimentos, Zimmer (1967) citado por ASHBELL & LISKER (1988) reportou que as perdas de MS entre as propriedades rurais variaram de 0,8 a 71%, apresentando média de 19,4%.

O topo do silo quando atingido pelo fenômeno da deterioração aeróbia (devido a falhas na vedação, presença de furos e/ou uso de plásticos de baixa qualidade) possui grande contaminação microbiana indesejável, o que pode ser danoso ao consumo e à saúde dos animais, obrigando o pecuarista a um oneroso trabalho de descarte destas partes.

Como o processo de deterioração aeróbia é essencialmente microbiano e o crescimento dos microrganismos é condicionado por condições físicas e químicas, um dos pré-requisitos essenciais é minimizar a presença de oxigênio no silo após seu fechamento, o que inibiria, principalmente, a presença fungos. Desse modo, o filme plástico assume papel importante no conjunto de estratégias associadas à vedação e na manutenção da anaerobiose (ausência de oxigênio).

Além, da importância da qualidade do filme plástico, a proteção deste com outros materiais (terra; cascalho; pneus) pode representar grande demanda de mão-de-obra, seja para colocá-los ou também para retirá-los, principalmente quando o silo é extenso ou existem vários silos numa mesma propriedade. Porém, este tipo de cobertura traz benefícios, diminuindo a incidência de raios solares e as trocas gasosas com o ambiente. Ainda, o emprego de materiais na parte superior do silo provoca adesão entre a lona e a massa ensilada, o que dificulta o caminho do oxigênio na massa.

Bernardes et al. (2008), conduziram um estudo avaliando-se o efeito da presença de terra sobre o plástico (coloração preta e espessura de 200 micras) utilizado na vedação de silagem de milho, localizadas no topo do silo (25 cm iniciais). Verificou-se que ao longo do período de conservação (75 dias) a temperatura da massa que foi coberta com plástico e terra esteve sempre abaixo daquela sem a presença de terra, como pode ser observado na Figura 1.

Figura 1. Temperaturas de silagens de milho localizadas no topo do silo sob a cobertura de plásticos com ou sem a presença de terra.


Temperaturas mais elevadas na massa favorecem o desenvolvimento de microrganismos indesejáveis, o que prejudica a qualidade nutricional e sanitária da silagem, levando a maiores perdas. Desse modo, quando for possível, o plástico utilizado na vedação deve receber algum tipo de proteção, principalmente de materiais que além de reduzirem a incidência de raios solares, também possam contribuir para a compressão da lona com a massa de silagem.

Como o uso de terra é dificultoso dentro da fazenda, outros trabalhos estão sendo desenvolvidos com o objetivo de encontrar alternativas que possam ser utilizadas sobre o filme plástico para a vedação.

THIAGO BERNARDES

Professor do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Lavras (UFLA) - MG.
www.tfbernardes.com

RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

Zootecnista pela Unesp/Jaboticabal.
Mestre e Doutor em Ciência Animal e Pastagens pela ESALQ/USP.
Gerente de Nutrição na DeLaval.
www.facebook.com.br/doctorsilage

29

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

THIAGO BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 13/09/2017

Caro Paulo,



A rede/sombrite deve ser colocado sobre a lona... NUNCA como cobertura única. Ela deixa passar o ar para dentro do silo e isso provoca a deterioração da silagem.

Há no mercado redes/sombrites que são comercializados especialmente para a cobertura do silo. Elas são mais pesadas que o sombrite convencional e a pressão exercida auxilia na conservação da silagem.



Att,

Thiago/Rafael
PAULO CESAR MASSUCATO

BORACÉIA - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 13/09/2017

Com relação ao sombrite Thiago/Rafael, qual maneira daria melhor resultado, usando como cobertura ou colocado direto sobre a lona como foi orientado por vocês ?



E com relação a retirada do máximo possível ar da silagem após o  fechamento do silo que irei fazer em outubro vou  usar um exaustor adaptando um tubo pvc . Se der resultado deixarei meus comentários.
THIAGO BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 11/09/2017

Paulo,



Sim. Sombrite dá excelente proteção à lona porque evita o contato da mesma com a luz do sol e também protege contra o ataque de animais (ratos, cachorro-do-mato e etc).

É importante você colocar peso sobre ele para que esteja em contato direto com a lona.

Há empresas que comercializam um sacos com 20 cm de diametro e 1 m de comprimento, os quais você pode colocar seixo rolado ou outro material dentro. Estes sacos possuem proteção UV e duram mais de 5 anos se bem manejados.

Boa sorte.



Att,



Thiago e Rafael
PAULO CESAR MASSUCATO

BORACÉIA - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 11/09/2017

Excelente artigo sobre silagem quanto ao armazenamento, compactação, aplicação de inoculante, tipo de cobertura, retirada do máximo possível de oxigenio e evitar  o calor sobre a superfície do silo, uma dúvida ainda a ser esclarecida.

Uma cobertura com sombrite no silo não substitui  o capim, terra e outras técnicas?

Salientando o custo que seria maior nesta situação.

Desde Já obrigado.
GINO MATOS

CAMPO GRANDE - MATO GROSSO DO SUL - DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS (CARNES, LÁCTEOS, CAFÉ)

EM 20/05/2016

GOSTARIA DE SABER SE POSSO FAZER A SILAGEM NO CHAO BATIDO OU SE DEVO FORRAR COM LONA
JOSE HUMBERTO COSTA

COROMANDEL - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 23/05/2015

Muito bom o artigo. Gostaria de saber o comprometimento do silo (deterioração) se ele não coberto imediatamente após o término dos trabalhos de enchimento do silo. Até quantas horas pode se esperar para tampar o silo? Obrigado.
SHELTON TEXERA BNEVIDES

JAGUARIBE - CEARÁ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 07/07/2008

Gostaria de parabeniza-lo pelo artigo que trata da importância e qualidade da silagem e dizer que são muitas as variaveis para uma boa silagem como idade da planta, relação folha..caule, tamanho ou cortes do material feitas pela ensiladeira,corte do material para pré-muchamento,compactação,vedação e outros.

A compactação e vedação são pontos relevantes pois a espulsão do oxigênio evita o desenvolvimento de bacterias aerobicas dando condições de sobrevivencia de bacterias e outros microorganismos mecanismo de sobrevivencia na ausencia de ar(anaerobiose).trabalho na produção de silagem como uma prática de convivência com o semi-árido e a unica maneira de se ter um material nutritivo e de qualidade no periodo de escassez de chuvas na região de solonópole-ce.
ISAIAS RIBEIRO DE CASTRO NETO

POÇO VERDE - SERGIPE - PRODUÇÃO DE OVINOS

EM 19/04/2008

Muito boa essa materia sobre silagem, nos ajuda a melhorar a qualidade de nossos silos.obrigado
THIAGO SALAZAR DURIGON

JARDIM - MATO GROSSO DO SUL - PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE

EM 10/04/2008

Olá companheiros, o sr. Homilton tocou em um ponto importante, o fundamental é a compactação, com ela bem feita a circulação de ar interno diminui bastante garantindo assim melhor qualidade a silagem. Outro ponto que acho importante ressaltar, é a forma de cobrir a lona, seja ela qual for e com o que for, pois deve-se cobri-la sempre da parte mais alta no meio e ir em direção as extremidades, assim a eleminação do ar será maior, ja vi muitos produtores cobrir a parte de baixo primeiro e depois ir para o centro, não eliminando o ar de maneira eficiente.
HOMILTON NARCIZO DA SILVA

GOIÂNIA - GOIÁS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 07/04/2008

Caros companheiros, já faço silos a mais de 15 anos, e ultimamente tenho usado lona de 200mc, colocando inoculante, e uso também folha de bananeira ou capim triturado, mas o que realmente ajuda bastante e acho fundamental é a compactação bem feita, porque não adianta você gastar com lona e tudo mais se deixar ar dentro ou por baixo devido a uma má compactação, a minha perda tem sido próximo de zero.
RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 03/04/2008

Prezado Aldo Passos,

O uso de inoculantes em determinadas espécies é extremamente fundamental para a eficiência no processo de conservação. Também, o uso de inoculantes bacterianos podem ter dois objetivos: promover benefícios na conservação da forragem (processo anaeróbio) ou promover benefício no pós-abertura das silagens (processo aeróbio).

Entretanto, sua eficácia dependerá da espécie forrageira que será utilizada, de qual microrganismo será inoculado e da procedência deste inoculante.

Atenciosamente,
Rafael e Thiago
ALDO PASSOS

ANÁPOLIS - GOIÁS - REVENDA DE PRODUTOS AGROPECUÁRIOS

EM 03/04/2008

Muito boa matéria, mas tratando de conservação de silagem, na sua opinião qual é a importânca do uso de inoculante?
GASTÃO SARMENTO DE MENDONÇA

RIO NOVO - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 29/03/2008

Caro Rafael e Thiago, essa matéria sobre silagem foi realmente providencial e certamente será ainda um assunto de muitas matérias seguintes. Verdade é que todos nós de alguma forma queremos diminuir nossas perdas e tentaremos de todos os métodos sem sombra de dúvidas para que isso aconteça. Na minha região o custo da lona dupla face de 8 m, esta em torno de R$8,00 o metro., a lona preta de 150 micras, esta em torno de R$3,50 o metro. A diferença de preço é realmente fantástica, e a utilização da lona dupla face não garante que voce terá uma silagem sem perdas, pois no ano passado tive perdas pouco menores doque quando utilizei a lona preta. Cerquei-me de todos os cuidados para que as perdas fossem mínimas. Este ano fiz a opção de colocar sobre a lona preta, sacos de ração vazios, abertos pelo lado para aumentar a área de cobertura e diminuir o número de sacos a utilizar, virando a parte branca para cima para diminuir assim o calor. Por cima destes sacos fiz outra cobertura com anapiê inteiro, não maduro, para que ao murchar molde melhor sobre a cobertura. Com isso estou tentado diminuir meu custo de ensilagem, já que os sacos estão ali à disposição e tentar ter menos perda ao abrir o silo. Normalmente quando jogamos a terra sobre a lona, sempre faz algum buraco que muitas das vezes não percebemos ou mesmo o capim que quando secar vai ter um ponto mais duro que poderá fazer este furo se estiver com o peso da terra por cima. A minha intensão com este sacos de ração é justamente proteger a lona preta destas possíveis situações. Segue então mais uma idéia a ser observada, no futuro próximo, +/- daqui uns 60 dias te falo se funcionou, por favor me lembre, abraços a todos, Gastão
ANDRÉ LUIS ZANINI SVERZUT

BARRA DO GARÇAS - MATO GROSSO - PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE

EM 25/03/2008

Boa noite a todos companheiros, vejo como o cenário está mudando, pois estamos tendo bastante proprietários envolvidos em novas tecnologias, isto é muito positivo, principalmente em se tratando de pecuária que atualmente é a classe mais desunida.

Aqui no MT estão usando lonas de 200mc com dupla face e sempre tenho observado e praticado por cima da lona uma camada de capim picado e por cima uma camada de terra, pois o capim seco fica muito leve e solto, usamos também o piso da silagem descartado do ano anterior que fica mais denso.

Estamos tendo problemas aqui e com as máquinas de ensilagem alugadas, pois estão todas com atrasos e as roças passando da hora da ensilagem, quem no momento tiver máquinas para cortar forrageiras, aqui é o lugar para ganharem dinheiro.
HUBERTO ITELVÃ ROCKENBACH

LAJEADO - RIO GRANDE DO SUL - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 25/03/2008

Muito interessante o assunto, pois como técnico de campo, observo altos índices de perdas por fermentação indesejável. Basta olhar nas laterais dos silos, onde é depositadp o material deteriorado.

Concordo com as colocações dos colegas técnicos e produtores em tudo o que foi relatado e tenho convicção de que, com o atual problema de intempéries que o Brasil possui (excesso de calor e frio, ação de ventanias, chuvas torrenciais etc.) as nossas lonas plásticas, com a reciclagem cada vez mais abordada, realmente temos que cobrir nossos silos com algum material, desde que não seja atrativo de roedores, pois observo muita lona roída, já ali há ambinte de proteção para o mesmo.

Como a terra é colocada sobre os imensos silos? Nossos produtores crescem na atividade a cada dia e a preocupação em aumentar a quantidade de volumoso estocado cresce com a peocupação de fornecer lonas ideais para essa prática? Vejo Prefeituras e produtores usarem máquinas enormes para colocar terra sobre o silo.

Torrões e pedras, galhos e raízes estão furando as lonas. Estou preocupado em levar para o produtor técnicas modernas e eficientes dentro de custos acessíveis. Os custos das silagens estão cada vez mais altos.

Parabéns pelo tema e vamos continuar com essas abordagens muito importantes. Abraços!
ANTÔNIO JOSÉ ARANTES MEIRELLES

CRUZÍLIA - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 24/03/2008

Excelente reportagem. Um assunto extremamente pertinente que não existe tecnologia disponível ainda. Temos 2 premissas:

1) silagem - processo anaeróbico. Portanto qualquer presença de oxigênio será danoso. O que deve-se fazer? Diminuir a presença de Oxigênio. Portanto, qualquer material que ajude a compactar o silo e posterior a lona, será de grande valia. Tenho compactado silo com carregadeiras, o que tem sido muito benéfico, embora o custo inicial assuste. Após, tenho colocado terra para ter uma melhor interação da lona com a silagem("compactação").

2) Altas temperaturas sobre as lonas - totalmente indesejável. O que fazer? Lonas dupla face. Precisamos diminuir o calor sobre a superfície do silo. O mercado tem o produto, mas as lojas ainda não conseguem passar uma informação com um maior grau de confiabilidade técnica em relação ao seu uso.

Temos 2 perguntas: Qual a espessura? Tenho utilizado de 150 "micras", e acho que não existe a necessidade de utilizar 200, pois não andaremos sobre o silo. De primeira ou segunda linha? Este é um grande problema, que a maioria dos consumidores e técnicos não sabem. Você faz opção pelo mais barato e leva segunda linha, que não irá proporcionar um bom efeito reflexivo.

Portanto uma lona dupla face, de 150 "micras" de primeira linha resolve de maneira satisfatória o problema, desde que o silo fique bem vedado. Não adianta ter o melhor material sem o melhor uso. Quando coloca-se terra por cima, ganha-se em aderência", mas perde-se o efeito reflexivo da dupla face, além de aumentar o trabalho. Portanto a utilização da terra deverá ser bastante criteriosa, preferencialmente nas bordas do silo, para uma melhor vedação.
TATHYANE RAMALHO SANTOS

VIÇOSA - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 24/03/2008

Gostei muito da reportagem, embora tenha curisidade em saber mais sobre a lona branca e seus efeitos, sobre as outras caracteriticas que qualificam uma silagem.

Parabéns aos autores pela clareza com que abordaram o assunto.
THIAGO BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 24/03/2008

Caro Miron,

Acreditamos que não há problemas em colocar sobre a lona de vedação folhas de Bacuri.
Como principal vantagem, nós colocaríamos a proteção do plástico contra os raios ultra-violeta. Quando o sol incide diretamente sobre a lona, a temperatura desta se eleva, aumentando a porosidade e, consequentemente, o fluxo de oxigênio para dentro do silo. A utilização das folhas reduziria a incidência solar, aumentando a vida útil do plástico.
Portanto, se há disponibilidade de folhas de Bacuri na sua propriedade você pode coloca-las como auxílio na vedação do silo.
Atenciosamente,
Thiago e Rafael.
EDGAR ZIN JÚNIOR

CASTRO - PARANÁ - PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE

EM 20/03/2008

Muito interessante a abordagem do assunto, trabalho em uma empresa de prestação de serviços de colheita de silagem e já vi várias formas de cobertura de silo. E ela é realmente de grande importancia para a qualidade final do produto.

Terra, palha, capim picado, feno, bagaço-de-cana, etc, não posso afirmar qual a melhor opção, mas posso afirmar ser de grande importância tal cuidado com o acabamento do silo.

Parabéns novamente pela abordagem do assunto.
RAFAEL DOS SANTOS SILVA FARIA

ITUVERAVA - SÃO PAULO - ESTUDANTE

EM 20/03/2008

Bom dia! Queria saber se a fermentação da silagem utilizando cal virgem é viavel e se a perda é siguinificativa.



Prezado Rafael dos Santos Silva Faria,

A cal virgem é um aditivo químico com objetivo de elevar o pH da forragem, o que altera a população microbiana do meio. Este aditivo é recomendado para a ensilagem da cana-de-açúcar. Trabalhos com este aditivo e com esta forrageira tem mostrado reduções de perdas de 15 a 20% inferiores em relação à silagem sem nenhum aditivo.

Atenciosamente,

Rafael e Thiago

MilkPoint AgriPoint